Anime

Saiba quais foram as regras adicionais incluídas no one-shot de Death Note

Lançado originalmente no começo de 2020, o one-shot de Death Note trouxe uma história original escrita por Tsugumi Ohba e ilustrada por Takeshi Obata, que se passa após os eventos protagonizados por Light Yagami e apresentar um novo protagonista, conhecido como Minoru Tanaka.

Assim, com o anime de Death Note voltando a ser bastante comentado, resolvemos falar um pouco mais sobre as regras adicionais que foram incluídas nesse one-shot.

A primeira delas é na verdade um complemento da Regra XLVII, especificando que o proprietário do Death Note pode ter as suas memórias do caderno apagadas se assim desejar. Já a segunda regra segue essa mesma lógica, adicionando que um Shinigami pode ficar até 14 km longe do portador do Death Note.

No entanto, a regra mais interessante é a terceira, que foi adicionada pelo Rei Shinigami depois que Minoru colocou em prática o seu plano de vender o Death Note. A nova regra é a seguinte:

“Um humano que vender ou comprar o Death Note no mundo dos humanos morrerá. O vendedor morrerá quando receber o dinheiro, e o comprador morrerá quando receber o Death Note.”

Ao saber dessa nova regra, o presidente dos Estados Unidos, que na época foi representado por Donald Trump, rejeitou receber o caderno mesmo após ter pago 100 bilhões de dólares. Com isso, Ryuk permaneceu com o Death Note e considerou como se ele não tivesse sido comprado.

Death Note acompanha a história de Light Yagami, um brilhante estudante do ensino médio que acaba descobrindo um caderno sobrenatural com o poder de matar qualquer pessoa que tenha o seu nome escrito nele.

O anime de Death Note está disponível na Crunchyroll e Netflix.

Confira também:

Este website utiliza cookies. Para mais informações, consulte nossa política de privacidade.

Leia nossa política de privacidade