Games

The Legend of Zelda: Skyward Sword HD – Review

The Legend of Zelda: Skyward Sword é um dos jogos mais mal falados de toda a franquia Zelda, sem sombra de dúvidas. Mesmo aqueles que adoraram o jogo concordam que ele é repleto de problemas, que vão desde uma interface muito poluída à uma companheira que explica o que tem que ser feito a cada cinco minutos.

Estes e outros problemas me fizeram passar longe de Skyward Sword por muitos anos, mas quando a Nintendo anunciou que traria o game ao Nintendo Switch junto com inúmeras melhorias de qualidade de vida, eu me interessei em um piscar de olhos. Meses após este anúncio, eu finalmente pude pôr as mãos na versão HD de Skyward Sword, e posso adiantar que ela se livrou da grande maioria dos problemas do jogo original.

Por ter sido lançado originalmente para o Nintendo Wii, Skyward Sword é um jogo feito em volta de controles de movimento, que estão presentes em praticamente toda ação que Link pode realizar. Atacar, defender, rolar, utilizar itens – tudo isto precisa de algum tipo de controle de movimento para ser feito, e não só estes controles eram um tanto imprecisos, como não era possível jogar sem eles na versão original.

Felizmente, esta foi uma das principais mudanças feitas na versão de Nintendo Switch do game. Os controles de movimento foram consideravelmente melhorados, e agora é possível desativá-los totalmente, caso o jogador queira. A solução não é perfeita, já que o analógico da direita acaba substituindo o controle de movimento, mas é uma ótima alternativa para aqueles que sempre tiveram curiosidade na história de Skyward Sword, mas não se interessavam nos esquema de controle original.

Ainda falando sobre melhorias, esta versão em HD está repleta delas. Agora, a explicação sobre o que um determinado item faz só aparece na primeira vez que ele é coletado, ao invés de toda vez que você encontra um. Esta simples mudança, somada ao aumento na performance do jogo, que agora roda à 60FPS ao invés de 30, tornam Skyward Sword HD um jogo muito mais fluído e dinâmico, e por consequência, mais divertido.

Todas as melhorias de qualidade de vida feitas para esta versão tornam Skyward Sword HD a forma definitiva de se jogar o game. Os desenvolvedores decidiram melhorar os mais variados aspectos do jogo para tornar a experiência melhor para todos os jogadores. É com uma grande satisfação que eu posso dizer que conhecer a história do primeiro Link e da primeira Zelda nunca esteve tão acessível ou tão divertida.

Agora que comentei sobre as melhorias desta nova versão, posso focar nos outros aspectos do game. Logo de cara, Skyward Sword é um jogo bem diferente dos outros Zeldas que vieram antes dele. Não estou me referindo à sua linearidade (mais sobre isto nos próximos parágrafos) necessariamente, mas sim a quantidade de sistemas que o jogo introduziu à franquia.

Espaços limitados no inventário, uma barra de estamina, a habilidade de coletar materiais de monstros e espalhados pelo mapa para melhorar equipamentos e poções, um paraquedas que nega totalmente o dano de queda se usado no momento correto. Muitos de vocês já devem ter notado onde eu quero chegar: Skyward Sword introduziu alguns dos elementos e sistemas que tornam Breath of the Wild um jogo inesquecível.

Jogar Skyward Sword após Breath of the Wild deixa claro o quanto o jogo de Wii inspirou a criação de BotW, desde os sistemas já mencionados à não-linearidade e ao mundo aberto gigantesco do jogo, que foram criados como uma resposta direta à linearidade de Skyward Sword. Por sua vez, a liberdade de Breath of the Wild me fez apreciar a linearidade de Skyward Sword muito mais.

É verdade que o jogo é extremamente linear e não dá muita brecha para o jogador escolher onde ir para prosseguir, e isto pode ser um ponto negativo para muitas pessoas, mas após jogar Breath of the Wild por incontáveis horas, eu gosto de poder acompanhar a história de um Zelda de forma lienar sem me distrair a cada dois minutos porque vi uma pedra em um local estranho e decidi investigar.

Por falar em história, Skyward Sword possui um enredo bem interessante, sendo o primeiro jogo da linha do tempo da franquia, focando nas primeiras encarnações de Link e Zelda e na criação da Master Sword. A história tem ótimos momentos, e a Zelda de SS é provavelmente minha versão favorita da personagem. Ela possui uma personalidade forte, e não fica parada esperando que Link resolva tudo. Zelda também tem um papel muito importante a desempenhar nesta história, e está ativamente participando dos eventos que estão acontecendo.

Como o jogo se passa centenas de anos antes de outros jogos, acabamos passando por versões diferentes de lugares que conhecemos muito bem de outros jogos da franquia. Visitamos um vulcão na região de Eldin, que ainda não se chama Death Mountain, e a região de Lanayru é um gigantesco deserto, sem nenhum sinal dos rios que formam Zoras Domain nos jogos futuros.

Estas diferenças no mapa não só são bem interessantes como também dão oportunidade para coisas que nunca vimos antes. Por ser passar em uma época anterior aos mapas que conhecemos, o jogo é livre para criar situações inéditas, e isto é algo que Skyward Sword faz muito bem, especialmente em suas dungeons.

As dungeons de Skyward Sword são simplesmente espetaculares. Elas são incrivelmente criativas, diferentes de tudo que já vimos, e fazem um ótimo uso das principais mecânicas do game. Não darei nenhum spoiler, mas a dungeon do Navio Pirata rapidamente se tornou uma das minhas favoritas de toda a franquia.

No mais, The Legend of Zelda: Skyward Sword HD traz melhorias de qualidade de vida muito necessárias para o jogo de Nintendo Wii, tornando-o mais acessível para um público maior, e criando a versão definitiva de se acompanhar esta história. A linearidade do jogo pode afastar alguns jogadores, mas o jogo compensa isto com uma história interessante, um gameplay divertido e dungeons excepcionais.

Review elaborado com uma cópia do jogo cedida pela Nintendo do Brasil.

Resumo para os preguiçosos

The Legend of Zelda: Skyward Sword HD corrigiu a grande maioria dos problemas que o jogo possuía no Nintendo Wii, resultando na versão definitiva deste Zelda. O game possui uma boa história, com momentos marcantes e personagens interessantes, assim como um gameplay sólido e divertido que é complementado com dungeons super criativas que fazem um ótimo uso de todos os sistemas e mecânicas que o jogo possui. A alta linearidade do jogo pode afastar algumas pessoas, mas se você conseguir ignorar isto, é bem provável que Skyward Sword acabe te conquistando após algumas horas.

Nota final

90
Saiba mais sobre os nossos métodos de avaliação lendo o nosso Guia de Reviews.

Prós

  • O jogo roda à 60FPS de forma estável
  • Inúmeras melhorias de qualidade de vida
  • É possível jogar sem os controles de movimento
  • Contém algumas das melhores dungeons de toda a franquia Zelda

Contras

  • Nem todos os controles de movimento foram melhorados
  • A linearidade do jogo pode afastar alguns jogadores

Este website utiliza cookies. Para mais informações, consulte nossa política de privacidade.

Leia nossa política de privacidade