Categorias: Anime

Afinal, o que fez Near ser bem sucedido e L falhar em Death Note?

A maior parte da diversão de Death Note tanto no anime quanto no mangá é acompanhar a batalha de inteligência entre o assassino/protagonista Light Yagami e o resto dos investigadores do planeta tentando capturá-lo.

Entre os investigadores que falharam em desvendar o caso estava L, cuja astúcia o levou a resolver a verdadeira identidade de Kira mas apenas quando ele já estava em seus últimos momentos de vida.

Quem conseguiu realmente revelar que Kira era Light foi Near, mas apesar de ser também um personagem extremamente inteligente, ele não era considerado o maior detetive do mundo como L era. O que fez Near ser bem sucedido em Death Note numa tarefa que até L falhou?

Primeiro, L via Light como um amigo. O conflito de interesse não fez com que seu julgamento fosse diferente, mas fez com que L tivesse dificuldade em colocá-lo como vilão.

L também não acreditava na existência dos shinigami, o que obviamente complicava as suas investigações, uma vez que ele simplesmente ignorava uma parte importante da história.

Por fim, L não teve sorte. Ele não encontrou Naomi Misora no começo, o que teria basicamente colocado as coisas em andamento muito mais rapidamente. Naomi teria levado a situação do ônibus para L e assim que ele soubesse que Light estava naquele ônibus o caso seria praticamente desvendado.

Já Near teve boa parte de seu serviço feito por Mello, e eles praticamente chegaram na mesma conclusão de que Light estava mentindo e fingindo ser L de maneira incompetente.

Mas foi Mello descobrindo informações sobre Light ao confrontar Shuichiro que levou Mello aos agentes do FBI mortos no Japão, incluindo Raye Pamber – um homem que investigava Light e teve uma misteriosa morte do coração.

Mello até mesmo conseguiu ler as regras do Death Note e conseguiu fazer a conexão direta entre Kira e Light, mas não tinha como provar além da dúvida razoável.

Mas ao contar tudo que sabia na Base SPK, Mello colocou Near na direção certa para o sucesso, visto que ele tinha todas as ferramentas mas precisava de alguém mais furtivo que ele para conduzir as investigações.

Mello inclusive percebeu que Light estava utilizando Misa para recrutar membros e conseguiu avisar Near antes de morrer.

Outra coisa importante é que Light já estava completamente embriagado com seu próprio poder e complexo de Deus, o que fez que ele cometesse raros erros  – algo que pouco aconteceu durante a investigação de L.

L foi o detetive mais genial, mas ficou preso justamente onde nenhum detetive deveria ficar: suas crenças e preconceitos. Near teve toda a história rodando a seu favor, incluindo uma confissão completamente psicopata do próprio Light, quando ele se viu em uma situação complicada.

Este website utiliza cookies