Embora tenha sido relativamente popular para os donos de Mega Drive em meados dos anos 90, ToeJam & Earl sempre foi uma série de nicho, que mesmo recebendo duas continuações – que não foram tão boas quanto o original – nos últimos anos realmente estava meio esquecida.

Mas isso acabou mudando em 2015, quando a HumaNature Studios, empresa fundada por Greg Johnson, o criador da franquia, anunciou uma campanha de financiamento coletivo para produzir um novo ToeJam & Earl. A campanha rapidamente bateu a meta de US$ 400 mil, arrecadando mais de US$ 500 mil, e assim nasceu ToeJam & Earl: Back in the Groove.

No entanto, o desenvolvimento foi bastante conturbado, já que o planejamento inicial era lançar o título em 2016, mas devido a diversos atrasos e a saída da Adult Swim com publisher, acarretaram em consecutivos adiamentos, fazendo o jogo só sair agora em março de 2019.

Se você caiu aqui de paraquedas e não sabe absolutamente nada sobre o game, ToeJam & Earl: Back in the Groove basicamente conta a história de dois alienígenas do planeta Funkotron, ToeJam e Earl, mais duas novas personagens, Lewanda e Latisha, que estavam vagando pelo espaço quando acabaram caindo aqui na Terra. O objetivo deles agora é recuperar os destroços da nave para conseguirem volta para o seu planeta.

Com essa premissa, você explorará diversos níveis para achar as peças da nave, encontrando no caminho as mais bizarras situações e inusitados eventos. Se você chegou a jogar o ToeJam & Earl original de 1991 deve reconhecer bastante essa descrição, isso porque esse novo jogo é basicamente uma recriação do primeiro.

E por mais que a fórmula ainda funcione parcialmente, a estrutura de um jogo lançado há 30 anos simplesmente não faz sentido nos dias atuais. Enquanto um título focado em exploração era novidade na década de 90, hoje é um lugar comum. Dessa forma, ao jogar algumas horas fica claro que ToeJam & Earl: Back in the Groove não possui tantas novidades assim para oferecer.

É claro que os novos NPCs tanto aliados como inimigos, foram atualizações bem vindas e são verdadeiramente engraçados, como o Gandhi que cria uma área de proteção contra os inimigos, o fã descontrolado que fica o perseguindo, ou um grupo de RPG onde você pode testar a sua sorte.

Enquanto explora os 25 mapas do modo normal de jogo, você ainda encontrará uma boa variedade de presentes, que podem possuir efeitos bem úteis como ser teletransportado automaticamente para uma peça da nave , ou inúteis como as malditas molas nos sapatos. A parte boa é que após abrir um presente, caso você pegue ele novamente já saberá o seu efeito.

Existem também fases secretas que podem ser encontradas nas beiradas do mapa e mini-games bem simples, como um jogo de ritmo ou um runner em que você pode coletar dinheiro e experiência.

Talvez a maior inovação do jogo seja a introdução de elementos de RPG, já que agora cada personagem possui atributos diferentes, que vão sendo aumentados ao passar de nível. Velocidade, HP, Sorte, Tamanho do Inventário, são alguns dos status que podem ser melhorados, mas a única parte ruim é que você não pode colocar pontos específicos em cada um deles.

Um fator curioso é que enquanto alguns aspectos são ainda mais refinados em relação ao primeiro jogo, como a trilha sonora sempre presente com as marcantes batidas do funk, outros acabam sofrendo de decisões duvidosas, como é o caso de todo o estilo gráfico. Embora ele consiga remeter bem aos designs comuns da internet na década 90 e começo dos anos 2000, se perde um pouco do charme da pixel art que era tão bonita no jogo original. Neste aspecto, talvez fosse melhor ter sido mais saudosista.

Outras novidades interessantes que chegam como uma modernização para tornar um jogo mais atual são as diferentes dificuldades, incluindo modos totalmente roguelike; a possibilidade de ter vários saves; e o modo online, que pode ser jogado em coop com até quatro jogadores.

No fim, ToeJam & Earl: Back in the Groove não possui muitos defeitos nem muitas qualidades que se destacam até porque ele é quase como um remake do jogo de 1991. Se você nunca teve contato com a franquia pode ser uma ótima oportunidade para conhecer esses dois desajeitados alienígenas e se você é um veterano talvez a nostalgia o agrade. Mas algo que fica claro é que a inovação que conquistou tantos jogadores no passado definitivamente não está presente neste novo jogo.

Compartilhe