InícioGamesLies of P – Análise – Vale a Pena – Review

Lies of P – Análise – Vale a Pena – Review

Lies of P chega com a difícil missão de fazer frente a enxurrada de jogos Souls-Like que tomou conta do mercado, mas conseguir se destacar nesse meio após Elden Ring não é uma tarefa fácil, e hoje vamos ver se o estúdio Neowiz conseguiu essa façanha com a análise de hoje.

Desde a ascensão do gênero Souls-Like, muitos estúdios tentaram copiar a fórmula de Dark Souls e fazer o seu próprio Souls de sucesso, e apesar de alguns terem conseguido criar jogos divertidos, a maioria não conseguiu replicar verdadeiramente o que a From Software faz, mas Lies of P é o ápice dessas tentativas e onde finalmente conseguiram acertar totalmente em um Souls-Like que não foi produzido pela From Software.

Antes de mais nada, preciso dizer que sou um fã apaixonado pelos jogos da From Software, e apesar de amar Souls-Like, pode-se dizer que sou meio “purista”, pois quase nenhum outro jogo que foi produzido por outros estúdios foi divertido para mim, mas Lies of P chega mudando isso e você definitivamente deveria ficar de olho nesse jogo no meio dessa enxurrada de lançamentos do fim de ano.

E como o jogo funciona?

Lies of P – Análise – Vale a Pena – Review
Reprodução: NEOWIZ STUDIOS

O mundo de Lies of P foi inspirado nas histórias do Pinóquio e se passa em uma cidade onde marionetes conviviam em paz com os humanos e prosperavam dentro da cidade.

Marionetes em sua fabricação eram “programadas” para não machucar humanos de forma alguma e também não podiam mentir, mas um dia uma grande “frenesi” aconteceu e enlouqueceu quase todas as marionetes da cidade de Krat, que começaram uma chacina contra os humanos. Ao mesmo tempo, uma nova doença se espalhou e colocou a cidade em quarentena, fazendo com que tudo virasse um completo caos.

É no meio desse caos que o jogo começa, com uma pessoa chamada Sophia acordando o protagonista e pedindo a ajuda dele para resolver todos esses problemas. Nós somos uma Marionete especial e provavelmente a primeira capaz de mentir, somos chamados de “a obra prima de Gepetto”.

Ao acordarmos, o jogo nos da a opção de escolher entre 3 classes distintas, que são basicamente força, destreza e uma quality build que mistura um pouco dos dois. O tutorial do jogo faz um bom trabalho te apresentando todas as mecânicas de combate e rapidamente deixa o jogador familiarizado com os controles.

Lies of P não tem medo algum de se inspirar claramente nos jogos da From Software, principalmente em Bloodborne, que foi a grande inspiração para esse jogo. O combate é extremamente parecido com os de jogos da From Software, o que é algo extremamente positivo e é muito prazeroso o feeling de acertar os inimigos, encaixar um dano crítico ou conseguir um parry perfeito.

Lies of P – Análise – Vale a Pena – Review
Reprodução: NEOWIZ STUDIOS

Mas não é só de “inspiração” que um jogo se sustenta, as novidades do combate de Lies of P fazem o jogo se tornar único e o diferenciam bem dos outros Souls-Like. Ao começar pela coisa mais legal do jogo que são as armas, temos um total de 40 armas únicas e é possível separar a lâmina e o cabo de praticamente qualquer uma delas (com exceção de armas de chefes) e fazer um número gigantesco de combinações.

O cabo é responsável pelo moveset e as escalas da arma, enquanto a lâmina determina o tipo de dano e o quão pesada a arma vai ser, além do quão longe você vai conseguir acertar com ela. Esse sistema permite soltar a criatividade do jogador e criar armas bem divertidas, podendo pegar um cabo focado em destreza e colocar lâminas colossais, criando bizarrices bem engraçadas e divertidas de se jogar.

O braço esquerdo da nossa marionete também é um diferencial e tanto, ele funciona mais ou menos como o braço de Sekiro e te permite adicionar coisas bem legais nele que mudam bastante a gameplay. Existem braços de impacto onde Pinóquio causa uma grande quantidade de dano com um soco bem dado, braços que causam dano elemental como fogo e raio, também é possível colocar um escudo e até mesmo uma pistola, ao maior estilo Bloodborne.

O combate do jogo

Lies of P – Análise – Vale a Pena – Review
Reprodução: NEOWIZ STUDIOS

Lies of P conseguiu trazer a verdadeira essência do combate de Bloodborne e ainda deixar ele ainda mais dinâmico. Bloodborne é conhecido pelo seu combate frenético e agressivo, onde pressionar o inimigo recompensa o jogador e faz ele recuperar a vida perdida. Em lies of P nós também temos essa mecânica de recuperar parte da vida caso devolvamos o dano do inimigo rapidamente.

