Categorias: Anime

Estas são 7 curiosidades que você provavelmente não sabia sobre Dragon Ball GT

“Amado por uns, odiado por muitos”, talvez essa seja a melhor frase que define Dragon Ball GT, que por grande parte dos fãs é considerado a ovelha negra da franquia Dragon Ball.

Dragon Ball GT começou logo após o fim de Dragon Ball Z, trazendo uma perspectiva bem diferente do que muitos esperavam, Goku foi transformado em criança e diversos personagens que conhecemos na saga Z simplesmente foram deixados de lado para ter o foco quase integralmente em Goku, Pan e Trunks.

Embora não tenha sido muito bem recebido no Japão, o anime foi um pouco melhor aqui no ocidente, com muitos fãs defendendo que mesmo não sendo canônico, GT é uma das melhores sagas de Dragon Ball.

Por isso, resolvemos fazer uma lista com 7 curiosidades que você provavelmente você não sabia sobre Dragon Ball GT.

Goku foi transformado em criança para limitar os seus poderes

Um dos principais motivos para Goku ter sido transformado em criança em Dragon Ball GT foi para tentar driblar um problema que já havia ocorrendo em Dragon Ball Z, a sua incrível escala de poder. Assim, imaginando que seria difícil acreditar que qualquer ameaça fosse forte o suficiente para Goku após ele derrotar o Majin Boo, os produtores resolveram limitar os poderes de Sayajin do Goku o transformando em criança.

O significado de GT

Durante muito tempo os fãs se perguntaram qual era o real significado do “Z” em Dragon Ball Z. Alguns anos depois da estreia da série, Akira Toriyama explicou que o “Z” na verdade significa “Zenkai”, que pode ser traduzido como “Uma última vez”, já que o intuito era que essa fosse a saga que concluiria a franquia.

Quando Dragon Ball GT foi anunciado os fãs fizeram a mesma pergunta e a resposta oficial é que “GT” significa “Grand Tour”, se referindo a jornada do próprio anime, que é uma grande viagem espacial. No entanto, para alguns fãs GT também assumiu o significado de “Goku Time”, já que basicamente todos os outros personagens de Dragon Ball Z são praticamente esquecidos e o foco é totalmente no Goku.

O motivo da Pan não virá Super Sayajin

Outra grande crítica a Dragon Ball GT é o motivo da Pan, a filha de Gohan com Videl, não se transformar em Super Sayajin. Embora alguns fãs acusem a produção de sexismo, aparentemente o motivo era um pouco mais bobo, já que Akira Toriyama, o criador da franquia Dragon Ball, simplesmente não sabia como desenhar uma Super Sayajin feminina.

Sabemos que embora Dragon Ball faça um enorme sucesso, Toriyama as vezes é um pouco preguiçoso com os desenhos e esse é até um dos motivos para os Super Sayajin terem o cabelo loiro, pois ele não queria ter o trabalho de pintar os cabelos no mangá. A notícia boa é que felizmente em Dragon Ball Super ele superou essa barreira nos apresentando personagens como a Kefla e a Caulifla.

GT foi mais popular no ocidente do que no Japão

Dragon Ball GT durou apenas 64 episódios, e embora o anime não tenha feito muito sucesso no Japão, o público do ocidental amou a série, que se tornou uma espécie de “saga desconhecida” para os fãs. O próprio produtor de Dragon Ball: Raging Blast 2, Ryo Mito, confirmou essa infromação dizendo  que“GT é bem mais popular entre os fãs no exterior. No Japão, ele não é tão popular. ”

Todo o primeiro arco de Dragon Ball GT é uma grande homenagem a série clássica

Amigos juntos em uma grande aventura por terras desconhecidas e enfrentando poderosos inimigos em busca de reunir as 7 Esferas do Dragão. Com certeza você já ouviu essa narrativa, pois ela facilmente pode ser usada tanto para descrever a saga clássica de Dragon Ball como para o primeiro arco de Dragon Ball GT, onde Goku, Trunks e Pan, partem pelo universo em busca de reunir as Esferas do Dragão Negras para transformar Goku em adulto novamente.

O bizarro Dragon Ball GT: Final Bout

Com a inesperada popularização de Dragon Ball GT no ocidente, a oportunidade para criar mais produtos relacionados à franquia era obvia, e talvez um dos mais bizarros desses produtos foi o game Dragon Ball GT: Final Bout. O jogo foi desenvolvido pela TOSE e lançado pela Bandai exclusivamente para Playstation 1.

No entanto o resultado foi extremamente bizarro, além dos gráficos que são estranhos até mesmo para o PS1, a jogabilidade era travada e não havia qualquer tipo de história. O trauma foi tanto que o próximo jogo de Dragon Ball só foi lançado cinco anos depois.

Akira Toriyama esteve mais envolvido em Dragon Ball GT do que você imagina

Embora Dragon Ball GT não seja considerado canônico e parte dos fãs simplesmente odiar o anime, existe uma grande desinformação em relação a participação de Akira Toriyama.

A maioria acha que o anime foi desenvolvido exclusivamente pela Toei para continuar lucrando com a franquia, mas a verdade é que Toriyama também esteve extremamente envolvido com a produção, foi ele quem deu o nome ao anime, criou o visual do Giru e até fez as artes conceituais de vários planetas e dos seus habitantes.

Claro que o envolvimento dele foi bem menor se compara a Dragon Ball Z, mas dizer que GT é uma heresia pois não teve a participação de Toriyama é um completa mentira.

E aí o qeu acharam das curiosidades? Comentem aqui em baixo!

Essa lista foi inspirada em um artigo do ScreenRant.

Este website utiliza cookies