Jogadores de Red Dead Redemption 2 estão batendo e matando feministas dentro do jogo

Red Dead Redemption 2 acontece por volta do ano de 1899 e por mais que não seja o foco do jogo o seu compromisso histórico, esse período da história norte-americana foi lar de diversos movimentos importantes nos Estados Unidos, incluindo o direito da mulher de votar, que só foi conquistado 19 anos depois, mais especificamente no dia 26 de agosto de 1920, onde ocorreu a ratificação da Décima Nona Emenda.

Embora o mais novo jogo da Rockstar não foque exatamente nesse movimento, durante a campanha ou até mesmo de forma aleatória no game entramos em contato com diversas personagens feministas, que em suas conversas falam sobre o seu desejo e luta por mais direitos para as mulheres.

No entanto, parece que a discurso de empoderamento feminino mais uma vez está incomodando o nerd médio que se acha dono do mundo.

ATENÇÃO! OS PARÁGRAFOS ABAIXO POSSUEM LEVES DESCRIÇÕES DE VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER, QUE PODEM SER GATILHOS PARA ALGUMAS PESSOAS.

Segundo reportado pelo site Motherboard, alguns jogadores estão propositalmente agredindo e matando feministas que estejam lutando pelos seus direitos nas ruas de Red Dead Redemption 2.

Aparentemente tudo começou com um YouTuber intitulado Shirrako, que resolveu gravar o seu personagem espancando uma feminista até ela ficar inconsciente. O vídeo é intitulado “Red Dead Redemption 2 – Beating Up Annoying Feminist” (Red Dead Redemption 2 – Batendo em uma feminista irritante), o vídeo foi liberado no dia 28 de outubro e atualmente conta com mais de 1 milhão de visualizações.

Vendo o aparente sucesso desse tipo de vídeo, o YouTuber resolveu fazer outro ainda mais absurdo, onde ele laça uma mulher na cidade e a leva para ser devorada por jacarés.

Como já era de se esperar, os comentários dos vídeos são o mais puro chorume da internet, eles revessam entre usuários que acham a situação apenas engraçada e aqueles apoiando a ação do YouTuber, dizendo que “é isso que as feministas merecem”.

O Motherboard conseguiu entrevistar Shirrako, o autor dos vídeos, e a sua resposta é basicamente o clássico discurso de isenção.

“Eu sei que você provavelmente está esperando alguma resposta política, mas a verdade é que foi simplesmente um momento engraçado de uma das minhas transmissões que eu decidi publicar como um vídeo separado.”

“Não tenha certeza se foi intencional da Rockstar Games, mas o NPC é feito para ser um pouco chato, quando você tenta comprar roupas no jogo, seu diálogo com o dono da loja continua sendo interrompido por ela gritando, então eu simplesmente queria fazer compras em paz, tenho certeza de que, como jogador, você está familiarizado com essas situações irritantes de NPC.”

O YouTuber ainda acredita que a maioria das pessoas entende o vídeo como uma piada, mas também está ciente que algumas pessoas estão postando comentários tóxicos, enquanto outras ficaram extremamente ofendidas.

“Obviamente, eu não concordo com os comentários sexistas, mas não há muito que eu possa fazer sobre eles, eu não gosto de censurar as opiniões das pessoas, independentemente de eu gostar delas ou não.”

Red Dead Redemption 2 oferece diversos verbos para você interagir com os NPCs, um das ações presente na maioria das vezes é ter uma abordagem um pouco mais agressiva e sair atirando ou batendo em alguém.

No entanto, em um jogo com esse nível de polimento e com incontáveis sistemas interconectados, deveria ser fácil implementar um sistema que detectasse comportamentos sexistas ou de ódio para uma determinada minoria, e talvez de alguma forma punisse o jogador por isso, como não permitir que ele consiga pegar missões com personagens femininas.

Red Dead Redemption 2 foi lançado no dia 26 de setembro e está disponível para PS4 e Xbox One. Você pode conferir o nosso review aqui.

João Victor Albuquerque

Formado em Sistemas de Informação, que no final da faculdade resolveu se meter nesse mundo do jornalismo. Apaixonado por joguinhos, filmes, animes e sempre atrasado com as séries.

Este website utiliza cookies. Para mais informações, consulte nossa política de privacidade.

Leia nossa política de privacidade