Moon Chronicles: Chapter 1 – Review

A Renegade Kid foi conhecida na época do Nintendo DS por desenvolver bons FPS para o portátil. Com títulos como Dementium: The Ward e Moon, a companhia foi uma das únicas a investir no gênero, e essa tradição volta novamente, com o primeiro FPS do 3DS, quase 3 anos após o seu lançamento.

Moon Chronicles é um remake desse segundo título que está sendo liberado de forma episódica no 3DS, mas que talvez seja prejudicado pela forma de negócio usada no jogo.

Em Moon Chronicles, você controla um personagem chamado Major Kane, que foi enviado à Lua para descobrir o que são as escotilhas encontradas no nosso satélite natural. Como era de se esperar, algo dá errado e os cientistas e astronautas presentes lá acabam liberando uma ameaça que coloca a vida de todos em risco.

O jogo começa com um tutorial bem breve que te mostra como os controles do jogo funcionam. Aqui, há a opção de usar tanto o Circle Pad Pro quanto a Stylus para controlar o seu personagem, sendo o segundo esquema algo que lembra um pouco Metroid Prime Hunters para o Nintendo DS.

Infelizmente, as opções de customização do controle do jogo são bem poucas, e eu achei os controles do Circle Pad sensíveis demais, o que acabou me rendendo algumas mortes logo no começo do jogo, onde há uma série de cutscenes que não podem ser puladas. Além das mecânicas de tiro, Moon Chronicles ainda te dá acesso a um droid em miniatura, que serve para acessar áreas inacessíveis por Kane, algo que é uma bela adição ao gameplay.

O jogo todo funciona num esquema que lembra bastante Metroid Prime Hunters. A jogabilidade funciona bem e os inimigos apresentam um bom nível de desafio.

Graficamente, o jogo recebeu uma atualização em relação à versão de Nintendo DS, mas o jogo continua parecendo meio feio, pra falar a verdade. Os visuais parecem mais um meio termo entre o PlayStation e o Dreamcast, e poderiam ter sido melhor trabalhados no remake. Já o som do jogo realmente me incomodou. As músicas parecem querer dar a impressão de “futurismo pensado nos anos 50” e acabam incomodando mais do que ajudando a criar um clima de suspense que o jogo poderia oferecer.

Infelizmente Moon Chronicles tem um sério problema que é mais culpa de uma decisão de negócios do que defeito técnico mesmo. Como eu havia dito, Moon Chronicles é desenvolvido de forma episódica. O jogo contém 4 episódios, e a Renegade Kid decidiu cobrar preços diferentes por eles. O primeiro custa 9 dólares e os outros três custam 2 dólares cada. ao todo, você paga 15 dólares, o que não é nada mal, não é? Exceto pelo fato do primeiro capítulo do jogo ter 1 hora.

Essa decisão acaba colocando um preço meio alto para atrair os jogadores para o game. Se a Renegade Kid tivesse dividido melhor os preços (quem sabe cobrando o mesmo para todos os capítulos), isso talvez não fosse um problema, mas 9 dólares pelo que esse capítulo inicial tem a oferecer acaba sendo bem pouco.

Além da aventura principal, o jogo ainda oferece algumas VR Missions que adicionam cerca de outra hora ao jogo, mas a sensação continua sendo de que você pagou demais por diversão de menos. Pode ser que Moon Chronicles se redima nos próximos episódios (ainda mais a 2 dólares cada), mas enquanto eles não saem, talvez seja melhor esperar por uma promoção ou algo do tipo.

Resumo para os preguiçosos

Moon Chronicles é o primeiro FPS do Nintendo 3DS e não decepciona nesse sentido. O jogo vai despertar boas memórias em quem gostava de Metroid Prime Hunters, por exemplo, mas infelizmente apresenta pouco tempo de diversão pelo preço de entrada na série que ele cobra.

Nota final

60
Saiba mais sobre os nossos métodos de avaliação lendo o nosso Guia de Reviews.

Prós

  • Boa jogabilidade e diversão

Contras

  • Os gráficos poderiam ser melhores
  • Música de fundo bem chata
  • 1 hora de diversão por 9 dólares é meio caro
Eric Arraché

Eric Arraché Gonçalves é o Fundador e Editor do Critical Hits. Desde pequeno sempre quis trabalhar numa revista sobre videogames. Conforme o tempo foi passando, resolveu atualizar esse sonho para um website e, após vencer alguns medos interiores, finalmente correu atrás do sonho.

Publicado por