[BGS 2013] Entrevista: Skylanders: Swap Force com Eric Carter

Chegamos à nossa última entrevista da BGS 2013 conduzida por mim (ainda há algumas que o Lucas fez e que serão postadas em breve): Skylanders: Swap Force, um jogo que me surpreendeu bastante na feira. A conversa com foi Eric Carter, da Vicarious Visions.

Critical Hits (Eric Arraché): Olá, Eric, tudo bem com você?

Eric Carter: Tudo sim, Eric, e com você?

C.H..: De onde surgiu a ideia de criar um jogo onde você poderia levar brinquedos do mundo real para dentro do videogame?

E.C.: Sabe, essa é uma daquelas ideias que nós sempre tivemos e que a tecnologia finalmente nos permitiu fazer. Até você ver o jogo funcionando, você pensa “é… ok, tá bom…” e da primeira vez que você coloca o jogo para funcionar tudo parece muito mágico, pois você finalmente vê o boneco dentro de um jogo e pode controlá-lo.

C.H..: Pois então, isso é algo que, imagino eu, todos nós fizemos quando crianças, imaginar nossos brinquedos vivos e poder interagir com eles, tipo em Toy Story.

E.C.: Verdade, e agora nós finalmente podemos fazer isso!

C.H.: E qual foi a principal adição feita em relação aos outros jogos em Skylanders: Swap Force?

E.C.: Esse é o primeiro jogo em que a Vicarious Visions trabalhou de fato (até então, eles eram responsáveis pelas versões de 3DS do jogo). Bom, há algumas adições importantes que nós fizemos, a primeira delas é agora nós podemos separar os bonecos do jogo ao meio e juntar as pernas de um com o tronco de outro, combinando as habilidades deles e assim proporcionando uma série de combinações novas para vocês dentro do jogo.

(Após essa explicação, Eric me mostrou um pouco como o gameplay do jogo funcionava no Xbox 360. Ele juntou pedaços de dois personagens e ficou explorando um pouco cenário e destruindo coisas com ele, e depois inserindo novos personagens no jogo.)

C.H.: De onde saiu a inspiração para criar esses personagens de Skylanders? Exceto Spyro (um dos personagens principais do primeiro jogo), e esse aqui, que me lembra um pouco aqueles inimigos de Mega Man, todos os outros são originais.

E.C.: Uma das coisas legais de criar personagens e níveis para Skylanders, é que nós temos bastante liberdade para criar esses personagens. Você pode vir e dizer “imagina que legal uma galinha que solta raios pelos olhos e tem um furacão nas pernas?”, além disso nós temos Spyro e outros personagens muito legais aqui. Basicamente, nós pudemos adicionar ao jogo qualquer coisa que viesse na cabeça e porque a Skylands é tão diversa, todos esses personagens combinam.

O legal disso tudo é que os times desenvolvendo Skylanders se comunicaram bastante durante o processo de desenvolvimento do jogo. Às vezes o pessoal do level design vinha e dizia “ok, nós temos isso, aquilo e aquela outra coisa e precisamos de um personagem para isso”, daí o pessoal que criava os personagens ia e fazia algum personagem que atendesse aos pré-requisitos. Às vezes era o contrário, então todo mundo acabou participando do processo criativo desses personagens, direta ou indiretamente.

C.H.: É possível misturar partes dos novos personagens com os antigos?

E.C.: Não… isso não é possível. Na história de Skylanders, esses novos personagens foram os que ganharam as novas habilidades apenas, então os personagens antigos não podem participar dessa troca de partes de corpo.

C.H.: O jogo parece bastante amigável tanto para crianças quanto para adultos. Foi essa a ideia ao desenvolvê-lo?

E.C.: Isso mesmo, um dos principais desafios de Skylanders foi tornar o jogo interessante tanto para crianças quanto para adultos, para que pais possam jogar com seus filhos. Quando eu era mais novo, eu lembro que passava o dia inteiro em cima do meu Nintendo e os meus pais vinham e só ficavam olhando, eles não se interessavam pelos jogos ou achavam eles difíceis demais para jogarem comigo, então, com Skylanders, um dos nossos principais objetivos foi isso, tornar o jogo acessível tanto para pais e filhos, para que isso acaba tornando-se um momento familiar.

C.H.: Você joga videogame com seus filhos?

E.C.: Bom, eu tenho uma filha e ela tem apenas um ano de idade, então ela é meio nova para isso ainda, mas ela já mexe no meu iPad, brinca com alguns jogos para a idade dela e eu espero que no futuro possamos fazer isso.

C.H.: Skylanders começou como um Spin-Off de Spyro, certo? Há algum plano de trazer outros personagens licenciados para o jogo além de Spyro, tipo o cachorro de Call of Duty: Ghosts?

E.C.: (risos) Não, não há planos para isso, mas nós não podemos prever o futuro, então, quem sabe?

C.H.: (risos) Obrigado pelo seu tempo, Eric

E.C.: Obrigado você.

Além dessas perguntas, eu fiz uma à assessoria de imprensa da Activision sobre o preço do jogo, pois um dos pontos negativos citados em reviews lá fora é que o jogo custa 60 dólares e vem com uma quantidade X de bonecos, mas para acessar certas áreas extras do jogo, é necessário comprar mais bonecos, e para ter todos, há um certo investimento de dinheiro, algo que é meio escasso aqui no Brasil.

A resposta deles foi que eles estão trabalhando para trazer o jogo aqui para o Brasil com o menor preço possível, e que o jogo pode ser concluído com o Starter Pack, mas que há planos de trazer os outros bonecos também.

Publicado por

Este website utiliza cookies. Para mais informações, consulte nossa política de privacidade.

Leia nossa política de privacidade