Anime

Este é o motivo pelo qual Hidan nunca tentou matar Kakuzu em Naruto

Durante um curto período de tempo a Akatsuki chegou a ter três imortais em sua formação: Orochimaru, Hidan e Kakuzu. Todos eles com tipos diferentes de imortalidade e com objetivos diferentes. Mas a relação de Hidan e Kakuzu era certamente a mais curiosa.

Isso porque, enquanto Kakuzu só se importava com o dinheiro das recompensas que ele caçaria enquanto membro da Akatsuki, Hidan era um fanático religioso que matava indiscriminadamente para oferecer sacrifícios ao seu deus, Lorde Jashin.

E existiria algum sacrifício mais significativo do que um imortal do que seu parceiro, Kakuzu? Surpreendentemente, sim!

Kakuzu era “imortal” no sentido que ele só morreria se todos os seus quatro corações fossem destruídos, ou seja, não era literalmente impossível de ser morto.

Tirando o fato de que agir contra um membro da Akatsuki seria problemático, os jashinistas acreditam que as pessoas que eles matam fora do campo de batalha devem ser pessoas próximas à elas, “vizinhos”. Isso, claro, de acordo com o próprio Hidan.

E é aí que mora o problema, na verdade. Como Hidan na verdade odeia Kakuzu, ele não seria considerado próximo e não valeria como um sacrifício digno para Lorde Jashin.

Naruto Shippuden foi exibido entre os anos de 2007 e 2017, contando a segunda fase do anime. Nela, Naruto retorna após dois anos de treinamento com a missão de combater a Akatsuki e resgatar Sasuke das garras de Orochimaru.

Ao todo, o anime conta com 500 episódios (incluindo os fillers de Naruto Shippuden), finalizando a história de Naruto, Sasuke, Sakura e Kakashi e preparando o terreno para a continuação direta da história.

O anime pode ser acompanhado na íntegra no Crunchyroll, juntamente com Naruto clássico e Boruto: Naruto Next Generations, sua continuação direta.

Acessando o site por este link, você ganha 14 dias de premium gratuitos em uma nova assinatura.

Publicado por

Este website utiliza cookies. Para mais informações, consulte nossa política de privacidade.

Leia nossa política de privacidade