Games

Do pior ao melhor God of War

God of War é uma franquia das mais identificadas com o PlayStation, mas se tivéssemos que elencar os jogos do pior ao melhor, como ficaria essa lista?

No post de hoje, trazemos uma ordenação que achamos ser a mais correta. Vale ressaltar que praticamente todos os jogos da franquia são bons, e até mesmo o jogo que está em último colocado não chega a ser ruim.

Dito isso, vamos aos jogos?

Do pior ao melhor da franquia God of War

God of War Ascension

Divulgação: Sony
  • Ano de lançamento: 2013
  • Plataformas: PS3

O último God of War lançado para o PlayStation 3 infelizmente é o ponto baixo da franquia e o pior jogo da saga. Sendo um prequel dos prequels que mostra como Kratos quebrou o juramento dele a Ares, o jogo tem uma história bem fraca e sem muita inspiração.

Além disso, o game também já dava mostras claras de que ou a série God of War achava uma forma de evoluir o seu gameplay, ou simplesmente poderia acabar afundando de vez. Felizmente, foi exatamente isso o que aconteceu no seu lançamento seguinte, mas isso é papo para quando chegarmos no jogo em questão.

God of War

Divulgação: Sony
  • Ano de lançamento: 2005
  • Plataformas: PS2, PS3, PS Vita
  • Compre o Jogo

O primeiro God of War provavelmente figura mais alto numa lista de pior a melhor de muitos fãs, mas depois de tantos anos, dá pra ver que ele sente o peso da idade.

O jogo tem algumas ideias boas, uma boa história e Kratos sendo bastante carismático, mas diversos aspectos de gameplay acabaram envelhecendo mal.

Lembro que quando eu joguei o jogo, lá por 2013, eu já tinha sentido que ele já não era tão bom assim, principalmente nos momentos em que Kratos tinha que pular plataformas ou até mesmo se equilibrar por aí. Dessa forma, não tem como ranquear God of War original muito mais alto.

God Of War: Chains of Olympus

Divulgação: Sony

Desenvolvido pela Ready at Dawn, mesma desenvolvedora do The Order 1886, God of War Chains of Olympus tem algumas boas ideias, mas deu pra ver que uma versão portátil de God of War, pelo menos nesse jogo, não conseguia trazer a escala épica que os jogos de PS2 traziam.

Dessa forma, o combate de Chains of Olympus acaba muito mais focado em enfrentar inimigos do que grandes chefes, e o resto do jogo se desenrola com você resolvendo puzzles e empurrando blocos pra cá e pra lá.

Pra completar, o jogo é bem curto, então ele não chega a ter um fator replay tão grande assim. Vale ressaltar que o jogo não chega a ser ruim, só tem coisa melhor que ele dentro da franquia.

God Of War: Ghost of Sparta

Divulgação: Sony

Por falar em jogo melhor, temos em Ghost of Sparta um jogo bem melhor do que o seu antecessor. Também desenvolvido pela Ready at Dawn, a experiência parece ter ajudado bastante a companhia a produzir um jogo muito mais profundo e interessante.

Ghost of Sparta se passa entre o primeiro jogo e God of War 2. Nele, vemos Kratos assumindo o papel de Ares e mais desenvolvimentos sobre o lado humano do Deus da Guerra, com o Espartano indo até o submundo para salvar o irmão gêmeo dele.

Apesar de também pecar na escala se comparado com os jogos de PS2, Ghost of Sparta é bem criativo em oferecer desafios diferentes ao jogador, e é um bom jogo pra quem tem aquela coletânea de 5 jogos de God of War no PS3 ou um PSP ou PS Vita dando sopa por aí.

God of War 3

Divulgação: Sony

A conclusão da trilogia original de God of War (que acabou virando uma hexalogia depois de tantos prequels) é simplesmente sensacional.

God of War 3 combina o grameplay tradicional e divertido da série a cenas de puro gore que vão deixar os fãs de Kratos vibrando enquanto jogam.

A única coisa que eu não gostei muito dele é que volta e meia eu acabava perdido no mapa do jogo, que não dava lá muitas direções de pra onde você tinha que ir, mas enquanto eu não estava perdido, o jogo era muito bom.

God of War 2

Divulgação: Sony
  • Ano de lançamento: 2007
  • Plataformas: PS2, PS3, PS Vita
  • Compre o Jogo

God of War 2 é considerado por muitos jogadores o melhor jogo da hexalogia original.

Continuação direta do primeiro jogo, ele conta com melhorias gráficas, novos cenários, muita ação e alguns dos momentos mais épicos que Kratos protagonizou até aqui.

Aqui vemos o auge do que o PS2 conseguia entregar, e a Sony Santa Monica transbordando criatividade tanto na forma narrativa quando de gameplay. Um jogasso ainda hoje.

God of War (2018)

Divulgação: Sony

Depois de dar mostras de que God of War estava chegando ao fim da vida útil, a menos que se reinventasse, a Sony Santa Monica olhou pra dentro de si e conseguiu fazer a franquia se reinventar de uma forma muito interessante.

Partindo para a mitologia nórdica, e numa jornada de autoperdão, Kratos agora é pai de Atreus, um jovem que tem um poder que nem ele mesmo sabe direito o que é.

Tudo o que Kratos queria era viver em paz, mas ele acaba sendo atacado pelos deuses nórdicos e agora deve partir numa nova jornada, enquanto tenta ser um pai melhor para este filho do que ele foi no passado.

Trazendo uma jogabilidade completamente nova, um sistema de jogo com um mundo semi aberto muito rico e diversos desafios extras, God of War (2018) é sem sombra de dúvidas o melhor da franquia. Pelo menos até que Ragnarok seja lançado, daí veremos como esse novo game se encaixa nessa lista.

Este website utiliza cookies. Para mais informações, consulte nossa política de privacidade.

Leia nossa política de privacidade