Categorias: Artigos

5 jogos de ação que não precisam ser violentos

A vasta maioria dos jogos de ação hoje em dia não dão muita escolha para os jogadores em como passar pelos inimigos: na violência. Seja na porrada, dando tiro, atropelando ou seja lá como, normalmente esse é o caminho que os jogadores têm que escolher.

No entanto, existem alguns títulos que permitem que o jogador vá do início ao fim da campanha sem causar um óbito se quer. Ou, no pior dos casos, eliminar apenas o chefão ou algum inimigo obrigatório. Claro, isso vai fazer o jogo incrivelmente mais difícil, mas é possível. Vamos lá?

Metal Gear Solid 2: Sons of Liberty

A adição da arma de tranquilizantes em Sons of Liberty fez com que a franquia mudasse completamente. Claro, era possível terminar os jogos anteriores na paz, mas ainda era necessário matar o chefão né? Além disso, os jogadores podem virar a espada para usá-la para nocautear os inimigos, evitando que mais uma família fique órfã de pai.

Mirror’s Edge

Nesse jogo, o “não-confronto” é inclusive encorajado pelo jogo. Afinal, normalmente os inimigos são mais fortes que Faith, além de estarem armados. Não que não seja possível dar umas porradas neles, mas isso atrasa o “flow” não é? Pensando nisso, a EA colocou formas de evitar basicamente todos os conflitos, seja por seguir os caminhos corretos ou por pegar os atalhos certos.

Hitman

Pode parecer estranho o jogo de um clone criado para matar possa permitir uma abordagem “pacífica”, mas é possível sim. Primeiro, você pode deixar passar todos os personagens que não são seus salvos. É bem difícil, e requer habilidade e paciência, mas é possível. Agora, com seus alvos, é sempre possível encurtar a vida deles de forma indireta. Afinal, um piano cair na cabeça de um inimigo pode ser só má sorte né? Ou alguém pode sempre se confundir e colocar gasolina no churrasco ao invés de molho, causando uma explosão. Enquanto isso, o Agente 47 pode estar tranquilamente saindo de cena numa boa.

Dishonored

O jogo da Bethesda é bem interessante pelo fato de que ele se modifica de acordo com a abordagem que o jogador escolhe. Não entraremos nos méritos do que muda, mas o fato é que o jogo, talvez de forma indireta, até incentiva que o jogador escolha a paz. A Arkane parece dar mais opções de jogo para essa estratégia. Menos vítimas da praga e ratos aparecem porque, obviamente, menos cadáveres estão deitados por aí. O herói Corvo acaba tendo mais aliados para ajudá-lo, e ser mais “diplomático” pode mudar até mesmo o final do jogo.

Thief: The Dark Project

Um jogo que pode ser considerado como uma das maiores influências de Dishonored, Thief também recompensa os jogadores por evitarem o derramamento de sangue. O design do jogo faz com que os jogadores aproveitem as sombras para se esconderem e avancem pelo mapa despercebidos pelos inimigos.

Quais são outros jogos que vocês conhecem que é possível completar sem derramar sangue? Comentem abaixo.

Este website utiliza cookies