5 segredos sobre o corpo de Freeza em Dragon Ball Super

Não importa quanto tempo passe, dificilmente algum vilão conseguirá ser tão marcante quanto Freeza foi lá na fase clássica de Dragon Ball Z. Parte disso se dá pela anatomia do vilão, criado por Akira Toriyama para ser uma espécie de representação pura da maldade. Por isso, hoje vamos te mostrar 5 segredos do corpo de Freeza que vão te deixar ainda mais impressionado.

Ele não precisa de oxigênio

O corpo de Freeza é realmente uma fortaleza que o protege de diversos aspectos diferentes, e dentre todos estes aspectos está… respirar.

Sim, exatamente. Diversas vezes durante a série já vimos Freeza movendo-se pelo espaço sideral sem nenhum dificuldade, o que mostra que seu corpo não precisa de oxigênio. Esta característica serviu também como incentivo para destruir o planeta Namek, uma vez que caso isso acabasse de vez com Goku, Freeza poderia sair tranquilamente sem sofrer grandes danos.

Pode sobreviver a praticamente qualquer coisa

Outro detalhe interessante sobre Freeza é que ele é capaz de aguentar uma quantidade incrível de adversidades. Recuperar membros arrancados não chega a ser uma exclusividade do vilão, mas a forma como ele faz isso é totalmente diferente.

Basta que ele sofra uma das suas famosas transformações ou receba uma pequena ajuda externa e pronto, a maior parte dos danos está curada.

Mas isso ainda não é tudo. Freeza também consegue aguentar uma quantidade absurda de dano e manter-se vivo mesmo sem grande parte de seu corpo. Algo realmente impressionante e uma das características mais formidáveis de sua raça.

Cura pela transformação

Apesar de parecer papo de coach, estamos falando de algo que já mencionamos acima: a capacidade de Freeza em recuperar grandes quantidades de dano através de uma das suas transformações.

Isso inclusive foi mostrado na série, durante a transformação da segunda para a terceira fase. Freeza tinha acabado de perder boa parte de sua cauda graças ao Kienzan de Kuririn – algo que foi amplamente comemorado pelos Guerreiros Z. Mas ao liberar uma grande quantidade de energia, Freeza não só tornou-se mais poderoso como também recuperou-se dos danos mostrando que era de fato um oponente a ser temido.

Pode sentir Chi Divino

Originalmente Freeza não conseguia sentir o chi de seus inimigos, uma vez que está foi uma técnica ensinada somente aos Guerreiros Z por Kami Sama. Mas para a surpresa de todos, quando finalmente retornou dos mortos em Dragon Ball Super, Freeza era capaz de sentir Chi Divino!

A série justifica a nova capacidade do vilão dizendo que ela foi despertada após Freeza ter passado tanto tempo treinando em sua forma dourada. Ou seja, mais uma vez Freeza mostra o quanto é formidável.

Ele não gosta de ser nanico

Freeza é mais baixo que seu pai e seu irmão mais velho, e até onde sabemos, não gosta nada disso.

A maior prova deste descontentamento acontece no filme Dragon Ball Super: Broly, quando Freeza vai até à Terra para reunir as Esferas do Dragão com um único objetivo em mente: pedir à Shenlong para que ele o faço crescer cinco centímetros.

Ou seja, Freeza se incomoda tanto com o fato de ser nanico, que coloca isso como prioridade antes mesmo do desejo de ser imortal.

Confira também

Dragon Ball Super encontra-se em hiato no momento. O anime encerrou em março de 2018 com o fim do Torneio do Poder.

Vale ressaltar, entretanto, que o mangá continua sendo publicado mensalmente com aventuras inéditas.

Nesta nova fase, Goku e Vegeta estão enfrentando um inimigo milenar e poderosíssimo: Moro, o consumidor de planetas. Este novo inimigo tem como objetivo fortalecer-se e então consumir a energia de todo o universo.

O anime pode ser acompanhado na íntegra no Crunchyroll, no seu idioma original com legendas em português.

Acesse o site por este link e então ganhe 14 dias de premium gratuitos em uma nova conta.

João Víctor Sartor

João Víctor Sartor é colaborador e sex-symbol do Critical Hits. Admirador das boas histórias, almeja de verdade escrever um livro algum dia. Divide seu tempo entre à leitura, jogatina, trabalho, engenharia e quando sobra tempo, vive.

Este website utiliza cookies. Para mais informações, consulte nossa política de privacidade.

Leia nossa política de privacidade