Categorias: Cinema e TV

Séries derivadas não devêm ter os mesmos erros da última temporada de Game of Thrones

Não há dúvidas que Game of Thrones foi uma das maiores séries de todos os tempos. A produção não só se tornou um verdadeiro um fenômeno cultural nunca antes visto como também marcou para sempre a história da TV. No entanto, é um consenso entre os fãs que as temporadas finais da série tiveram diversos problemas, em especial a última.

Enquanto a história ainda acompanhava os livros de As Crônicas de Gelo e Fogo, o ritmo da trama, as suas reviravoltas e o desenvolvimento dos personagens eram excelentes. Mas a partir do momento em que os showrunners começaram a caminhar com as próprias pernas sem nenhum material prévio como base, as coisas também começaram a ficar inconsistentes.

Por mais que as temporadas finais realmente possuam momentos muito bons que ainda não existem nos livros, como a própria Batalha dos Bastardos, o desfecho final de praticamente todos os personagens foi extremamente estranho. Embora o destino de alguns até faça sentido, o maior problema foi como a construção de cada um deles foi feita, e por isso tantos fãs reclamam do fato de Daenerys ter queimado Portal Real ou de Bran ter se tornado o Rei de Westeros no final.

Mas tudo indica que os derivados de Game of Thrones que estão sendo produzidos não cometeram esses mesmos erros. O principalmente motivo para acreditar nisso é que os spin-offs não farão uma adaptação direta de um único livro, utilizando o mundo de George R. R. Martin como base e algumas histórias já contadas para aprofundar neste material.

Um dos derivados que já teve o seu episódio piloto gravado está sendo escrito por Jane Goldman, e se passará mais de 5 mil anos antes de As Crônicas de Gelo e Fogo, abordando a Era dos Heróis e mostrando desde os horripilantes segredos da história de Westeros até a verdadeira origem dos Caminhantes Brancos.

Como os livros de Martin acabam abordando vagamente este período, a série terá uma liberdade maior para construir os seus próprios personagens desde o começo, sem precisar adaptá-los de uma história já escrita que nem havia sido finalizada. Também vale lembrar que como esse derivado possui um enorme distanciamento dos eventos de Game of Thrones, não há qualquer preocupação de algum acontecimento acabar anulando ou contradizendo algo que já acompanhamos na série principal.

A mesma lógica se aplica ao segundo derivado que está sendo feito Ryan Condal, só que no caso dele o material base é um pouco maior, principalmente por causa do livro “Fire & Blood”.

Este website utiliza cookies