Pokémon Omega Ruby & Alpha Sapphire – Review

Era uma vez uma franquia com cento e cinquenta monstros que tomaram o mundo dos portáteis de assalto e que acabou virando um dos sinônimos de Nintendo. Por aqui pelo Brasil, ela foi extensivamente jogada em emuladores e afins, principalmente no começo dos anos 2000. Por algum motivo, na geração do DS ela meio que caiu em esquecimento, pelo menos na minha vida. Eis que Pokémon X & Y foi lançado no ano passado e a franquia retornou à minha vida, juntamente com a emoção de capturar monstros, batalhar por aí e tudo mais. Apesar de seus problemas, Pokémon X & Y foi um grande jogo. Pokémon Alpha Sapphire & Omega Ruby é tudo o que X&Y foram, com bem menos problemas.

Em Pokémon Alpha Sapphire & Omega Ruby você basicamente revive a mesma ladainha de sempre: você é uma criança que num belo dia torna-se treinador pokémon e sai pelo mundo (dessa vez na região de Hoenn) para tornar-se o melhor de todos os tempos, vencer a Elite dos Quatro, ter alguma surpresa no caminho e derrotar sozinho um grupo terrorista que muito bem poderia ter te dado um tapa na orelha e te mandado correndo pra casa na primeira oportunidade (não fosse o fato de você ter seis guarda costas que poderiam destroça-los em pedaços caso eles tentassem isso).

Por se tratar de um remake, Alpha Sapphire & Omega Ruby não tenta inovar e sim modernizar um jogo que já era muito divertido no Game Boy Advance. À primeira vista, você acha que está jogando X & Y novamente, já que os gráficos, a jogabilidade e tudo mais são exatamente os mesmos. Isso porque, obviamente, Alpha Sapphire & Omega Ruby roda na engine de X & Y. Eu não vou mentir, não há grandes inovações no jogo e sim apenas tweaks e novidades para fazer o conteúdo durar mais após o fim do jogo, ao invés de você apenas computar horas e mais horas andando na praça de Louminose City tentando chocar o ovo do Pokémon perfeito.

Para começar, o jogo ganha um capítulo após o endgame, chamado de Delta Episode, onde você explora as Mega Evoluções e as raízes dela. Como vocês sabem, uma das grandes novidades do ano passado foram as Mega Evoluções, um estagio novo de evolução que dura a luta toda e que deixa o seu Pokémon mais Vem monstro ainda do que ele já era. Apesar dessa novidade, o jogo realmente não falava muito sobre ela, era só “toma aqui mais uma maneira de vencer a luta mais rápido ainda” e pronto. Parece que só deu tempo deles criarem algo concreto envolvendo essa novidade agora, um ano após a introdução dela.

Outra novidade que eu achei engraçada pra caramba foi a possibilidade do seu personagem se esgueirar nas gramas altas para encontrar Pokémons que ele não havia encontrado ainda em certa parte do cenário. A parte engraçada é porque a movimentação dele andando pé por pé é hilária, e isso acaba facilitando a sua vida na hora de conseguir os oito mil Pokémons diferentes que a Nintendo criou desde o primeiro título de Game Boy.

A conectividade, que era um ponto forte de X & Y, também voltou com força em Alpha Sapphire & Omega Ruby. Um exemplo disso é o fato de você poder compartilhar a sua Secret Base com amigos por QR Codes, Wifi ou StreetPass. Lembra que dava pra criar uma casinha com bonecos, mesas e tudo mais? Agora outras pessoas podem vê-la também sem você precisar mostrar o seu Game Boy Advance pra elas. Além disso, os concursos de Pokémon também voltaram ao game, e agora eles influenciam também na felicidade da sua criatura e na forma como ela luta, sendo mais um local onde você pode passar bastante tempo.

Graficamente, o jogo está exatamente igual a X & Y. É legal ver como a Nintendo reimaginou o jogo 2D em três dimensões, e há algumas cenas que ficaram bem legais, mas, no geral, nada que vá impressionar quem está acostumado com visuais em 720 ou 1080p, afinal de contas, o Nintendo 3DS está longe de ser um portátil com hardware de ponta, e o objetivo da Nintendo nunca foi esse também. O jogo tem uma estética própria e segue ela fielmente, criando ambientes agradáveis e nunca ficando lento.

A trilha sonora do jogo ficou bem legal, tanto nas músicas quanto nos efeitos especiais. Vale ressaltar que o jogo não foi localizado para o português, ou seja, menus, itens, diálogos e afins são apenas em inglês.

Resumo para os preguiçosos

No geral, dá pra dizer que Pokémon Alpha Sapphire & Omega Ruby é um X & Y “.5”, ou seja, uma atualização com várias coisas que poderiam ter pintado no jogo do ano passado, se a Nintendo tivesse dado mais um ano de desenvolvimento a ele. Claro que se formos falar dessa forma, jogos nunca seriam lançados já que sempre cabe mais uma novidade. Justifica uma compra totalmente nova? Se você gostava de Alpha Sapphire & Omega Ruby, totalmente, mas se você não é tão fã assim de Pokémon (e tem alguém assim que ainda compre os jogos?), talvez seja melhor deixar esse de lado.

Nota final

85
Saiba mais sobre os nossos métodos de avaliação lendo o nosso Guia de Reviews.

Prós

  • Várias funcionalidades melhoradas
  • Ficou mais fácil de capturar os Pokémon que estão faltando
  • Nada como matar a saudade do Mudkip

Contras

  • As diferenças em relação a X&Y são bem sutis. Este está longe de ser um capítulo que reinventa a série.
Eric Arraché

Eric Arraché Gonçalves é o Fundador e Editor do Critical Hits. Desde pequeno sempre quis trabalhar numa revista sobre videogames. Conforme o tempo foi passando, resolveu atualizar esse sonho para um website e, após vencer alguns medos interiores, finalmente correu atrás do sonho.

Publicado por

Este website utiliza cookies. Para mais informações, consulte nossa política de privacidade.

Leia nossa política de privacidade