Curiosidades sobre jogos – parte 28

Fala, galera, tudo bom com vocês? Começo da E3 e eu aqui escrevendo curiosidades sobre jogos enquanto espero o pau comer na conferência da Sony. Felizmente elas acabam hoje e amanhã só tem notícias normais e artigos pra escrever aos invés da enxurrada de postagens de hoje. Enfim, vamos lá.

1. E quando não dava pra lançar patches?

O jogo Metropolis Street Racer para Dreamcast foi um jogo promissor. Desenvolvido pela Bizarre Creations e publicado pela SEGA, ele vinha para suprir uma área importante do console, que carecia de bons jogos de corrida, afinal de contas, a EA não iria lançar Need for Speed para o DC. O jogo, infelizmente, acabou não vendendo mais de 120 mil unidades e, pior, recebeu recall duas vezes devido ao excesso de bugs, gerando custos adicionais à companhia.

No fim das contas, quem comprou uma das cópias bugadas (seja da versão 1 ou 2) recebeu uma cópia nova, livre de bugs, mas imaginem o transtorno que deve ter sido ter que esperar um disco novo chegar para jogar uma versão aprimorada do jogo. Agora imaginem fazer isso não uma, mas DUAS vezes. Ter um HD no console e ter que baixar patches é bem menos pior do que isso.

2. Jogando com uma espada de verdade…

Você já pensou em jogar videogame com uma espada? Bom, alguém na Capcom teve essa brilhante ideia e convenceu a companhia a lançar um controle em forma de espada para Onimusha 3. Como vocês podem ver na foto acima, ele não é nem um pouco ergonômico, e deve tornar a experiência do jogo numa tortura. Mas quem disse que a Capcom se contentou com isso? Eles foram lá e lançaram…

3. Uma motosserra como controle!

Resident Evil 4 foi um ponto de inflexão na série. O jogo mudou do clima de suspense original para um ritmo mais elevado e ação mais intensa. Nem todo mundo deve lembrar disso, mas ele foi um exclusivo do Game Cube por algum tempo e ganhou o extra acima, um controle que era uma motosserra. Legal, né?

O único problema desse, a exemplo do outro, é que devia ser uma bosta de jogar com ele, afinal de contas, olha o tamanho desse trambolho, é quase como você jogar com um controle arcade, mas num jogo em três dimensões. Que bom que a Capcom desistiu de fazer isso.

4. Tudo fica melhor com uma serra elétrica

O Lancer, arma mais tradicional de Gears of War, é uma metralhadora com uma serra elétrica no lugar da baioneta. Como eles chegaram a esse design? Bom, antes disso, a CoG (grupo dos Gears) usavam um Lancer com uma lança na ponta, mas após o E-Day, eles perceberam que era difícil penetrar as escamas dos Locust. A solução foi óbvia, trocar as lanças (que ainda podem ser vistas nas Retro Lancer) pela serra.

Ah, curiosidade rápida, a Epic teve que encher muito o saco da Microsoft para manter a serra elétrica, pois a Microsoft não havia gostado muito do gore que isso iria adicionar o jogo. Que bom que no fim das contas eles deixaram essa passar.

5. Eu te conheço de algum lugar

Tá vendo o vídeo acima? Ele saiu de Final Fantasy VIII, durante a parada de Edea em Galbadia. Não notaram nada nele? Bom, se vocês prestarem atenção aos dançarinos da parada, talvez vocês notem que música eles estão dançando ao invés de Liberi Fatali, música tema da feiticeira. Não percebeu ainda?

Gostou? Confira já as outras partes:

Parte 1Parte 2Parte 3Parte 4Parte 5Parte 6Parte 7Parte 8Parte 9Parte 10Parte 11Parte 12Parte 13Parte 14Parte 15Parte 16Parte 17Parte 18Parte 19Parte 20Parte 21Parte 22Parte 23Parte 24Parte 25Parte 26Parte 27

Eric Arraché

Eric Arraché Gonçalves é o Fundador e Editor do Critical Hits. Desde pequeno sempre quis trabalhar numa revista sobre videogames. Conforme o tempo foi passando, resolveu atualizar esse sonho para um website e, após vencer alguns medos interiores, finalmente correu atrás do sonho.