Categorias: Artigos

Jogos muito bons que renderam pouco dinheiro para as produtoras

Fala, galera, tudo bom com vocês? Hoje eu resolvi pegar o artigo que o João Victor fez nessa semana e invertê-lo: jogos que foram sucesso de crítica, mas que não venderam quase nada, o que é uma pena, pois muitos deles não ganharam sequência e provavelmente só ganharão alguma expansão ou algo do tipo daqui uns bons anos. Prontos para eles?

5. Trauma Center: Under the Knife 2

Trauma Center: Under the Knife foi um dos hits surpresa mais bem aceitos do Nintendo DS. O joguinho de cirurgião onde você operava as pessoas com a stylus era bem simpático e bem desafiante também. A ideia do jogo era simples: você é um cirurgião que tem que costurar pessoas, drenar coisas, puxar outras coisas, enfim, mais ou menos o que um médico costuma fazer nas salas de operação.

Depois desse jogo, veio a versão de Wii, com uma história melhorada, melhores gráficos, mais desafios etc. Todo mundo gostou dela e ela também vendeu muito bem. Eis que chega a segunda versão do jogo para o DS com tudo melhor, gráficos melhores, história mais interessante, novos desafios de gameplay e… o total desprezo dos fãs.

Confiram as vendas da série abaixo no VG Chartz para entender o que eu quis dizer:

4. Madworld

Madworld era exatamente o que os jogadores de Wii estavam pedindo: um jogo “hardcore”, ou seja, com sangue, tripas, ação, tiros, bundas etc e foi isso o que a SEGA deu a eles. O resultado? O jogo foi ignorado completamente e teve várias reduções de preço logo após o seu lançamento, o que comeu bonito o lucro que a SEGA teria em cima dele.

No fim das contas, o jogo não vendeu tão mal assim, 700 mi cópias não é nada horrível, mas se esperava mais tendo em vista a quantidade de Wiis que foram pedidos e a escassez de jogos do gênero para ele.

3. Call of Juarez

Tá aí um jogo que eu não entendi até agora como ganhou uma sequência, aliás, várias sequências. Eu lembro de ter tentado jogar por 15 minutos e não ter conseguido (mas isso é problema meu, eu dificilmente continuo jogando algo se não me interessou nesses primeiros minutos), mas parece que e fui um dos poucos a conseguir isso, pois Call of Juarez vendeu ao todo 180 mil cópias.

Tá certo que os jogos seguintes se saíram bem melhor, mas ainda assim, essa série vai completamente contra a tendência atual onde você vende 3 milhões de cópias, é considerado um fracasso e tem sua série colocada na geladeira.

2. Enslaved: Journey to West

Enslaved é um jogo que eu realmente não entendo como não se saiu melhor. Ele é lindo, tem um gameplay muito divertido, cheio de desafios e uma história bem legal. O jogo realmente tinha tudo para se sair bem e um ou dois meses depois do lançamento já estava custando US$ 20,00. Ainda é possível encontrá-lo em promoção nas lojas americanas “de barbada” e provavelmente é por isso que o jogo está quase tocando no milhão de cópias vendidas, mas do ponto de vista comercial, ele foi uma bela decepção.

1. Vagrant Story

Vocês sabem quantos jogos receberam um 40 da Famitsu, uma das revistas de videogame mais conceituadas da história? Bem poucos. Vagrant Story é um deles. Só isso já deveria colocar o jogo num patamar de vendas de Final Fantasy (lá pelos 4 ou 5 milhões de vendas). Sabe quanto o jogo de fato vendeu? Menos de 900 mil cópias.

Vagrant Story é um jogo muito divertido de PlayStation 1 onde você é um Riskbreaker, guerreiro que tem poderes especiais e que acaba sendo culpado pela morte de um Duke. O jogo conta com um sistema inovador de combate onde você escolhe qual parte do inimigo quer atacar e, baseado nisso, ele pode ir perdendo agilidade ou sofrendo mais dano. Soma-se a isso, um sistema de criar armas à partir dos pedaços de outra e temos profundidade pra cacete. Ah, e o jogo era todo em 3D, algo bem difícil de se fazer no PlayStation.

Que outros jogos vocês adicionariam a essa lista?

Este website utiliza cookies