5 personagens que merecem jogos próprios

Fala, galera, tudo bom com vocês? Faz algum tempo, eu fiz uma série de artigos sobre vilões que mereciam jogos próprios, mas obviamente não podemos parar por aí, afinal de contas, há certos personagens em games que são tão sensacionais que acabam roubando a cena e todo mundo fica imaginando como seria um jogo focado nele ou nela.

Bom, no artigo de hoje, eu vou listar alguns desses personagens que, acredito eu, merecem jogos onde eles são os protagonistas.

Vamos lá?

Balthier

Vamos e convenhamos, Vaan é um personagem principal tão apagado em Final Fantasy XII que em 2 horas de jogo você já prefere Balthier 10x mais e acha que ele deveria ser o personagem principal. Bom, por que não fazer isso então? Balthier poderia estrelar um jogo focado na vida dele como pirata dos ares, contando ou a história dele antes dos eventos do game ou até o que ocorre com ele depois de Final Fantasy XII (a continuação lançada pro Nintendo DS que é um jogo de estratégia não conta).

Scorpion

“Get over here!” é uma das frases mais famosas do gênero de luta no mundo dos games. Por que diabos a Netherrealm ainda não aproveitou para criar um jogo baseado no segundo ninja mais conhecido de todos os tempos? Scorpion certamente seria um excelente protagonista, afinal de contas, ele tem uma história legal e seria possível desenvolve-la bem num jogo de ação/aventura, ainda mais hoje em dia com o avanço do poder técnico dos consoles e o que pode ser feito num jogo (diferente do fiasco que foi Mortal Kombat Mythologies: Sub-Zero). Eu imagino que algo no estilo God of War/Dante’s Inferno para Scorpion seria uma boa adaptação para o jogo, aliás.

Solaire

Solaire provavelmente é o personagem mais interessante de Dark Souls inteiro. O cavaleiro errante está à procura do seu sol, seja lá o que for isso. Há várias teorias sobre quem ele pode ser e o que o motivou a ir a Lordran de fato e seria muito legal se a From Software aproveitasse toda a mitologia por trás do cavaleiro para contar a história dele. A engine de Dark Souls já está ali pronta pra isso, ok, não seria o jogo mais original do mundo, mas um DLC focado na história do personagem teria sido muito legal.

Frog

Os personagens de Chrono Trigger são tão bem escritos e carismáticos que praticamente todos mereciam um spin off, mas, acredito eu, Frog é o mais interessante deles. Antes de tornar-se um sapo gigante, Frog era um nobre cavalariço que viu seu amigo ser morto por Magus. Ao invés de mata-lo, Magus decide amaldiçoa-lo e transforma-lo nesta forma que encontramos hoje. O que acontece entre isso e o encontro dele com Crono ninguém sabe, assim como também não foi contado pela Square o que acontece exatamente com o mundo após o final do jogo. Seria bem interessante um jogo focado em uma dessas duas faixas de tempo.

Sully

Victor Sullivan é um personagem extremamente carismático do universo de Uncharted. Como vocês devem lembrar, ele serviu na marinha e já era um ladrão antes de conhecer Drake (que tinha 15 anos no primeiro encontro dos dois) e, durante os games, geralmente é o cara que acompanha você por pelo menos uma parte do jogo (algo impressionante considerando que ele é velho pra cacete) e serve pra meter bala nos inimigos enquanto você procura por mais munição. A Naughty Dog poderia aproveitar alguma parte da parceria dos dois entre esse ponto e o primeiro Uncharted, dando inclusive a possibilidade de você jogar com ele ou com um Drake mais novo e mais frágil do que o todo poderoso ladrão de tesouros dos três games para PlayStation 3.

Que outros personagens vocês acham que mereciam jogos próprios? Deixem seus comentários!

Eric Arraché

Eric Arraché Gonçalves é o Fundador e Editor do Critical Hits. Desde pequeno sempre quis trabalhar numa revista sobre videogames. Conforme o tempo foi passando, resolveu atualizar esse sonho para um website e, após vencer alguns medos interiores, finalmente correu atrás do sonho.

Publicado por

Este website utiliza cookies. Para mais informações, consulte nossa política de privacidade.

Leia nossa política de privacidade