Mas a agressividade não para por aí, o jogo está sempre te recompensando por ser agressivo quando está sem poções de vida, pois caso você acerte o inimigo várias vezes, um frasco de poção irá recarregar para você usar, deixando o jogo muito dinâmico e recompensando bem jogadores que gostam de agressivar.

O combate do jogo no geral está bem fluído e faz os jogadores de Souls-Like se sentirem em casa. A única exceção aqui é a esquiva, que apesar de terem melhorado ela em relação ao beta, ainda parece meio bizarra e não encaixa bem em muitas situações que deveria funcionar.

Até da pra melhorar a esquiva ao desbloquear certas habilidades que falaremos mais pra frente no review, mas essa ideia de precisar gastar pontos pra melhorar algo muito básico do jogo não funciona pro meu gosto, Dark Souls 2 fez a mesma coisa com o atributo de adaptabilidade e foi muito criticado por isso (com razão).

Lies of P – Análise – Vale a Pena – Review
Reprodução: NEOWIZ STUDIOS

Já o parry do jogo (aparar) funciona muito bem e é uma das mecânicas mais consistentes e confiáveis. Todos os inimigos tem uma barra de postura parecida com a de Sekiro e é possível quebrar essa barra causando muito dano rapidamente ou aparando ataques em sequência do inimigo no momento certo. Ao fazer isso, o inimigo irá tombar e vai ficar aberto para receber um ataque crítico, então use e abuse do parry e dos poderes do seu braço esquerdo para conseguir acertar um crítico rapidamente em seus inimigos.

A dificuldade geral do jogo está boa, Lies of P é punitivo, mas não é injusto, os chefes no geral são bem difíceis de enfrentar sozinho, mas quase todos eles tem uma invocação disponível que facilita horrores a luta, deixando a critério do jogador se ele vai querer uma ajuda e deixar o jogo mais fácil ou vai encarar alguns chefes que são extremamente desafiadores ao se jogar sozinho.

E por falar em chefes, vale destacar o quão bem feito eles são, incialmente você pode pensar que os inimigos do jogo vão se resumir a somente marionetes, mas o jogo tem uma quantidade enorme de inimigos diversos que variam entre humanos, marionetes, monstros horrendo e até mesmo zumbis, como tudo isso aparecendo gradativamente e no momento certo, sem deixar o jogador enjoar de um certo tipo de inimigo. Os chefes do jogo são muito bem feitos, com designs variados e estilos diferentes que vão fazer o jogador ficar pensando ativamente na melhor forma de derrotar ele.

Uma coisa que eu sempre quis que fosse melhor nos jogos da From Software são os itens arremessáveis, que no geral são bem inúteis e causam pouco dano. Foi uma felicidade imensa descobrir que em Lies of P eles não só são úteis, como são extremamente fortes. Portanto sempre olhe o que você tem disponível na sua mochila antes de lidar com certos inimigos, alguns arremessáveis são capazes de derreter completamente alguns inimigos que seriam difíceis de enfrentar.

Exploração e cenários

Lies of P – Análise – Vale a Pena – Review
Reprodução: NEOWIZ STUDIOS

Já no quesito de exploração e os cenários do jogo, Lies of P é praticamente impecável. Acredito que o maior erro de jogos que tentam copiar a fórmula da From Software é não conseguir fazer aquela exploração imersiva e mapas bem trabalhados, e Lies of P não comete esse erro e traz um design de mapa e uma atmosfera da cidade Krat que é digna do grandioso mestre Miyazaki.

O diretor do jogo, Jiwon Choi, já se declarou abertamente fã dos jogos da From Software e os classificou como “obras de arte”, detalhando em uma entrevista os desafios de se fazer um jogo capaz de bater de frente com a grandiosidade de Dark Souls e etc.

Ao jogar Lies of P, você percebe que ele não está mentindo e é um verdadeiro fã das obras do Miyazaki, pois foi um dos poucos que entendeu a verdadeira essência desses jogos e conseguiu transpor para o seu próprio jogo, com mapas bem trabalhados e atalhos super inteligentes em um nível bem parecido com o design do Dark Souls 1 e do próprio Bloodborne. A atmosfera melancólica, ambientação e a direção de arte magnifica do jogo parece ser algo que veio diretamente da mente perturbada do Miyazaki, e tudo isso faz os fãs de Souls-Like se sentirem em casa ao jogar Lies of P.

Uma das poucas reclamações nesse quesito é que o jogo é extremamente linear, faltou colocar algumas bifurcações e pequenas escolhas para o jogador. Ao chegarmos no Hub central do jogo, nós só temos um caminho para seguir e o jogo continua assim até o fim. Não existe um caminho alternativo que traz variedade para a gameplay, algo que sempre foi um charme de Dark Souls e Bloodborne.

