Categorias: Reviews

The Walking Dead: Michonne: Episódio 1 – In too Deep – Review

A Telltale acertou em cheio com The Walking Dead, e desde então tem tentado recapturar aquela magia. A segunda temporada realmente me decepcionou bastante, e eu fiquei feliz em não ter um The Walking Dead novo para jogar em 2015. Como a terceira temporada da série ainda não foi anunciada, a companhia aproveitou para lançar essa minissérie, contando um pouco mais sobre a história de uma das personagens mais interessantes da série (e, se duvidar, do próprio universo de séries, jogos e afins) e o que acontece com ela quando ela decide afastar-se do grupo de Rick na edição 126 de The Walking Dead. Será que o jogo consegue ser original ou somente mais um repeteco de coisas que a Telltale sempre faz?

A história começa de uma maneira bem interessante, e eu prometo não contar spoilers sobre ela, mas, até para quem nunca leu muito das HQs (que contam uma história bem diferente da que a série da AMC traz) ou assistiu à série (e eu realmente não entenderia porque diabos você resolveu começar por aqui), é possível ficar interessado em Michonne. A personagem está vivendo um momento difícil, e não para de confrontar os próprios demônios dela, quando acaba encontrando um novo grupo de sobreviventes, que vive num barco.

Logo após isso, Michonne e os outros encontram sobreviventes que poderiam ou não estar em perigo. Isso, somado ao fato do barco ser avariado, acabam fazendo você sair da sua situação de segurança e ir aventurar-se no desconhecido. O que acontece depois? Obviamente que acontecem complicações, e aqui nós entramos no primeiro clichê da Telltale. Por Michonne ser a personagem mais overpower de The Walking Dead, é óbvio que você não iria poder sair por aí brandindo a sua machete na cara dos inimigos por muito tempo. Ainda assim, é bem legal quando isso acontece, já que Michonne destrói os walkers que sempre te dão trabalho com personagens mais fracos.

Após esse encerramento da ação, você cai novamente nos jogos tradicionais da Telltale, ou seja, ver diálogos, escolher opções em conversas e ver que as pessoas vão lembrar como você deixou elas com cara de bunda por responder algo das opções pré-determinadas. Algo que é possível notar nesse episódio, é que esse é um dos capítulos com menos opções reais que você tem em quase todos os adventures que a companhia já lançou. Você é basicamente limitado a respostas e a uma ou duas seleções realmente cruciais para o andamento da história.

Além de Michonne, o jogo ainda conta com pelo menos um ou dois personagens que são interessantes, Norma e Pete. Pete foi quem encontrou Michonne após ela deixar Rick e companhia, e Norma parece ser a grande antagonista dessa minissérie, mas você conhece pouco sobre eles durante esse capítulo, já que, as quase duas horas de The Walking Dead: Michonne são praticamente uma introdução ao que está por vir (apesar de que o que está por vir no fim das contas são apenas mais dois capítulos, eu acho que a história tinha que ter andado um pouco mais).

No mais, os gráficos do jogo continuam sendo exatamente os mesmos dos últimos games da companhia, assim como a jogabilidade. O grande ponto positivo de The Walking Dead: Michonne certamente é a dublagem de Samira Wiley. Ela captou a essência da personagem, e você realmente consegue se sentir dentro da cabeça de Michonne, algo muito legal, afinal de contas, ela não é a personagem mais comunicativa dentro do universo de The Walking Dead. É bom saber o que ela está pensando.

Resumo para os preguiçosos

The Walking Dead: Michonne – In too Deep traz a introdução de uma história e alguns personagens interessantes para compor o elenco. É legal pra caramba viver dentro da cabeça da melhor personagem de The Walking Dead, mas o jogo pouco avança e cai em vários dos clichês de narrativa da Telltale. O jogo me deixou interessado em saber o que vai acontecer nos próximos capítulos, mas o caminho até lá não foi tão sensacional assim.

Nota final

70
Saiba mais sobre os nossos métodos de avaliação lendo o nosso Guia de Reviews.

Prós

  • Saber o que se passa dentro da cabeça de Michonne é muito legal
  • Os personagens introduzidos na trama são interessantes

Contras

  • Poucas escolhas e surpresas nesse capítulo
  • Vários clichês de narrativa da Telltale

Este website utiliza cookies