5 jogos que foram destruídos em versões para outros consoles

Fala, galera, tudo bom com vocês? Quem aí nunca quis jogar “aquele” jogo em especial no seu console do coração e que era exclusivo de outras plataformas que não a sua? Às vezes, os desenvolvedores faziam conversões desses jogos e uma porrada de comprometimentos no gameplay ou nos visuais eram feitos para adaptar um jogo que originalmente não rodaria no console. No artigo de hoje, nós vamos falar sobre alguns desses games.

5. Street Fighter II para o ZX Spectrum

O ZX Spectrum era um computador daqueles que você encaixava no seu televisor, fazia programas em basic e tudo mais. A maioria de vocês provavelmente não viveu nessa época, e mesmo o pessoal que já era grande nos anos 80 também não passou por muito disso aqui no Brasil por causa duma restrição de importações que o país tinha para PCs naquela época, tornando esse fenômeno inicial da computação mais restrito aos EUA e à Europa.

Bom, deixando a história de lado, o ZX Spectrum ganhou uma versão da Capcom e ela é ruim pra cacete. Pelo menos o jogo te avisa que o jogo pode ser diferente do que as imagens do manual representam. Isso só pode significar uma coisa: os preguiçosos nem se prestaram a fazer um manual novo pro jogo, tamanha a tosqueira que essa versão ficou.

4. Mortal Kombat Trilogy para o Game.com

O Game.com é um portátil pouco conhecido que foi lançado em 1997 pela Tiger Electronic e que tinha como objetivo ser atraente a jogadores mais velhos, até por trazer funções de PDA nele e ter um modem de internet de 14.4kbps para sabe-se lá o que com toda essa potência de conexão. Uma novidade que ele introduziu nos videogames foi o uso de telas de toque como método de introdução de comandos, mas de uma maneira bem rudimentar.

No fim das contas, o Game.com foi um fracasso de vendas, com apenas 300 mil unidades sendo comercializadas. O portátil recebeu 20 títulos ao todo, sendo uma boa parte conversões totalmente tortas de jogos mais famosos, como o Mortal Kombat Trilogy do vídeo acima e Resident Evil 2, que também poderia ter pintado aqui. Na verdade, qualquer jogo do Game.com poderia ter ocupado esse lugar, já que a qualidade deles deixou bastante a desejar.

3. Resident Evil para Sega Saturn

O SEGA Saturn teoricamente era mais potente que o PlayStation, mas toda essa potência era difícil pra caramba de ser atingida por um simples problema: o console era o inferno na terra de se programar. No fim das contas, a maioria das companhias simplesmente passava a ignorar um dos dois processadores centrais do Saturn para criar jogos e assim as tarefas de programação ficavam mais fáceis, mas uma porrada de poder do console acabava desaparecendo dessa forma.

O resultado disso eram jogos com gráficos bem medíocres, como no caso da versão de Saturn de Resident Evil, que pode ser vista acima. Apesar do vídeo não fazer tanta justiça assim à ruindade do game, essa página aqui faz uma comparação mais detalhada dos jogos. Aí sim é possível ver como a versão de Saturn ficou mal feita em relação à de PlayStation.

2. X-Men vs Street Fighter para PlayStation

Eu lembro de ter comprado X-Men vs Street Fighter e estar ansioso pra caramba para jogar esse jogo no meu videogame, afinal, ele foi a minha febre de fliperama de algum verão da década passada. Que grande decepção descobrir que o elemento principal do jogo, a possibilidade de você controlar mais de um lutador, havia sido removido por causa da falta de memória do PlayStation.

Não só isso, o jogo ainda perdeu uma série de quadros de animação no console da Sony e teve algumas outras mudanças como você recuperar a vida sem precisar trocar de personagem (mudando completamente a ideia inicial do game). No fim das contas, as versões dos crossovers da Capcom para o PSX acabaram tão descaracterizadas que valia mais a pena ficar no bom e velho Street Fighter Zero 2 ou ir para algum emulador de fliperama para PC do que jogar alguma dessas cópias baratas.

1. Resident Evil 4 para PC

Resident Evil 4 foi lançado duas vezes para PC, mas a primeira poderia muito bem ter sido esquecida. O jogo foi considerado um dos piores ports de todos os tempos por uma série de motivos, como vir com sérios problemas de luz e sombra, a falta de suporte a mouse (sério, ou você jogava com joystick ou só com o teclado) e basicamente tudo o que vocês puderem imaginar que poderia ter dado errado.

A Capcom lançou o jogo inicialmente apenas em Hong Kong, o que nunca é um bom sinal, e depois acabou lançando essa pérola no resto do mundo. Felizmente, agora em 2014 a companhia finalmente lançou uma versão à altura do PC, baseada nas versões em alta definição que foram lançadas para PS3 e Xbox 360 há alguns anos.

Bom gente, ficamos por aqui com a postagem. Espero que vocês tenham gostado da tosqueira e, se vocês tiverem alguma sugestão de port que tenha dado muito errado, deixem nos comentários!

Este website utiliza cookies. Para mais informações, consulte nossa política de privacidade.

Leia nossa política de privacidade