Quão realistas são as cenas de Velozes e Furiosos? Física responde.

Depois que os efeitos especiais passaram a ser comuns em Hollywood, o principal desafio das equipes de produção passou a tornar os efeitos gráficos não só agradáveis visualmente, mas também condizentes com a realidade. Mas, se você já assistiu Velozes e Furiosos, provavelmente já se perguntou o quão realistas são algumas cenas desta série, não é mesmo?

E nada melhor do que responder esta pergunta se baseando na ciência e no conhecimento de uma física graduada e especializada no assunto. No vídeo abaixo, publicado na Insider, a física e autora do livro “The Physics of NASCAR”, Diandra Leslie-Pelecky, analisa algumas das cenas mais polêmicas de Toretto e sua turma, apontando o que é possível e o que precisa da famosa “suspensão de descrença”.

No vídeo de quase 20 minutos, a física chega a comentar uma das cenas de Velozes e Furiosos 5: Operação Rio, onde Dom puxa um cofre preso ao seu carro. Segundo Leslie-Pelecky, já que o cofre é muito mais pesado do que o carro de Dom, seria praticamente impossível que ele conseguisse fazer curvas acentuadas sem ser puxado pelo imenso peso do cofre.

Mas nem tudo são críticas. Leslie-Pelecky também comenta que na cena em que Dom conduz seu carro em meio a uma grande explosão repleta de fogo em Velozes e Furiosos 8, tanto a movimentação do carro após sair do chão quanto o comportamento de Dom em meio as chamas são bem condizentes com a realidade. Ou seja, a franquia pode apelar para o absurdo, mas as vezes acaba acertando em cheio.

Velozes e Furiosos 9 pretende continuar com as manobras eletrizantes de Dom, e promete adicionar uma nova camada de emoção ao fazer o protagonista entrar em contato com seu irmão, interpretado por ninguém menos do que John Cena. Velozes e Furiosos 9 será lançado em maio de 2021.

Confira também:

João Víctor Sartor

João Víctor Balestrin Sartor é colaborador e sex-symbol do Critical Hits. Admirador das boas histórias, almeja de verdade escrever um livro algum dia. Divide seu tempo entre à leitura, jogatina, trabalho, engenharia e quando sobra tempo, vive.