The Witcher é hoje uma das maiores e mais conceituadas franquias de games da atualidade, e muito disso por conta do sucesso de The Witcher 3: Wild Hunt.

Acontece que nem sempre foi assim: o primeiro jogo da franquia lançado exclusivamente para PC em 2007 não fez tanto sucesso, E The Witcher 2: Assassins of Kings lançado PlayStation 3, Xbox 360 e PC alcançou certo sucesso, mas nada parecido com o assombroso sucesso de financeiro, de público e crítica alcançados pelo terceiro capítulo.

Os jogos da CD Projekt Red são baseados na obra Wiedźmin do autor polonês Andrzej Sapkowski, que lançou um total de oito livros desta saga.

Acontece que Sapkowski vendeu os direitos de The Witcher para a CD Projekt Red por uma quantia de dinheiro fixa e abriu mão de direitos autorais. Dessa forma o autor deixou de ganhar milhões com o sucesso da franquia de games, especialmente de Wild Hunt.

Sapokowski agora quer da CD Projekt Red estes milhões, alegando que a venda de The Witcher era referente somente ao primeiro jogo, e que a produtora deveria lhe pagar direitos autorais sobre o segundo e terceiro jogos, além das DLCs lançadas para o mais recente capítulo da saga.

A CD Projekt Red se nega a pagar mais dinheiro ao autor, que cobra cerca de U$ 16 milhões e alega que tem direito a algo entre 5% e 15% dos lucros dos dois últimos jogos e suas DLCs. A cobrança de Sapokowski contra a produtora inclusive já foi registrada na justiça e a empresa já foi notificada judicialmente da disputa.

A produtora soltou uma nota oficial a respeito da cobrança de Sapkowski:

“Na opinião da CD Projekt Red, as exigências expressas na notificação são infundadas em relação ao seu mérito, bem como o valor estipulado. A CD Projekt Red adquiriu legal e legitimamente os direitos do trabalho do sr. Andrzej Sapkowski, na medida em que é necessário para seu uso em jogos desenvolvidos pela Companhia. Todos os passivos a serem pagos foram devidamente liberados. É vontade da CD Projekt Red manter boas relações com os autores de obras que inspiram nossas criações. Consequentemente a Diretoria fará um grande esforço para assegurar a resolução amigável dessa disputa; entretanto, qualquer resolução desse tipo deve respeitar as intenções previamente expressas de ambas as partes, bem como os contratos existentes.”

the-witcher-2-assassins-of-kings

A empresa de advocacia que representa os interesses de Sapkowski parece preparada para um longa disputa e afirmou que há mais argumentos na notificação enviada à CD Projekt Red que fortalecem as reivindicações do autor.

Os advogados do autor rebateram a declaração da CD Projekt Red tentando apaziguar um pouco os ânimos mas defendendo as reivindicações de Sapkowski:

“A breve análise apresentada acima de forma alguma exaure o conjunto de argumentos e evidências em nossa posse. Estamos cientes do fato que a reivindicação do autor expressa aqui não é um pedido típico, e que exigir o pagamento de milhões de dólares não é uma ocorrência diária. No entanto o caso vem sendo preparado há algum tempo e o autor está ciente dos cenários que podem se desdobrar dependendo de suas ações. Tanto nós como o autor estamos determinados e preparados para seguir com este assunto até uma conclusão bem sucedida.”

A CD Projekt Red com certeza pagou um preço que considerava justo pelos direitos de The Witcher na época de sua compra, há mais de 10 anos, mas esse valor não é nada comparado ao valor que a franquia tem hoje. Mas claro, The Witcher só atingiu o patamar que atingiu por conta dos esforços e competências da CD Projekt Red.

O que vocês acham? As reivindicações de Sapkowski são justas?

Gostou do post? Curta nossa página no Facebook e receba todas as nossas últimas novidades!

Gostou? Compartilhe!


Você já ouviu o Critical Cast dessa semana?


Por muitos anos Ceraldi foi um dos responsáveis pela maior comunidade de Resident Evil da América Latina. Hoje, além de trabalhar como UI/UX Designer, se dedica (menos do que gostaria) ao Critical Hits e tentar cumprir seu papel de pai de família em meio à gatos, bacon, video games, séries, futebol e NBA.