Anime

Record of Ragnarok – Anime causa polêmica na Índia

O anime de Record of Ragnarok está sendo um grande sucesso na Netflix pelo mundo inteiro, mas ele causou polêmica na Índia e fez a Netflix desistir de lançar o anime por lá.

Record of Ragnarok – Anime causa polêmica na Índia

Rajan Zed, o presidente da Sociedade Universal do Hinduísmo, divulgou um comunicado pedindo aos criadores do mangá Record of Ragnarok que parassem de banalizar o Senhor Shiva e outras divindades hindus. Zed teme que essas representações possam criar uma ideia errada sobre as divindades para aqueles que não estão familiarizados com a religião hindu.

Zed já havia feito declarações semelhantes contra outras peças da mídia, como X: Men: Apocalypse, por suas representações de divindades hindus. Enquanto Zed nunca foi capaz de interromper a produção do mangá, Record of Ragnarok agora está proibido de transmitir no Netflix na Índia devido a sua representação de Shiva, o Destruidor.

Confira também:

Sobre Record of Ragnarok

A cada 1000 anos, os Deuses de cada panteão se reúnem e realizam uma conferência para decidir o destino da humanidade, convocando uma votação para determinar se a raça humana deve ou não continuar viva ou será extinta. Concluída a mais recente dessas conferências, os Deuses decidiram unanimemente pôr fim à humanidade.

No entanto, no último segundo, a mais velha das Valquírias, acompanhada pela mais jovem, interveio e fez a proposta ousada de deixar a humanidade ter uma palavra a dizer sobre seu destino, deixando-os ir contra os deuses em uma série de mano-a-mano de luta para ver se eles são dignos de continuar existindo.

Com medo de abrir mão do orgulho, os Deuses aceitam essa proposta. Treze Deuses lutarão contra treze campeões humanos. O primeiro lado a alcançar sete vitórias decidirá o destino da humanidade.

Record of Ragnarok pode ser conferido na Netflix.

Publicado por

Este website utiliza cookies. Para mais informações, consulte nossa política de privacidade.

Leia nossa política de privacidade