InícioArtigos5 grandes jogos que surgiram de projetos fracassados

5 grandes jogos que surgiram de projetos fracassados

Fala, galera, tudo bom com vocês?

No artigo de hoje nós vamos falar sobre jogos que surgiram de projetos abortados. As companhias sempre estão pensando em novos jogos e fazendo projetos do que fazer depois que o jogo que está para ser lançado for concluído, só que muitos deles acabam nem vendo a luz do dia.

Vamos lá?

5. Devil May Cry

Devil-May-Cry-3-Dantes-Awakening-PC

Devil May Cry, o jogo onde tu é o filho do capiroto e ele não sabe se quer chorar ou não, era para ter sido um Resident Evil. A ideia inicial da Capcom era acelerar um pouco a franquia e focar mais na ação, mas pelo jeito o cara que fez o projeto do jogo era meio surdo e ouviu só a palavra AÇÃO.

O resultado disso foi algo que pode ser definido como Resident Evil depois de uma cartela de ritalina, um jogo pilhadão, acelerado pra cacete e que desagradou a direção por não se encaixar bem no universo Resident Evil, mas hey, a gente pode lançar um jogo com esse projeto e ficarmos zilionários, né?

Pois foi exatamente isso o que aconteceu e foi assim que o Dante viu a luz do dia.

4. Sleeping Dogs

sleeping-dogs-def-review-03

Alguém aí já ouviu falar da franquia True Crime? Ela foi criada lá pelos anos 2000 na época do PlayStation 2 com o objetivo que todo sandbox tem: destronar GTA. O que aconteceu? Feijoada, afinal, GTA continua sendo o rei e True Crime afundou.

A produtora de True Crime, a United Game Front estava criando True Crime Hong Kong quando meio que acabou o dinheiro e a companhia entrou em processo de falência. Daí veio a Square Enix com uma mala de dinheiro e disse ME DÁ QUE EU QUERO UM SANDBOX.

E foi assim que nasceu GTA Flango Edition, também conhecido como Sleeping Dogs, já que a marca True Crime é da Activision.

3. Warcraft

warcraft-3

Quem aí conhece o jogo de tabuleiro Warhammer? É, eu também não, mas a Blizzard, quando mal tinha virado Blizzard ainda, queria lançar um jogo de estratégia baseado nesse jogo de tabuleiro. O jogo estava quase pronto quando os advogados da companhia não se entenderam com os advogados da Games Workshop.

O resultado disso foi que a companhia mostrou o dedo do meio pra eles e mudou o nome do jogo e várias unidades, passando de Warhammer para Warcraft, ou de Martelo de Guerra pra Artesanato de Guerra. O jogo obviamente não é sobre viver da própria arte na beira da praia, e acabou fazendo sucesso pra cacete, tanto que botou a Blizzard no mapa e ela começou a carreira de empresa imaculada que nunca erra e que ganha mais dinheiro que o Tio Patinhas.

2. Deus Ex

Deus-Ex-3

Deus Ex é um dos jogos mais fodas e inovadores de todos os tempos, mas ele quase foi um jogo completamente diferente. Segundo o criador dele, a ideia original era chamar o jogo de Troubleshooter, onde você seria um ex-policial num mundo real, ou seja, zero augmentações e todas as coisas legais de Deus Ex.

O problema é que a Looking Glass, produtora que ia financiar o projeto, achou que não existia tecnologia disponível no momento pra esse jogo e não liberou a grana. Pra salvar o dia, veio o John Romero teve um lampejo de genialidade e ofereceu a grana necessária pra que o jogo fosse criado, enquanto eles próprios criavam Daikatana, que merece um vídeo inteiro sobre o quão ruim ele é.

1. The Last of Us

TheLastofUs_feature

Você sabia que The Last of Us quase foi um Reboot de Jak and Daxter? A Naughty Dog tinha a missão de reiniciar a série em 2009 e, apesar deles terem tentado várias ideias do que fazer com a franquia, todos os resultados não se adequavam ao que eles achavam que Jak and Daxter tinha que ser.

No fim das contas, o Neil Druckmann foi até a chefia da Naughty Dog e disse “chefe, eu tô cansado pra caralho, só trabalho nessa porra, merda, do o cu aqui todo dia” e a chefia deixou eles seguirem num novo projeto, onde eles aproveitaram algumas das ideias e acabaram nos presenteando com um dos jogos mais fodas de todos os tempos.

Vídeo

Eric Arraché
Eric Arrachéhttp://criticalhits.com.br
Eric Arraché Gonçalves é o Fundador e Editor do Critical Hits. Desde pequeno sempre quis trabalhar numa revista sobre videogames. Conforme o tempo foi passando, resolveu atualizar esse sonho para um website e, após vencer alguns medos interiores, finalmente correu atrás do sonho.