Age of Empires II: Definitive Edition – Review

Apesar da popularidade de jogos de Estratégia em Tempo Real ter caído bastante nos últimos anos, a grande maioria dos gamers ainda lembra com bastante carinho de jogos como Age of Empires/Mithology e Warcraft, e muitos gostariam de poder jogar jogos similares a estes.

Felizmente, a Microsoft Studios resolveu trazer de volta o RTS mais popular dos anos 2000 de uma forma definitiva, e eu não poderia estar mais feliz em afirmar que eles acertaram em cheio nesta nova edição.

Age of Empires II: Definitive Edition reúne todo o conteúdo já lançado para Age of Empires II (incluindo suas expansões) em um só lugar e de forma remasterizada.

Desde às campanhas clássicas de Átila o Huno e Joana D’Arc aos mapas multiplayer, todas as texturas, partículas e efeitos foram repaginados para se encaixar melhor nos dias de hoje.

Para a alegria de muitos fãs, o gameplay permanece exatamente o mesmo. E apesar do jogo trazer à tona toda a nostalgia de várias noites em corujão batalhando com os amigos nos mapas de Age II, eu ainda tive a sensação de estar jogando um jogo novo durante todas as minhas horas na Edição Definitiva.

E isto se deve as novidades que o jogo trouxe. Além de reunir todo o conteúdo das versões anteriores de Age of Empires II, a Edição Definitiva também possui novas campanhas e civilizações inéditas, acrescentando conteúdo singleplayer e multiplayer ao mesmo tempo. No total, são 3 novas campanhas que fazem parte do conjunto “Os Últimos Khans”, e 4 novas civilizações para o uso online/local, totalizando 35 civilizações.

Apesar do gameplay de Age II ser basicamente o mesmo entre todas as civilizações, cada uma delas ainda possui suas particularidades. Cada civilização possui tropas únicas, como os Arremessadores de Machados franceses e os Samurais japoneses, e bônus passivos que condizem com a história de cada civilização. As unidades de pesca dos Japoneses são muito mais eficientes do que as de certas civilizações da África, por exemplo.

Além disso, as construções mudam visualmente dependendo da civilização escolhida, e o nível de detalhes é simplesmente impressionante. É possível distinguir a civilização de um adversário simplesmente ao olhar para suas construções, o que é realmente surpreendente para um jogo de 1999.

As três novas campanhas trazem várias horas de conteúdo inédito e desafiador ao mesmo tempo em que se mantém historicamente correta. Esta campanhas com certeza agradarão as pessoas que gostam de Age of Empires por causa dos eventos históricos tratados no modo singleplayer do jogo.

Mesmo que as campanhas de Age II sejam bastante divertidas, a grande maioria dos fãs é muito mais interessada no modo online do jogo. Por falar nele, o modo online de Age of Empires II: Definitive Edition é 100% funcional e livre de bugs e lag, e as partidas que eu joguei me fizeram perceber que eu sou muito pior no game do que me lembrava.

Os fãs mais hardcore provavelmente perderão incontáveis horas jogando online contra amigos ou contra pessoas aleatórias da internet. Achar uma partida online nunca foi tão simples e fácil em Age II.

Eu não tenho elogios o suficiente para dar a equipe da Microsoft. O trabalho feito nesta Edição Definitiva faz cada centavo valer a pena. Trazer jogos antigos de volta ao mercado não é uma tarefa fácil, mas Age of Empires II retornou de modo triunfal.

Enfim, como o nome já diz, Age of Empires II: Definitive Edition realmente é a forma definitiva de se aproveitar o RTS clássico. Com gráficos melhorados, novas campanhas e civilizações, uma trilha sonora sensacional e o mesmo gameplay viciante do jogo original, Age of Empires II retorna de forma triunfal ao PC, e com certeza agradará veteranos nostálgicos e novatos curiosos.

Review elaborado com uma cópia do jogo para PC fornecida pela Microsoft do Brasil.

David Brito

Fã de Roguelikes e J-RPGs, David passa a maior parte do seu tempo livre testando novos jogos e lembrando a todos o quanto ele ama a franquia Persona.

Este website utiliza cookies