Categorias: GamesReviews

Rocket Arena – Review

Desenvolvido pela Final Strike Games e publicado pela Electronic Arts, Rocket Arena é um novo título Multiplayer que envolve confrontos entre trios. No entanto, diferente de outros jogos de tiro em 3ª pessoa, seu objetivo desta vez simula um cenário parecido com Smash Bros – de acordo com a visão da Final Strike. Ao invés do habitual confronto que culmina na morte dos personagens, em Rocket Arena, seu objetivo é arremessa-los para fora do mapa, afim de cumprir algum objetivo ou simplesmente marcar mais pontos para sua equipe.

Nós do Critical Hits fomos prestigiados pela Electronic Arts com uma cópia do game, e aqui, você descobrirá se realmente vale a pena se aventurar em Rocket Arena. Sem mais delongas, confira nossa análise logo abaixo!

Uma essência incomum, mas atrativa

À primeira vista, Rocket Arena pode não parecer “grande coisa“, mas não se engane, pois o game é mais divertido do que parece. Ao colocar 6 jogadores em uma arena, cada partida adota um ritmo frenético sem igual. Seu objetivo, de forma geral, é evitar ser arremessado para fora do mapa, enquanto revida com artilharia pesada. No entanto, há mais do que um único modo de jogo, e apenas o modo Nocaute gira em torno de eliminações diretas – praticamente um “Team Deathmatch“.

Em termos de personagens, Rocket Arena possui uma gama interessante, mas seu elenco não é tão robusto quanto outros títulos Multiplayer. Inclusive, por estarmos apenas em sua primeira semana – considerando o lançamento dia 14 de Julho – ainda resta um longo caminho até que o game aglomere uma quantidade maior de personagens. No momento desta análise, Rocket Arena conta com 10 Desafiantes selecionáveis, mas a Final Strike Games já garantiu a chegada de outros – conforme as temporadas progridem. Em minha experiência, 10 Desafiantes foi o suficiente para garantir algumas boas horas de diversão, e dominar as habilidades de cada um é uma tarefa mais complicada do que aparenta.

O game possui 4 modos diferentes, sendo eles: Foguetebol, Nocaute, Megafoguete e Caça ao Tesouro. Estes, por sua vez, são todos os formatos que envolvem partidas 3×3 entre jogadores reais. Por outro lado, também temos o famigerado Ataque dos Robôs, que se trata de uma espécie de Horda envolvendo 3 jogadores contra um exército de robôs controlados por IA. No caso deste último, é a oportunidade perfeita para aprimorar suas habilidades, mas o modo não apresenta um desafio considerável.

Ritmo de jogo frenético

Rocket Arena se faz valer, essencialmente, em seu ritmo frenético de jogo. Enquanto jogava algumas partidas – fossem casuais ou ranqueadas – houveram diversas ocasiões acirradas que me fizeram desenvolver um certo vínculo com o game. Por exemplo, marcar um gol em Foguetebol durante a prorrogação, é uma sensação incrível. Mas não somente isso, como as partidas de Megafoguete também se tornam bastante acirradas, graças ao formato de captura dos pontos.

Infelizmente, tal como qualquer outro jogo Multiplayer, sua diversão em Rocket Arena depende do desempenho de outros jogadores. E como bem sabemos, uma experiência que não deriva inteiramente de nossas habilidades, tende a render momentos frustrantes. Caso seu time não coopere, não há muito o que fazer, e a tendência é que você perca partidas em sequência. Além disso, também não há como “carregar” seu time, considerando que os 3 jogadores adversários podem simplesmente se unir e atacar um alvo por vez. Consequentemente, é necessário um pouco de sorte (na maioria dos casos) para atrair jogadores que saibam o que estão fazendo.

