Games

Battlefield 2042 – Review

Battlefield é uma das franquias mais importantes do mundo dos jogos de tiro em primeira pessoa, e Battlefield 2042 é o mais novo título da franquia. Será que ele consegue fazer jus aos jogos que o precedem e trazer novidades que atraiam um novo público ao game? É o que vamos descobrir hoje.

Em Battlefield 2042, você é colocado numa espécie de conflito semi futurista entre diferentes nações, como Estados Unidos e Rússia, e apesar do combate ser futurista, ele não chega a ser tão futurista assim (afinal de contas, faltam apenas 21 anos para 2042).

Dessa forma, não vemos coisas como exo-esqueletos, pulos duplos e coisas do tipo que acabaram povoando os jogos de tiro em primeira pessoa de alguns anos atrás como Call of Duty e Titanfall, e sim modelos mais aprimorados de armas atuais e veículos um pouco mais modernos também, mas todos remetendo ao que estamos acostumados a encontrar dentro da franquia Battlefield.

Aliás, se eu tivesse que dizer uma coisa que é sempre constante nesse jogo é exatamente isso: apesar de se propor a ser uma versão de guerra moderna de Battlefield, a grande maioria do que encontramos nesse jogo é basicamente o estamos jogando em Battlefield há pelo menos 10 anos, mas com uma skin mais modernista mesmo.

A sensação de tiro das armas é um pouco diferente, claro, das armas de Battlefield 1, por exemplo, afinal esse se passa na Primeira Guerra Mundial, mas a sensação toda de estar dentro de um Battlefield segue a mesma, ainda mais no modo clássico do jogo.

Para quem não conhece esse modo, ele é basicamente uma disputa de território entre os dois times. Nesse território, há várias bases que devem ser tomadas pelo seu time, e este time deve evitar que o time adversário tome essas bases. Conforme você toma bases do adversário, ele vai perdendo uma certa quantidade de reforços, assim como quando você e seus colegas de time vão sendo abatidos. Quem chegar a zero antes perde.

Infelizmente esse tipo de modo em 2021 está um pouco datado, pois boa parte dele é composto em nascer longe do tiroteio, correr até ele e levar um tiro de onde você não está cuidando para ser abatido, nascer de novo e morrer mais uma vez. Alternativamente, você pode pegar um veículo e ir mais rapidamente para o confronto, mas aí acontecem algumas coisas meio estranhas, como 25 helicópteros trocando tiros numa área pequena, por exemplo.

Mas afinal o que Battlefield 2042 traz de novo? Bom, ele é bem maior em escala do que outros jogos da franquia, e permite partidas de 128 jogadores, mas tanta gente assim, pelo menos pra mim, acabou aumentando o principal problema do jogo, que é o fato de que é muito difícil encontrar um ritmo de jogo, morrendo e renascendo tão longe do combate de verdade (pois quando você nasce perto, você leva chumbo de onde nem imagina).

Há momentos, claro, em que o jogo funciona como os desenvolvedores provavelmente imaginaram, e nesses momentos, de fato, o jogo é divertido e potencializado se você está jogando com outras pessoas, mas mesmo nesses momentos a diversão não chega a compensar o que você precisa passar antes para chegar nela.

E isso que ainda não falamos sobre o elefante na sala: Battlefield é um jogo que custa trezentos e poucos reais, ou até mais dependendo da versão que você escolheu, e que tem apenas três modos de combate multiplayer, ou seja, não há campanha e, honestamente, o conteúdo que esse pacote traz é bem pouco para justificar um preço tão grande.

Há jogos gratuitos para se começar a jogar por aí que são muito mais densos em modos de jogos e que entregam mais. No fim das contas, se nenhum outro concorrente existisse, ainda assim Battlefield 2042 seria uma escolha difícil de se fazer, mas tendo em vista que estamos na era de ouro dos jogos de tiro, uma versão tão pouco inspirada, e cara, acaba sendo bastante dispensável mesmo.

Graficamente, Battlefield 2042 é um belo jogo, isso é inegável. O jogo realmente fica muito bonito no Xbox Series X, e mesmo quando a pancadaria está comendo no jogo ele não dá um sinal de instabilidade, o que é muito bom. Para completar, a trilha sonora do jogo é bastante competente, e ele vem dublado e legendado em português.

Mas e aí, Battlefield 2042 vale a pena?

Battlefield 2042 é uma escolha difícil de se fazer principalmente por dois fatores: o primeiro é que ele é um jogo pouco inspirado e está longe de ser o melhor do que a franquia Battlefield tem a oferecer. O segundo é que é muito difícil justificar o preço que ele cobra para o que ele oferece se compararmos com a concorrência que ele enfrenta hoje em dia.

Review elaborado com uma cópia do jogo para Xbox Series X fornecida pela EA do Brasil.

Resumo para os preguiçosos

Battlefield 2042 é uma escolha difícil de se fazer principalmente por dois fatores: o primeiro é que ele é um jogo pouco inspirado e está longe de ser o melhor do que a franquia Battlefield tem a oferecer. O segundo é que é muito difícil justificar o preço que ele cobra para o que ele oferece se compararmos com a concorrência que ele enfrenta hoje em dia.

Nota final

45
Saiba mais sobre os nossos métodos de avaliação lendo o nosso Guia de Reviews.

Prós

  • Belíssimos gráficos
  • Dublado em português

Contras

  • Infelizmente a escala massiva do jogo contribui para que você não entre num ritmo confortável no combate
  • Poucos modos de jogo
  • Muito caro para o que oferece
Publicado por

Este website utiliza cookies. Para mais informações, consulte nossa política de privacidade.

Leia nossa política de privacidade