Jogo coreano é cancelado após denúncias de plágio de Kimetsu no Yaiba

Demon Slayer – Kimetsu no Yaiba fez um sucesso estrondoso logo após o lançamento da primeira temporada do anime e elevou a popularidade à um patamar que nem mesmo sua criadora poderia imaginar, porém nem tudo são flores com a fama, onde rapidamente começam a surgir algumas obras ou jogos que fazem plágio na cara dura e foi exatamente isso o que aconteceu nestes últimos dias.

Há menos de uma semana atrás foi lançado um jogo mobile chamado Gwisal-ui Geom, um projeto criado por uma equipe de coreanos fãs da obra de Koyoharu Gotōge, e o que poderia ser uma homenagem ou uma inspiração para seu jogo rapidamente se tornou alvo de denúncias de plágio vindos dos fãs japoneses e também de outros coreanos, alegando que muitos dos conteúdos e até mesmo ilustrações são cópias descaradas da obra original.

Realmente não tem como defender um caso desses, né?

Não apenas o personagem principal de Gwisal-ui Geom tem uma semelhança impressionante com Tanjiro Kamado, mas o personagem também partiu em uma jornada depois que sua família foi morta por demônios e por conta disso os fãs têm feito diversas reclamações por plágio de Kimetsu no Yaiba.

Por conta de tantas acusações, o jogo que foi lançado no dia 24 de abril será encerrado hoje, dia 29, ficando menos de 1 semana no ar, o que é uma pena. Por um lado, é justo que o mesmo precise sofrer uma censura, afinal, plágio não é algo legal e pode causar muitos problemas, mas por outro lado, é uma pena ver o trabalho de uma equipe de desenvolvedores ir por água abaixo por causa de um erro (por mais grave que ele possa ser), mas esperamos que os responsáveis pelo projeto tenham percebido a mancada que deram e, quem sabe, o refaçam e o lancem novamente (mas sem plágios desta vez).

E aí? Qual sua opinião a respeito desse alvoroço? Acha que os fãs tinham razão em reclamar? Deixe-nos saber na sessão de comentários abaixo!

Confira também:

Demon Slayer – Kimetsu no Yaiba, é uma série japonesa de mangás shōnen escrita e ilustrada por Koyoharu Gotōge.

O mangá é serializado desde fevereiro de 2016 na revista semanal Weekly Shonen Jump, sendo compilada, até o momento, em 17 volumes tankōbon pela editora Shueisha.

Uma adaptação da série para um anime de 26 episódios, produzida pelo estúdio ufotable, estreou em abril de 2019 e rapidamente tornou-se o anime mais popular do ano, podendo ser assistido na íntegra no Crunchyroll.

Acessando o site por este link, você ganha 14 dias de premium gratuitos em uma nova assinatura.

Willian Oliveira

Will, Bill, Willian, o nosso querido colaborador é conhecido de várias formas dentro do site. Bill escreve principalmente notícias de games e é um Sonysta declarado, mas nosso Sonysta oficial continua sendo o Leo, apesar de o Bill ser o mini-Leo, salvo pela falta de massa encefálica.