InícioGamesAlan Wake 2 - Análise - Vale a Pena - Review

Alan Wake 2 – Análise – Vale a Pena – Review

Alan Wake 2 é um dos títulos mais aguardados da última década, e não é por pouco, a Remedy Games é conhecida por ser uma das mestres da indústria na hora de criar narrativas bem trabalhadas e combiná-las a um gameplay sólido.Agora que o jogo está aqui, será que ele realmente vale a pena?

Em Alan Wake 2, você controla tanto o escritor Alan Wake quanto a detetive Saga Anderson, e pode jogar boa parte da história na ordem que você preferir. O jogo se passa 13 anos após os eventos de Alan Wake original, com a detetive Anderson e seu parceiro indo até Bright Falls investigar uma série de assassinatos cometidos por um culto misteriosos chamado o Culto da Floresta.

Alan Wake 2 - Análise - Vale a Pena - Review

Durante as investigações, eles descobrem a ligação dos assassinatos com Wake, e a história do jogo se divide em duas partes, sendo a primeira delas com Anderson tentando impedir o culto em questão e a segunda parte com Alan Wake tenando impedir que a história que ele escreveu para conseguir sair da Dimensão Sombria que o havia aprisionado tomasse conta do mundo e também contando como ele conseguiu fazer para sair deste lugar após 13 anos preso dentro dele.

Obviamente, o jogo conta muito mais do que esta breve sinopse, e esse é de longe um dos pontos mais altos do jogo, a sua história. É impressionante como a Remedy conseguiu entregar uma história sólida tanto do ponto de vista solo quanto conectada ao próprio universo de jogos da desenvolvedora.

Alan Wake 2 - Análise - Vale a Pena - Review

Se você jogou o Alan Wake original, você obviamente vai encontrar referências do jogo aqui, mas se você jogou Control, Quantum Break e Max Payne, você também será brindado com mais referências ainda, mostrando como o mundo da Remedy é conectado e muito bem construído.

Além disso, outro ponto muito legal da história é que ela está muito longe de ser algo linear e previsível, há momentos tanto na história de Wake quanto de Anderson em que você é pego completamente de surpresa, com coisas que eu não vou falar como acontecem, mas que realmente ficaram muito legais dentro da história do jogo e que servem para quebrar aquela coisa de só andar, atirar, recarregar e procurar itens que os jogos AAA dos dias de hoje se resumem na maior parte do tempo.

Diferente do primeiro jogo da franquia, Alan Wake 2 é um survival horror, e não um jogo de tiro e ação em terceira pessoa. O jogo realmente tem diversos momentos em que lembra jogos como Resident Evil e The Last of Us, mas também tem componentes próprios os quais falaremos a seguir.

Conforme você avança pelos cenários, tanto como Alan Wake quanto como Saga Anderson, você vai encontrando novas armas, itens de cura, baús com senhas, enigmas para resolver e assim por diante, além de enfrentar inimigos que são os possuídos pelas sombras, assim como no primeiro jogo.

Alan Wake 2 - Análise - Vale a Pena - Review

Aqui, talvez tenhamos o único ponto realmente fraco do jogo, que é o fato dele não possuir nenhum tipo de inimigo muito inovador, e repetir a maioria deles durante boa parte do tempo, mas o resto compensa tanto que isso acaba sendo apenas um detalhe, e não algo que realmente incomode no jogo.

Além do combate e das partes de exploração, Alan Wake 2 também conta com partes do jogo onde você deve investir os acontecimentos para usar as capacidades de dedução de Saga Anderson para avançar na história.

A agente do FBI é conhecida por ter capacidades deduvidas extremamente aguçadas, e toda essa parte do jogo acontece num mundo paralelo ao do jogo, dentro da mente dela, onde você vai reunindo pistas, manuscritos, e assim por diante.

Além da habilidade de dedução de Saga, Alan Wake também possui um mundo interno próprio, onde você deve usar os eventos do mundo ao redor de você para ir reescrevendo a história da Dimensão Sombria para modelar estes lugares e assim poder ir avançando nestas sessões dos jogos.

Estas duas novidades do jogo são muito legais, já que servem tanto como dispositivos para avançar o jogo como também como quebra-cabeças, que forçam o jogador a parar e pensar no que está acontecendo ao redor dele e usar as informações tanto da história quanto do mundo do jogo para prosseguir.

Por ser um survival horror, Alan Wake 2 é um pouco mais difícil do que o jogo original, e vai exigir que você seja racional na hora de gastar munição, bateria da sua lanterna e assim por diante, mas na dificuldade normal, que foi a que eu joguei, ele é um jogo bem tranquilo de se terminar, e você, exceto por momentos bem determinados da campanha, raramente vai sofrer com a escasszes de itens.

Graficamente, Alan Wake 2 é um jogo incrivelmente bonito, sendo facilmente um dos jogos mais belos já feitos, sem sombra de dúvida. No Xbox Series X, versão na qual eu passei a maior parte do tempo jogando, o jogo se comporta muito bem, e eu não lembro de ter visto nenhum tipo de engasgo ou momento que realmente prejudicasse a experiência do jogador.

Além do Series X, eu também joguei cerca de uma hora dele no Series S, e nele o jogo é claramente mais feio e mais serrilhado devido ao excesso de FSR, mas mantém a performance dentro dos 30 quadros por segundo, que é o que importa.

Entretanto, vale ressaltar que Alan Wake 2 está a alguns patches de funcionar como deveria 100%, já que o jogo apresentou problemas na sincronia tanto das legendas quando do áudio e da animação dos personagens. Em português, as legendas do jogo estão totalmente fora de sincronia, parecendo até quando a gente baixa um filme pirata com uma legenda que nao foi feita para aquele tipo de arquivo, o que acaba atrapalhando a compreensão de quem não domina o idioma.

Para completar, Alan Wake 2 conta com uma trilha sonora sensacional, e uma dublagem igualmente boa. Quando o jogo finalmente tiver esse problema resolvido, vai dar pra aproveitar ainda melhor essa experiência audiovisual.

Mas e aí, Alan Wake 2 vale a pena?

Alan Wake 2 é simplesmente a culminação do que a Remedy criou nos últimos 13 anos. O jogo não só corresponde às expectativas do título, mas supera elas em quase todos os departamentos, entregando um jogo divertido com uma história profunda e que quanto mais você joga, melhor vai ficando. Mais um fortíssimo candidato a jogo do ano.

Review elaborado com uma cópia do jogo para Xbox Series X fornecida pela publisher. Jogo disponível para PC, PS5 e Xbox Series.

Resumo para os preguiçosos

Alan Wake 2 muda a série de ação para survival horror e entrega uma verdadeira obra prima, com uma história densa e muito bem elaborada, momentos que quebram a tensão e o loop do jogo, combate divertido e alguns dos melhores visuais da geração atual de consoles. Mais um fortíssimo candidato a jogo do ano.

Nota final

95
Saiba mais sobre os nossos métodos de avaliação lendo o nosso Guia de Reviews.

Prós

  • História maravilhosa
  • Excelente ritmo de jogo
  • Belíssimos gráficos
  • Quanto mais você joga, melhor fica

Contras

  • Bugs no áudio e legendas, mas nada que chegue a estragar a imersão
Eric Arraché
Eric Arrachéhttp://criticalhits.com.br
Eric Arraché Gonçalves é o Fundador e Editor do Critical Hits. Desde pequeno sempre quis trabalhar numa revista sobre videogames. Conforme o tempo foi passando, resolveu atualizar esse sonho para um website e, após vencer alguns medos interiores, finalmente correu atrás do sonho.