Blood Bowl 2: Legedary Edition – Review

Blood Bowl é uma franquia que mescla muito bem as regras do futebol americano com as mecânicas que esperamos encontrar em um board game, com um “plus” de possuir todo o feeling que jogos do universo Warhammer passa. Em 2015 tivemos a sequência do primeiro Blood Bowl, com mecânicas renovadas, novas raças e visual melhor, e agora, dois anos depois, a Focus Home Interactive resolveu lançar Blood Bowl 2: Legendary Edition. Uma nova edição era realmente necessária?

Se quiser saber detalhes sobre as mecânicas básicas de Blood Bowl 2, como o game funciona e seus pontos fortes e fracos, confira o nosso review do jogo original feito pelo Tico na época do lançamento, pois aqui focaremos apenas no que a Legendary Edition oferece.

Além das oito raças originais, Blood Bowl 2: Legendary Edition conta com todo o conteúdo lançado via DLC e conteúdo exclusivo, totalizando 17 raças disponíveis. É uma senhora diferença comparando com o jogo base e realmente sentimos que a adição de estilos de jogo e possibilidade de combinações só fez bem ao game, aumentando sua longevidade.

Além disso, temos um novo estádio, o Khemri stadium e, honestamente, não faz diferença alguma. Eu esperava que outros estádios diferenciados dessem as caras no game para acabar de vez com a monotonia que poderia haver nas partidas, mas praticamente não houve mudanças nesse aspecto.

As animações continuam mais longas do que deveriam, mas é possível notar melhora no campo dos comentários, com maior diversidade de falas que diminuem a sensação de estarmos jogando um Bomba Patch de futebol americano.

A parte visual continua sensacional, a torcida é viva e animada, os detalhes em campo são bem visíveis e as animações – apesar de longas – são muito bem feitas, tendo uma ótima transição entre as animações de jogo e cutscenes dos jogadores se arrebentando.

Outras novidades da Legendary Edition, a Eternal League e os Challenge modes são mais conteúdo para quem queria maior variedade em termos de gameplay solo – de fato, a desenvolvedora focou bastante no multiplayer de Blood Bowl 2. A Eternal League é nada mais que uma campanha através do universo de Warhammer, um prato cheio para os aficionados pela franquia de jogos de estratégia. Essa campanha tira o foco dos humanos, algo que o jogo base fazia, permitindo que você controle jogadores de uma diversidade de raças.

Já os challenge modes são ótimas opções para quem não tem muito tempo para jogar partidas inteiras. Nesse modo, você é jogado em partidas já em andamento com alguns desafios para cumprir antes que ela termine. Ambos os modos são adições bem vindas e evitam que o jogo envelheça mal.

O multiplayer também recebeu mudanças. Agora há um chat para provocar adversários antes e depois das partidas, além de novas opções de criação de partidas e torneios. Se isso vai manter o multiplayer do jogo vivo eu não sei, mas são algumas adições importantes para que os jogadores que se mantiveram fiéis ao jogo sintam-se mais em casa.

Respondendo a pergunta inicial: Blood Bowl 2: Legendary Edition era realmente necessário? Sim. O novo game traz muito mais conteúdo e agradará tanto quem gosta de campanhas solo quanto um bom multiplayer, mas o que ele não vale é a diferença de preço em comparação com o jogo base. Espere uma boa promoção e compre-o com alguns amigos, aí sim ele valerá a pena.

Review elaborado com uma cópia do jogo para PC fornecida pela desenvolvedora.

Resumo para os preguiçosos

Blood Bowl 2: Legendary Edition traz diversas novas raças, um novo estádio, mais opções para partidas e torneios multiplayer e modos de desafio, além de uma nova campanha solo. Alguns problemas do jogo original são mantidos, mas em quase tudo houve melhora visível em relação a Blood Bowl 2. Fãs da série estão – finalmente – bem servidos.

Nota final

80
Saiba mais sobre os nossos métodos de avaliação lendo o nosso Guia de Reviews.

Prós

  • Muito mais raças disponíveis
  • Novos modos e nova campanha
  • Novo estádio

Contras

  • Animais continuam longas demais
  • Partidas continuam lentas
Rafael Oliveira

Rafael Oliveira faz análise de jogos, filmes e séries regularmente para o Critical Hits, além de postar notícias e artigos esporadicamente. Acha que Shadow of the Colossus é o melhor jogo já feito, é fanboy de Steins;Gate e tem um lugar especial no coração para Platformers, RPGs e Metroidvanias.

Publicado por