Subscribe for notification

Streets of Rage 4 – Review

Depois de longos anos sem uma única sugestão de retorno, Streets of Rage ressurgiu graças a uma continuação épica. Produzido pela Lizardcube e a DotEmu, o famigerado Beat’em Up foi revivido através da geração atual de consoles. Sendo assim, nos deparamos com um projeto inédito, onde a nostalgia encontra uma nova perspectiva adepta aos jogadores da atualidade.

Em suma Streets of Rage 4 trouxe consigo uma boa mescla que envolve elementos icônicos de muitas eras atrás, e ao mesmo tempo, uma boa dose de inovação. Graficamente falando, a arte do novo game é praticamente incomparável, e honestamente, não há outro título no mercado que consiga entregar tamanha fidelidade e reinvenção. Existe um enorme conjunto que coloca Streets of Rage 4 em um patamar acima dos jogos beat’em up lançados nos últimos anos.

Um primor visual, mas também, um excelente Beat’Em Up

A história de Streets of Rage 4 é algo simples, e traz consigo uma proposta de “justiça” derivada da cruzada dos personagens que temos a disposição. Neste caso, Axel, Blaze, Floyd e Cherry partem rumo à jornada que culmina em um confronto com os irmãos da organização Y. Estes, por sua vez, são os filhos de Mr. X (vilão original da franquia), e ambos concedem continuidade à ideia de dominação territorial. Embora pareça uma trama rasa, é interessante notar como a Lizardcube e a DotEmu conseguiram transmitir uma campanha interessante, onde mesmo se tratando de um game simples, ainda existe uma certa profundidade quanto a história e relação dos personagens.

Essa trama se estende por múltiplos locais, envolvendo cenários como esgotos, ruas da cidade, escritórios e muitos outros. É interessante notar que o novo estilo de arte do game calhou muito bem, e sendo tanto os personagens quanto o mundo em que desbravamos, cada mínimo detalhe é algo único, e torna a experiência ainda mais proveitosa. Em adição, mesmo ocorrendo diversos avanços em termos de combate, Streets of Rage 4 consegue manter de forma primorosa a sensação de estarmos jogando um Beat’em Up “das antigas“.

Pancadaria é o forte da casa

Mas se você pensa que Streets of Rage 4 é tão simples quanto os jogos anteriores, se engana. Desta vez, o game traz uma boa variedade de combos devastadores, incluindo a adição de novos golpes especiais e alguns “truques” avançados. Diferente dos games originais, SOR 4 concede mais do que um único especial para cada personagem. Desta forma, o jogador pode deixar sua imaginação correr solta, sempre em busca do maior número de ataques possíveis em um único combo.

É interessante notar que o estilo de jogo ainda segue a mesma base original. Neste caso, basta apertar um único botão e desferir golpes em seus adversários. Por outro lado, Streets of Rage 4 tornou a jogabilidade um pouco mais técnica, onde a direção do golpe pode fazer toda diferença para a continuidade de um combo. Por consequência, cabe ao jogador entender quais artifícios podem ser utilizados para maximizar seu dano.

Além disso Streets of Rage 4 também inclui o modelo original de ataques especiais. Sendo assim, não há uma barra específica para os golpes, e ao invés disso, utiliza-se parte da vida do personagem. Entretanto, mesmo gastando parte de sua vida, o jogador pode recuperar essa parcela utilizada ao golpear adversários ininterruptamente. Caso o personagem sofra algum dano enquanto não recuperou sua vida, o prejuízo se torna maior, eliminando tanto a vida não recuperada quanto parte do que já estava garantido sem o uso do especial. Evidentemente, isso torna o combate mais estratégico, permitindo que o jogador decida qual o melhor momento para desferir um golpe poderoso.

Um ótimo exemplo de qualidade visual e sonora

O design de Streets of Rage 4 é – de longe – um dos melhores que vimos ao longo dos últimos anos. Seu estilo cartunesco, com modelos desenhados a mão, concedem um toque de autenticidade ao título. É evidente o carinho e dedicação dos profissionais envolvidos na reimaginação de SOR, e o resultado está mais do que satisfatório. Mesmo em formato 2D, é possível notar a atenção aos mínimos detalhes dos cenários e dos personagens, e inclusive, o game está carregado de referências das mais diversas – como uma representação das Tartarugas Ninja no cenário do esgoto e outras curiosidades.

A trilha sonora de Streets of Rage 4 é outro componente que dispensa interpretações. A jornada flui como um beat’em up antigo, e ao mesmo tempo, existe uma grande mescla entre a sonoridade considerada moderna e retrô. No fim das contas, o resultado é incrível, e cada música apresentada consegue permanecer na memória dos jogadores por um bom tempo.

Tudo isso significa que Streets of Rage 4 não possui problemas?

Em um quadro geral, Streets of Rage 4 implementa perfeitamente o que seria a evolução do Beat’em Up, e ao mesmo tempo, introduz o gênero de uma forma moderna e bem conceituada, para aqueles que não puderam aproveitar a grande era dos jogos Arcade. Se tratando de problemas, é praticamente impossível encontrar algum em SOR 4. Por exemplo, posso utilizar a questão de perspectiva como algo “falho“, considerando que muitas vezes a distância entre um inimigo e o seu personagem acaba gerando ataques “no vácuo“. Entretanto, esse é um fator que deriva inteiramente da perspectiva do jogador, e não necessariamente seria qualificado como um problema pertinente ao game.

Existem múltiplas reclamações com relação ao design de alguns dos personagens, como por exemplo, o caso de Blaze. O fato de ser possível visualizar roupas íntimas das mulheres acaba deixando uma sensação de desconforto em alguns jogadores, mas de forma geral, esse é um aspecto que torna-se ignorável com o passar da história.

Sua longevidade também não é das maiores, e é possível finalizar o game em cerca de 4 horas ou menos. No entanto, dada a fidelidade do game aos títulos originais da franquia, Streets of Rage 4 se posiciona como o mais longínquo e detalhado entre os jogos anteriores. Logo, em uma comparação geral, SOR 4 supera seus antecessores de forma magistral, ampliando a experiência para algo digno dos consoles atuais.

Vale a pena investir em Streets of Rage 4?

Se você é fã de jogos Beat’em Up ou gostaria de aproveitar uma bela pancadaria casual, certamente Streets of Rage 4 é o título perfeito. Sua trilha sonora, vastidão de combos, personagens desbloqueáveis, múltiplos modos de jogo e a cooperatividade, acabam resultando em uma experiência extremamente divertida e nostálgica para muitos.

Entre os jogos lançados em 2020, Streets of Rage 4 certamente é definido como uma grande surpresa, capaz de superar expectativas. E inclusive, este se trata de um dos jogos mais proveitosos do ano.

Guru

Guru é o cara que não sabe falar sobre outra coisa além de jogos e consoles. Ansioso pela nova geração, ele sonha ininterruptamente com o retorno de God Hand, Viewtiful Joe, Captain Comando e outros clássicos de porradinha sem freio. Possui um histórico considerável de vazamentos, rumores e teorias sem sentido que geram uma boa discussão.

Este website utiliza cookies