Meu muro da vergonha: Bolivar Edition

E aí seus ladrão de butiá! Estou aqui para expor a vocês o pior que tenho como gamer, pra não deixar o Eric e o Léo sofrerem sozinhos.

Por favor, sejam bonzinhos, me entendam e culpem sempre a mãe do Tico, não a minha.

Ah, e aproveitem e deixem suas experiências vergonhosas nos comentários também!

5. Final Fantasy 4? 6? Prefiro o 7…e até o 8

Sim, amiguetas, o 4 pode ser uma obra prima, o 6 é uma baita história, mas…eu sou apaixonado pelo 7. Mesmo com essa mecânica de materias que todos odeiam. Mesmo com equipamentos zuados. Mesmo com o Cloud sendo meio mudo, meio sem graça. É um marco na minha infância, aprendi inglês jogando isso no play1 do meu tio quando eu tinha uns 8 anos. Hoje em dia jogo entendendo a história e me apaixono cada vez mais por esse jogo.

O 8 eu também joguei na mesma época, gostei mais do 7, mas também curto o 8, mesmo com os GFs demorando 3 minutos pra atacar, sempre que tu usa eles. Porém o maior crime deve ser eu gostar da musiquinha chatíssima do Balamb Garden.

4. Eu só gostei do último Tomb Raider

joguei o Tomb Raider 1 e 2 quando eu tinha uns 9 ou 10 anos no pc. Depois joguei um que não me lembro se era o 4 ou o 5 no play. Fui relativamente longe e me emocionava com cada tiranossauro morto. Eu era pequeno e achava tudo muito difícil, mas hoje em dia eu acho MUITO CHATO aquele monte de puzzles num lugar vazio e sem um pingo de trilha sonora. O último tem uns tirinhos, apesar da historinha clichê. É meio meh, mas é bom.

3. Eu odeio jogos de terror

Dead Space é uma obra prima? Talvez, nunca vou descobrir. Eu não tenho paciência pra esses jogos de dar susto. Nunca cheguei perto de um fear, nunca achei graça em Silent Hill e até Bioshock eu comecei a jogar com um pé atrás. Tomar um sustinho de um goul nos metrôs de Fallout 3 ainda vá. Mas jogo FEITO pra te dar cagaço acho um desperdício de tempo.
Pra não dizer que odeio tudo de terror, eu lembro de gostar de Resident Evil 3, no play1.

2. Zelda me cansa

Sim, todos os redatores do Critical tem um problema com Zelda. Eu sou mais um deles. Eu começo um zelda, acho legal pra caramba, mas chega numa hora (normalmente no templo da água) e encho o saco de fazer as mesmas coisas.

O Ocarina of Time, o único que eu gostei mesmo, eu até cheguei a terminar o maldito templo da água, mas enchi o saco no próximo logo depois dele. Talvez um dia eu termine.

1. Street Fighter? Mortal Kombat? Pff…prefiro Tekken e Soul Calibur!

Como diria o Eric, eu prefiro esses “jogos de mulher”, que é só pegar o Eddye, botar o controle embaixo da camiseta (pra evitar bolhas nos dedos) e apertar todos os botões bem rápido, sem ver.

Não, sério, eu não acho graça nesses jogos de apertar pra baixo, pra trás e soco e ver quem solta mais radugui primeiro. Prefiro jogos com defesa, contra-ataque e sequências de soco. E eu sabia jogar direitinho com o Eddye, sem ser apertando todos os botões. Porém eu gostava mesmo do Doctor B., pra irritar todo mundo jogando deitando rsrs e no Soul Calibur eu era bom com a bicha loira pirata, da espadinha curta, acho que é Raphael o nome do cara. Além da história do Tekken ser legal (nunca saiu um jogo de luta mais legal que Tekken 3).
Em compensação, esse Mortal Kombat que saiu pro PC é até que legalzinho. E Injustice é tri só por ter o Bátima (e também porque é a primeira vez na história que o Aquaman tem alguma importância, sendo o personagem mais forte do jogo).

Bônus

Como é aniversário do Critical Hits e estou expondo tudo de lamentável, mostrarei pra vocês o texto que mandei pra conquistar o coraçãozinho do Eric e fazer ele me deixar escrever aqui:

“O Porquê das mulheres se acharem gordas (baseado em fatos reais)

Era mais um dia no jardim do Éden. A Cobra mandava aquelas solicitações chatas pros seus amigos de joguinhos, enquanto plantava mais macieiras no seu farmville. Eva ouvia seus CD’s de Pimentas do Reino, Padre Fábio de Mello e Oficina G3, que Deus tinha lhe dado de presente. Adão e Deus jogavam um gre-nal no seu FIFA, quando Deus olhou para o filho e disse que este estava gordo feito um porco.
-Tu acha mesmo? – perguntou Adão, meio confuso.
Ao invés de explicar, Deus mandou logo ele olhar para baixo e ver se enxergava o próprio pinto.
Dito e feito: Adão só enxergava a enorme e redonda barriga, não via o tico logo abaixo.
Metida como só ela, Eva foi testar também, e logo começou a chorar. Sem nenhuma outra amiga para fofocas, foi desabafar com a cobra:
-Ai, Cobra! Tõ triste! Não consigo enxergar meu próprio pinto, isso significa que tô gorda!
A Cobra, grande marketeira que era, logo enxergou uma ótima oportunidade. Segredou à Eva que maçãs fariam muito bem pra saúde.
Exatamente! Foi assim que Eva foi expulsa do paraíso, por achar que estava gorda. Assim como a primeira mulher da história, todas as mulheres seguem procurando seus paus, sem nunca conseguir enxergar, por isso nunca desistem de emagrecer mais e mais!
PS1: HISTÓRIA BASEADA EM FATOS REAIS!
PS2: “Ain, Bolívar, seu herege, falando mal da religião!” 1º, só é herege quem não reza pro Bátima, nosso príncipe da paz, cavaleiro das trevas e rei de Westeros e dos Roinares (quem entendeu me abraça forte); 2º, seus babacas, eu também sou cristão, também acho que Deus é um cara legal, apesar de não acreditar em Adão, Eva, Dragões, Unicórnios e essas porras todas. O alvo da minha piada são as mulheres babacas que nunca estão satisfeitas com seus corpos, a religião foi só um cenário.
PS4: Não tem PS4.
PS5: Eu sei que não é toda mulher que é assim. Foda-se, ficaram marcadas pela maioria!”

E então, vocês acham que eu sou uma pessoa pior agora? Por favor, não me odeiem, seus lindos. Inclusive casem comigo. Inclusive me mandem presentes. Até a próxima, migas!

Publicado por

Este website utiliza cookies. Para mais informações, consulte nossa política de privacidade.

Leia nossa política de privacidade