Lies of P – Análise – Vale a Pena – Review
Reprodução: NEOWIZ STUDIOS

É muito importante explorar bem o mapa e conseguir ao máximo os itens de upgrade de arma e os Quartzo, que são itens usados para melhorar certas habilidades do jogador.

Após acharmos Gepetto bem no começo da história, é possível usar Quartzo para alterar os órgãos de Pinóquio e dar novas habilidades para ele, como frascos de cura a mais, melhora na esquiva, mais dano e etc.

O sistema é bem interessante, mas tem muita habilidade que pode ser feita e pouco quartzo disponível para o jogador, então tome bastante cuidado na hora de escolher o que você vai melhorar no personagem, já que vai demorar muito para encontrar o próximo quartzo.

Algo semelhante acontece com os itens de upgrade de armas, e isso é um pouco mais grave nesse quesito, já que não incentiva em nada o jogador a ficar mudando de arma e experimentando builds novas. Demora uma eternidade para se conseguir ter itens de upgrade infinitos na lojinha do hotel Krat e isso tira totalmente o incentivo de ficar mudando o estio de jogo, um ponto que deveria ser melhorado.

Lies of P – Análise – Vale a Pena – Review
Reprodução: NEOWIZ STUDIOS

Ao explorar cuidadosamente os mapas de Lies of P, você também irá se deparar com diversas missões secundárias bem interessantes e que funcionam no mesmo estilo das missões de Bloodborne e Dark Souls, onde você conversa com um NPC e ele te pede algo, te da uma pista de onde esse item que ele quer está e você tem que se virar para procurar.

As missões secundárias são bem legais de fazer e te recompensam com bons itens, muitas te dando quartzo para melhorar as habilidades do personagem e até mesmo itens de upgrade do braço esquerdo de Pinóquio. E caso você pegue algum item que esteja relacionado a uma missão secundária, o local de entrega desse item para o NPC ficará marcado nas viagens rápidas, uma adição sútil, mas que melhora horrores a qualidade de vida do jogador.

E como entramos no quesito “qualidade de vida”, é notável como os desenvolvedores se preocuparam muito com isso. Sempre que tem uma interação nova com algum NPC, ela fica marcada no ponto de teletransporte para você saber que tem coisa nova lá e é bom ir olhar, quando você tem Ergos suficientes para aumentar o nível do jogador, o indicador no HUD fica brilhando e não te deixa esquecer que da pra voltar no hotel e subir de nível.

Tudo isso que falei sobre a exploração, cenários e a qualidade de vida de Lies of P flui muito bem durante a jogatina, o jogo verdadeiramente conseguiu trazer a essência da exploração de um Souls da From Software, algo que vai agradar bastante os fãs do gênero.

Dublagem, gráficos e trilha sonora

Lies of P – Análise – Vale a Pena – Review
Reprodução: NEOWIZ STUDIOS

Lies of P infelizmente não tem dublagem em português brasileiro, mas conta com as legendas e ajuda bastante os jogadores que não dominam a língua inglesa. A trilha sonora do jogo é simplesmente espetacular, existem discos de música colecionáveis que você pode colocar no Hub central do jogo e é bem legal ficar ouvindo elas, além da trilha dos chefes que são simplesmente insanas.

Graficamente falando, Lies of P é magnifico, o jogo é lindo e bem polido, além de ter uma direção artística fantástica que faz um ótimo uso das texturas e efeitos de iluminação do jogo.

Recebemos a cópia para review no PC e o jogo está super bem otimizado, com tudo no máximo pegando mais de 60 FPS em QuadHD numa RX 6600 XT. Em uma era em que jogos de PC estão vindo porcamente otimizados, Lies of P chega como um dos jogos mais bonitos do ano e ainda entrega uma performance insana.

Review elaborado com uma cópia do jogo para PC fornecida pela Publisher.

Resumo para os preguiçosos

Lies of P é o maior acerto do gênero Souls-Like dos últimos anos, se me dissessem que foi a própria From Software que fez esse jogo, eu acreditaria, pois ele está no nível dos jogos do Miyazaki em praticamente todos os aspectos, e esse é o maior elogio que um Souls-Like pode receber.

O jogo tem tudo que faz os jogos da From Software serem bons, e ainda tem uma qualidade de vida que eu considero superior, fazendo desse o Souls-Likle definitivo para aqueles mais “puristas” que são apaixonados em como a From Software faz seus jogos.

Nota final

100
Saiba mais sobre os nossos métodos de avaliação lendo o nosso Guia de Reviews.

Prós

  • Ambientação impecável
  • Combate fluído
  • Boa variedade de armas
  • Mecânica de montar armas
  • Qualidade de vida do jogador
  • Chefes memoráveis
  • Variedade de inimigos
  • Gráficos lindos

Contras

  • 100% linear
  • Escassez de itens de upgrade
  • Esquiva esquisita
Valteci Junior
Valteci Juniorhttp://criticalhits.com.br
Fã obcecado de Souls-like e curto uns FPS e animes