Categorias: Artigos

5 Jogos que dariam ótimos filmes – Parte 2

Fala moçada, tudo certo? Dessa vez que vai fazer a segunda parte dessa lista de jogos que dariam ótimos filmes sou eu e antes de mais nada só gostaria de ressaltar que a lista não é um Top 5 nem nada parecido, é só uma lista e pronto. Enfim, pra não perder muito tempo, vamos começar de uma vez:

5. Shadow of the Colossus

Não preciso falar que o jogo em si é uma obra prima a parte. Pra quem teve um Playstation 2, acedito que este seja um título obrigatório na sua lista de “jogados”. É sério, esse jogo é realmente bom, portanto, vou só comentar a minha visão de como o filme deveria começar, mas não vou falar nada sobre o final para não estragar a surpresa de quem por ventura, ainda tenha a intenção de terminar o jogo.

O filme começaria com um leve introdução mostrando todo o amor entre Mono e Wander e como eles viviam felizes em algum lugar bonito e tranquilo quando de repente, uma entidade sem corpo chamada Dormin aparece e assassina Mono, aprisionando o corpo da garota em um tempo no meio do nada.Quando Wander finalmente encontra o templo e o corpo de sua amada, Dormin diz que entregará a vida novamente para Mono se ele topar o desafio de enfrentar 16 criaturas gigantes que vivem nas proximidades.

Certa vez eu lí que se um filme de Shadow of the Colossus fosse feito, ele deveria ser produzido pelo Studio Ghibli, que foi responsável por filmes como a Viagem de Chihiro. Eu confesso que achei a proposta interessante, e gostaria muito de ver o produto da junção disso.

4. Prototype

Prototype é um jogo com uma proposta bastante inovadora. Você encarna um anti herói chamado Alex Mercer, que um dia acorda com amnésia e um penca de poderes bacanudos. Apesar de toda a estranheza da coisa, tudo se explica mais pra frente. Você ainda pode andar livremente pela cidade usando os seus poderes, seja causando o caos, ou só pra dar uma banda por ai arrebentando monstros, soldados que querem a sua cabeça ou esse tipo de coisa que a gente tá acostumado a encontrar na rua nos jogos de ultimamente.

Transformar Prototype em filme não iria requer muita alteração no enredo, entretanto, se eu fosse o diretor do filme, faria com que a história fosse contada de forma mais linear, explicando as memórias que vão aparecendo de forma mais clara e concisa. Mas somente no final os espectadores descobririam que na realidade, o verdadeiro Alex Mercer era um terrorista responsável por todo o caos presente me NY, e que o protagonista era na verdade, uma forma mais evoluída do vírus que somente consumiu o seu corpo e copiou todo o seu DNA.  E qual seria o final perfeito pro filme? Eu acho que ele teria bastante potencial para futuras sequências, então eu provavelmente deixaria em aberto mesmo.

3. Red Dead Redemption: Undead Nightmare

Também conhecido popularmente como o GTA do velho oeste, esse jogo fez história ao te colocar na pela de um personagem que poderia muito bem ser interpretado por Clint Eastwood. Obviamente que as semelhanças físicas são praticamente inexistentes, mas a marra e o jeito pistoleiro de ser -no  bom sentido – tem tudo a ver. Entretanto, apesar de todo “potencial blockbuster” do jogo, eu gostaria bastante de ver uma versão cinematográfica de Undead Nightmare por um único motivo: zumbies + wild west americano, tem como dar errado?

Tudo começaria com John Marston voltando pra casa após ficar dias isolado nas montanhas atrás de um puma que estava devorando seus rebanhos. Ao retornar à sua fazenda, John econtra seu rebanho dizimado e sua propriedade destruída. Ao entrar em casa, depara-se com o corpo da sua mulher estirado ao chão, mas, ao aproximar-se nota que ela ainda se mexe, tentando posteriormente ataca-lo.

Sem entender o que aconteceu, John pega seu cavalo e sai em disparada buscando ajuda, mas ao chegar no vilarejo mais próximo descobre que seja lá o que tenha acontecido, espalhou-se por toda a fronteira Norte Americana. Mais tarde, John Marston descobre que tudo é obra de um necromante mexicano que tem pretensões de dominar todo o Oeste com seu exército de mortos vivos. Depois disso, seria somente tiroteios épicos por todo lado até que o feiticeiro fosse derrotado, num cenário no melho estilo A Torre Negra.

2. Grim Fandango

Grim Fandango é com certeza um dos melhores jogos que eu já joguei! Uma das obras primas da fina Lucas Arts, o jogo trazia um enredo fantástico alem de uma jogabilidade muito interessante que combinava elementos de point n’ click com um adventure convencional.

Tudo começaria com o nosso protagonista Manny Calavera tentando fazer mais algumas vendas de passagens para o Submundo durante as comemorações do dia dos mortos. Manny já for ao melhor dos vendedores/ceifadores de toda a agencia, mas desde a chegada de um novo vendedor seu desempenho tem ficado muito abaixo do esperado, o que o faz pensar que a corrupção já ultrapassou até mesmo as barreiras da morte. Depois de descobrir que sua última cliente que tinha tudo para conseguir uma poltrona exclusiva no expresso nº9 ganhou na verdade uma bengala e uma bússola, Manny decide mandar tudo pro espaço e partir ele mesmo em direção ao submundo, encontrando no caminho demônios mecânicos e revolucionários decapitados.

As aventuras de Manny aconteceriam no melhor estilo Noir americano, e o filme seria repleto de tiroteios com brotadela, bebidas alcoólicas e cigarros de qualidade duvidosa. Caso você seja uma pessoa sensível e não goste de ver filmes com esse tipo de temática não saudável, sugiro levar em consideração que todos os personagens estão mortos! – não pude perder a oportunidade de citar essa piada clássica do jogo – .

1. The Elder Scrolls V: Skyrim

Já vou lembrando aos haters que isso não é um Top 5 nem nada parecido, somete uma lista com os filmes que EU acharia que dariam bons filmes, e Skyrim só tá em primeiro pra dar um suspense, e pra causar uma convulsão no Eric.

Skyrim tem tantas quests, tantas histórias e tantos personagens, que fazer um filme do jogo levaria a um dilema bastante complicado de quais aventuras o protagonista deveria enfrentar, alem daquela em que precisa impedir que os dragões voltem a vida e destruam tudo.

Mesmo sendo tão fã do jogo, eu daria um início diferente para a história. Ao invés de um prisioneiro, nosso herói seria um garoto -ou garota, ou gato, ou lagarto – criado nas ruas e totalmente ignorante quanto a sua descendência. Após acidentalmente acabar salvando o comandante da organização rebelde que pretende destronar o imperador tirano que governa injustamente um assassino contratado pela Dark Brotherhood, o herói seria levado pelos “Blades”, onde mais tarde mostraria ser o último dos Dovahkiin. Após um treinamento rápido em Alto Hrothgar, o herói deveria ser rápido para impedir o avanço do dragão devorador de mundos, ao mesmo tempo que o império estaria preste a eclodir em uma guerra civil.

Estes foram os meus pitecos referentes a como os alguns dos meus jogos preferidos poderiam ser transportados para as telonas, mas como eu já disse antes, isso é uma opinião minha. Caso você não concorde com alguma coisa ou tenha uma opinião melhor, escreve ai nos comentários e vamos discutir como essas histórias poderiam ser melhor aproveitadas. Vai que alguém se descobre um verdadeiro Tarantino através do Critical, nunca se sabe.

Gostou? Confira as outras partes

Parte 1

Este website utiliza cookies