Categorias: Cinema e TV

Emma Watson fez 30 anos! Relembre momentos da carreira da atriz

Emma Charlotte Duerre Watson, mais conhecida como Emma Watson, completou nesta quarta-feira (15) trinta anos de idade. A atriz, que teve seu debut nos cinemas através da saga Harry Potter, onde deu vida a inteligente e talentosa bruxa Hermione Granger, construiu uma carreira sólida e de prestígio para a sua pouca idade, e conquistou uma legião de fãs em todo o mundo.

Não bastasse tudo isso, Emma, que além de atriz se tornou modelo, ativista e Embaixadora da Boa Vontade da Agência ONU Mulheres, tem usado da sua fama e influência para defender causas em que acredita.

Hoje, em homenagem a atriz e seu aniversário de trinta anos, relembramos aqui momentos marcantes da sua carreira, desde quando nos encantamos por ela em HP. Confira!

Quando tudo começou

Emma Watson nasceu em Paris, na França, mas se mudou aos cinco anos de idade para Oxford, na Inglaterra, após a separação de seus pais. Desde os seis anos ela já demonstrava interesse pela atuação, quando começou a fazer aulas de teatro, canto e dança, sempre incentivada por sua família.

Em 1999, descoberta por uma agência de talentos, a atriz participou das audições para a série Harry Potter, onde foi escalada para dar vida a bruxa Hermione Granger. A saga, que estreou em 2001 nos cinemas com o filme “Harry Potter e a Pedra Filosofal” e se encerrou em 2011 com o filme “Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2” foi um enorme sucesso de crítica e bilheteria, cativando um público imenso em todo o mundo.

Ao longo destes dez anos, Watson se dedicou com intensidade ao seu papel, mas conseguiu ainda tempo para estrelar o filme “Dançando para a Vida” (2007), onde deu vida a personagem Pauline Fossil, e dar voz a Princess Pea da animação “O Corajoso Ratinho Despereaux” (2008).

A carreira depois de Harry Potter

Logo após o fim das filmagens de Harry Potter, Emma enveredou por uma série de projetos no cinema que tiveram ampla divulgação e retorno de crítica e público. Seu primeiro grande papel de destaque foi no filme “As Vantagens de Ser Invisível” (2012), adaptação do romance homônimo escrito por Stephen Chbosky.

O longa conquistou o público adolescente, e o entrosamento entre o trio de personagens principais (interpretado por Emma, Logan Lerman e Ezra Miller) trouxe ainda mais brilho às suas atuações.

Depois disso, além de outros papéis, foi a vez de Watson estrelar o filme “Bling Ring: A Gangue de Hollywood” (2013), fazer uma pequena participação em “É o Fim” (2013), filme dirigido por Evan Goldberg e Seth Rogen, e atuar no drama histórico “Amor e Revolução”.

Confira também:

Recentemente, a atriz esteve à frente de duas grandes produções. Em 2017, ela deu vida a Bela do live-action A Bela e a Fera, onde exigiu que sua personagem não usasse espartilho. A atriz, feminista e responsável por um importante papel dentro da ONU, queria que sua princesa fosse livre e ativa em seus movimentos.

Além disso, em 2019, esteve no elenco principal do longa “Adoráveis Mulheres” (filme indicado a cinco Oscar e vencedor na categoria de Melhor Figurino). Na época, a atriz distribuiu 2 mil exemplares do livro homônimo pelas ruas de Londres. Quem encontrasse um exemplar, podia ficar com ele e conferir as anotações que Emma havia feito em suas páginas.

Emma Watson, ONU e literatura

Pararelo a seu trabalho em Hollywood, Emma passou a chamar atenção por sua postura ativista, sempre trazendo à tona questões ligadas às mulheres. Além disso, a atriz participou e organizou ações que visavam angariar fundos para organizações não governamentais, se tornando um nome constante em questões de sustentabilidade e humanitarismo.

Em 2014, foi nomeada Embaixadora da Boa Vontade da Agência ONU Mulheres, encabeçando a HeForShe, uma campanha que fala sobre a luta da igualdade de gêneros e da importância que homens também possuem nesse processo. Seu discurso na sede da ONU durante o lançamento da campanha foi inspirador e Emma mostrou, mais uma vez, o tamanho de sua força e de sua voz.

Atualmente, Emma tem se dedicado bastante ao Our Shared Shelf, um clube do livro que fundou e onde faz leituras feministas conjuntas com seus inscritos, debatendo alguns dos assuntos abordados e entrevistando algumas de suas escritoras. Para quem não conhece, vale muito a pena acompanhar o Instagram do projeto.

Disqus Comments Loading...

Este website utiliza cookies