NBA 2K19 chega com a ingrata missão de recuperar a reputação da franquia após as decepções que o seu antecessor causou. Tal decepção com NBA 2K18 fez inclusive com que o concorrente NBA LIVE da EA ganhasse espaço em um mercado que há muito tempo é amplamente dominado pela 2K Games.

Para contextualizar: NBA 2K18 foi muito criticado por conta da quantidade enorme de microtransações em praticamente todos os modos, o que tornou o game praticamente injogável para casuais, e extremamente frustrante para quem é habitué da franquia.

Além disso, problemas de interface, jogabilidade e matchmaking tornaram o jogo um pesadelo para quem é apreciador das quadras virtuais. Tais problemas foram especialmente sentidos pelos jogadores mais assíduos da franquia, o que levou uma quantidade razoável de pessoas a migrarem para NBA Live 2018, que não é nenhum primor mas que apresenta menos problemas do que o jogo da 2K Games.

Apesar disso, NBA 2K18 já era um grande jogo de basquete. Robustos modos single player, modos online intrigantes, carreira complexa, gerenciamento de franquias, gráficos, física, movimentação. O jogo tinha muitos pontos positivos, mas os problemas interferiam diretamente na experiência do jogador e de forma bastante impactante.

All-Star

Se a ideia com NBA 2K19 era apresentar um game que recuperasse o prestígio da 2K Games entre os amantes da bola laranja, ponto para a empresa. NBA 2K19 se recupera do tombo causado pelo seu antecessor e adiciona uma robustez nunca antes vista em um jogo de basquete.

Tudo de bom que é característico da franquia está lá: a incrível profundidade dos modos MyCarrer, MyGym e MyLeague; equilíbrio quase perfeito entre diversão e simulação; gráficos extremamente realistas; incríveis arenas; times clássicos; física de corpos e de movimentação; inteligência artificial e transições de ataque e defesa; comentários e narração; entre muitos outros aspectos positivos.

Quase todos os pontos citados acima foram melhorados em relação à versão 2K18. Mas ainda existem problemas, especialmente com relação à interface do jogo.

Air ball

O primeiro grande problema que pode-se apontar no game é o fato dele não possuir legendas e interface em português. Se eu, que estou acostumado com a franquia 2K e também sou bastante fã e conhecedor de NBA tive algumas dificuldades em navegar através das imensas e profundas interfaces, imagino que para um jogador mais casual, que não seja letrado em NBA a coisa seja ainda mais complicada.

O segundo grande problema são novamente as interfaces do jogo. A NBA é um esporte bastante complexo, especialmente no que diz respeito ao gerenciamento de franquias, contratos, contratações, regras, drafts, treinos, táticas, line-ups e afins. NBA 2K19 transporta toda essa complexidade para seus menus.

O trabalho da 2K Games não é o mais brilhante no que diz respeito à experiência do jogador ao navegar por estas opções. Há muitos níveis de navegação, muitas opções que ficam escondidas dentro de sub-menus, e o simples ato de editar seu line-up inicial dos jogos pode ser um pesadelo.

Falta ao jogo um trabalho de UX (User eXperience) apurado. O fato de a NBA ser complexa não necessariamente significa que os menus e opções devem ser complexas também. Um melhor trabalho nesses meus e interface dariam ao jogo mais agilidade e deixariam ele mais amigável à jogadores casuais e à quem está adentrando agora no fantástico mundo da bola laranja.

O terceiro grande problema do jogo são as microtransações. Elas diminuíram de forma exponencial em relação à 2K18, mas ainda estão presentes e podem desbalancear o jogo de uma forma até desonesta. A discussão sobre microtransações vai muito além da franquia NBA 2K ou dos jogos de esporte. É uma prática cada vez mais comum e que muitas vezes passa dos limites. Ao menos em 2K19 a 2K Games dosou melhor a mão e trouxe um jogo que é perfeitamente possível de ser apreciado sem esse tipo de prática.

Há ainda problemas menores relacionados especialmente ao show do intervalo. Não bastasse os comentários desconexos que irritam e não acrescentam em nada, há ainda a incompreensível ausência de um botão para pular as cenas e ir direto para o segundo tempo do jogo.

Clutch!

Novo trailer de NBA 2k19 destaca incríveis jogadas dos astros da liga

Apesar dos problemas citados, 2K19 é um grande jogo de basquete. Abarrotado de opções e modos de jogo, é até difícil escolher por onde você irá começar.

Os modos de jogo de 2K19 não são apenas abundantes como também bastante profundos.

Modos como o MyGym e o MyLeague, garantem ao jogador a experiência de comandar uma franquia dentro e fora das quadras, escolhendo seu time e batalhando para montar um hoster competitivo. A escolha entre liberar a folha salarial do seu time para ir atrás de all-stars ou fazer um rebuild através de altas escolhas do draft é uma das decisões mais gostosas de se tomar no jogo.

Seja lá qual for a sua decisão, é importante trabalhar em aspectos dentro e fora da quadra, que vão desde treinos e a química do time até as finanças e a contratação de membros do staff como diretores comerciais e treinadores.

Fazendo um comparativo com o futebol, NBA 2K19 oferece o melhor de dois mundos: a contratação de jogadores badalados, montagem de esquemas e o jogo em si como em FIFA; e o lado administrativo, gerenciamento de staff, rebuilds e contratação de jovens com grande potencial como em Football Manager. Em resumo: é um prato cheio para fãs do esporte.

Buzzer beater

No fim das contas, NBA 2K19 é tudo o que 2K18 deveria ter sido. O game ainda mantém as microtransações, mas diminui a sua importância e torna possível a progressão dos times e da carreira individual sem a necessidade de se usar dinheiro real.

O jogo ainda oferece uma complexa e completa experiência single-player em diversos modos com grande profundidade e que garantirão dezenas de horas de diversão em cada um deles.

Apesar disso, o game não é muito amigável para os não-iniciados no mundo da NBA. Com a ausência de legendas e menus no nosso idioma e com uma navegação confusa entre várias camadas de menu, o jogo pode acabar assustando e confundindo quem não está acostumado à ele ou às dinâmicas da NBA.

A jogabilidade é complexa, com dribles, pick-and-rolls, táticas e esquemas de ataque e defesa que se aproximam muito da realidade encontrada na NBA real. Apesar disso, nos modos de dificuldade mais baixos o jogo oferece um desafio moderado, e que incentiva o gamer a aprender novos movimentos e comandos para subir o nível de dificuldade gradativamente.

O jogo recupera boa parte do prestígio que a 2K perdeu com a versão 2018 do game, e se consolida novamente como o melhor jogo do gênero por uma distância bastante considerável.

O jogo foi analisado no PlayStation 4 com uma cópia cedida pela 2K Games. O texto acima reflete a opinião do autor da análise, e não do site Critical Hits como um todo.

Por muitos anos Ceraldi foi um dos responsáveis pela maior comunidade de Resident Evil da América Latina. Hoje, além de trabalhar como UI/UX Designer, se dedica (menos do que gostaria) ao Critical Hits e tentar cumprir seu papel de pai de família em meio à gatos, bacon, video games, séries, futebol e NBA.

Compartilhe