Pelo fato de Rocket Arena possuir 10 Desafiantes interessantes, testar todos pode se mostrar proveitoso. Embora eu não tenha desenvolvido apreço por muitos dos personagens apresentados, alguns como Blastbeard, Topnotch, Rev e Mysteen tornaram cada partida divertida e acirrada. E isso porque, esses 4 Desafiantes foram os que mais se encaixaram no meu estilo de jogo. E embora não exista especificamente “classes” em Rocket Arena, cada personagem possui vantagens que derivam da movimentação, dano, controle de pontos e outros atributos. Logo, explorar o elenco do jogo pode se mostrar mais benéfico do que parece.

Gráficos, conteúdo e outros adicionais

Por estar apenas em sua pré-temporada inicial, não há como negar que falta conteúdo para Rocket Arena. Por exemplo, os 10 Desafiantes podem ser desbravados em apenas um dia, e caso você não tenha se afeiçoado a nenhum deles, dificilmente continuará jogando o game. Além disso, em termos de conteúdo cosmético, há pouquíssima variedade que realmente diferencia o visual dos personagens, especialmente para aquisições que não utilizam a moeda real do game – denominada “Combustível“. Embora seja fácil adquirir o dinheiro corrente de Rocket Arena, facilmente você percebe que não há muito incentivo em gasta-lo, considerando que não há muitas opções para cada personagem. Inclusive, no que diz respeito aos trajes, compensa muito mais investir na jogatina e habilitar os prêmios por nível do que efetivamente comprar roupas novas.

Com relação aos gráficos do game, Rocket Arena traz um estilo “cartoonizado” que condiz com a proposta do game. Não há nenhuma inovação ou qualquer elemento que vá além do esperado em um jogo 3×3 Multiplayer. Os mapas são bem desenhados, e dificilmente se tornam motivo de frustração, considerando que possuem várias opções de abordagem tanto para ataques quanto defesa. Já no caso da trilha sonora, não há o que comentar,, visto que a mesma não se faz tão presente.

Quanto as recompensas de jogo, o maior diferencial gira em torno dos “artefatos“, que nada mais são do que itens que conferem bônus para diferentes finalidades em cada personagem. Desta forma, você pode construir “builds” onde o dano de seu Desafiante será maior do que o habitual, ou o mesmo terá mais resistência, e por aí vai. Se tratando dos artefatos, há uma boa variedade para testar e adaptar diferentes combinações.

Vale a pena investir em Rocket Arena?

Infelizmente, por ser um jogo pago, Rocket Arena transmite a sensação de ser “mais caro do que deveria“. Não que o título não seja atrativo, ou não tenha potencial, mas com outros jogos gratuitos no mercado – visto Call of Duty Warzone, Brawhalla e outros – parece que o game da Final Strike sai em desvantagem no quesito investimento. Certamente, a longo prazo, existe um potencial enorme para desenvolver um cenário competitivo que foge do habitual. No entanto, apenas o tempo dirá se o game realmente manterá esse formato energético e empolgante, ou se facilmente será levado ao esquecimento.

Vale ressaltar que a primeira temporada oficial começará em breve, e talvez – com a chegada do conteúdo extra – Rocket Arena tenha uma sobrevida digna de renome. Em todo caso, este é um game recomendado para aqueles que estão cansados das propostas de shooters habituais, e ao mesmo tempo, traz uma atmosfera de combate que mescla Smash Bros com um third person shooter estiloso.

Rocket Arena já está disponível para Xbox One, PS4 e PC’s, e inclusive, conta com Crossplay ativado desde seu lançamento.

Resumo para os preguiçosos

Rocket Arena é uma espécie de Smash Bros que encontrou Quake no meio do caminho, e embora tenha muito potencial, ainda carece de uma boa dose de conteúdo para manter os jogadores interessados.

Nota final

70
Saiba mais sobre os nossos métodos de avaliação lendo o nosso Guia de Reviews.

Prós

  • Partidas frenéticas
  • Personagens interessantes
  • Modos de jogo divertidos e acirrados

Contras

  • Gráficos simples
  • Trilha sonora praticamente inexistente
  • Falta de recompensas com maior impacto

Este website utiliza cookies