5 motivos para acreditar que Dragon Ball Clássico é melhor do que Dragon Ball Z

Apesar de Dragon Ball Z ter feito um sucesso tremendo entre o público jovem durante as décadas de 80 e 90, existem muitos detalhes que tornam a fase clássica de Dragon Ball, por vezes, muito mais interessante!

Isso por que antigamente Dragon Ball conseguia trazer alguns elementos a mais do que somente a ação e o combate frenético às tramas de Goku e seus amigos. Hoje, vamos te mostrar 5 motivos para acreditar que Dragon Ball Clássico é melhor do que Dragon Ball Z – mas a gente pode discordar e continuar sendo amigo sem problemas também, viu.

Ela tinha mais senso de humor!

Antes de se tornar uma série mais voltada ao público jovem/adulto, Dragon Ball fez sucesso entre a criançada com uma trama mais simples, e por muitas vezes, mais cômica e engraçada.

Durante suas aventuras, Goku conseguia alternar entre momentos cômicos e engraçados, até alguns um pouco mais sérios e pesados. Contudo, a graça de Dragon Ball é que ela mesmo não se levava muito a sério, o que tornava muito mais interessante acompanhar o enredo maluco que ela propunha ao público.

Os Torneios de Artes Marciais

Toda série que se preze precisa ter um arco de torneio! Mas antes disso virar uma espécie de regra nos mangás/animes, Dragon Ball usava e abusava deste recurso.

Os torneios de artes marciais era realmente incríveis, pois davam a motivação necessária para que Goku buscasse se tornar mais poderoso, além de sempre apresentar um inimigo mais forte que praticamente implorava pra ser derrotado.

Os “Torneios” até voltaram mais tarde em Dragon Ball Z e Super, mas nunca mais conseguiram ser tão interessantes quanto os originais.

Morte era coisa séria!

Quando Kuririn morreu pela primeira vez, a cena foi tão bem elaborada que provavelmente deve ter traumatizado alguns jovens ao redor do planeta que não imaginavam que ele acabaria retornando mais tarde – somente para morrer de novo, e de novo, nos arcos posteriores.

Contudo, essa era a premissa da série. As coisas era mais “mundanas”, e mortes era consideradas como algo mais sério. Em Dragon Ball Z, toda vez que Kuririn morria nós já sabíamos que ele acabaria voltando pelas Esferas do Dragão.

Oozaru também era coisa séria!

Hoje em dia qualquer coisa é motivo pra Goku e Vegeta saírem mudando a cor de cabelo por ai. Mas antigamente a coisa ficava feia mesmo quando Goku, que até então não fazia ideia do fato de ser um alienígena, transformava-se em um Macaco Gigante descontrolado.

O mais legal é que os motivos e o enredo por trás do Oozaru demoraram anos para serem explicados. Mas a emoção da primeira transformação de Goku foi realmente algo impressionante de se presenciar.

Red Ribbon!

Todo bom herói precisa de um vilão a altura! E no caso de Goku, esse vilão era na verdade um exército conhecido como Red Ribbon – ou exército vermelho. O arco da Red Ribbon é considerado como sendo um dos mais interessantes da fase clássica, e foi tão influente que a organização acabou voltando anos mais tarde em Dragon Ball Z, no arco dos Androides.

Confira também:

Dragon Ball Super encontra-se em hiato no momento. O anime encerrou em março de 2018 com o fim do Torneio do Poder.

Vale ressaltar, entretanto, que o mangá continua sendo publicado mensalmente com aventuras inéditas.

Nesta nova fase, Goku e Vegeta estão enfrentando um inimigo milenar e poderosíssimo: Moro, o consumidor de planetas. Este novo inimigo tem como objetivo fortalecer-se e então consumir a energia de todo o universo.

O anime pode ser acompanhado na íntegra no Crunchyroll, no seu idioma original com legendas em português.

Acesse o site por este link e então ganhe 14 dias de premium gratuitos em uma nova conta.

João Víctor Sartor

João Víctor Sartor é colaborador e sex-symbol do Critical Hits. Admirador das boas histórias, almeja de verdade escrever um livro algum dia. Divide seu tempo entre à leitura, jogatina, trabalho, engenharia e quando sobra tempo, vive.

Este website utiliza cookies. Para mais informações, consulte nossa política de privacidade.

Leia nossa política de privacidade