5 fatos que provam que a nostalgia Pokémon é uma grande besteira

Fala, galera, tudo bom com vocês? A cada anúncio de um novo Pokémon é sempre a mesma ladainha das pessoas dizendo que “Pokémon era bom em 1996”, mas será que o jogo realmente era melhor ou será que eles estão reclamando só do design dos novos monstros? Se for só a segunda parte, ok, não tem como criticar a crítica, pois alguns Pokémons realmente são muito ruins, mas se o negócio for pro lado do “Pokémon no Game Boy era melhor”, nós temos uma série de fatos que comprovam o contrário. Segura na minha mão e vem comigo que eu te provo isso:

1. Todos os Pokémon

Trocar Pokémon hoje em dia é extremamente fácil. Tudo o que você precisa fazer é ligar o Global Trade Whatsits e deixar lá seu Pokémon e o que você quer por ele, tipo um Mercado Livre Pokémon. Depois disso, é só ir dormir, ou fazer outra coisa e algumas horas depois checar o sistema de novo para descobrir que seu monstrinho já era e que o Pokémon que você queria está lá.

Antigamente, encontrar alguém com Pokémon, ter um Cabo Game Link e ainda por cima ele ter os Pokémon que você queria era praticamente impossível. Pior ainda se você estivesse jogando na versão de emulador, que não dava para competir com outras pessoas, muito menos trocar com elas.

Essa situação podia ser mitigada nesse último caso usando um emulador que simulasse o Cabo Game Link com duas janelas do emulador abertas, mas haja força de vontade para ficar com dois jogos rodando para fazer as trocas. No fim das contas, todo mundo chega no fim de Pokémon Red & Blue sem um Alakazam ou um Golem por causa disso.

2. As viagens são bem mais simples

A imagem acima ilustra a maldição que era ir de uma cidade à outra nos jogos inicias de Pokémon, e olha que em Fire Red e Leaf Green você ainda conseguia correr, o que já era uma bela adição. No Game Boy, seu treinador andava apenas, e você só ganhava o direito de ter uma bicicleta após algumas boas horas de jogo, tornando toda viagem até então um verdadeiro porre.

3. Evoluir um Pokémon fraco é mais fácil do que nunca

Quem aí não caiu no conto do vigário de comprar um Magikarp no nível 5 por 500 dinheiros e descobrir que aquele Pokémon é completamente inútil até o level 20, quando ele vira um poderoso Gyarados? Bom, treiná-lo até lá é uma verdadeira tortura nos jogos iniciais da série. Hoje em dia, você ganha um Ex-Share bem no começo do jogo que funciona bem melhor do que os das versões anteriores.

Antigamente, o Exp-Share seriva para compartilhar experiência com apenas um Pokémon do grupo, onde o seu Pokémon que lutava dividia a experiência com ele. O novo Exp-Share dá a mesma quantidade de experiência para todos, sem precisar dividir por dois, ou seja, pegue seu Charizard level 80 e leve-o para a Victory Road e fique meia hora lá com mais 5 Pokémons de level 5 no seu grupo. Eles provavelmente vão estar no nível 30 depois desse curto tempo treinando. Agora faça o mesmo em Red/Blue pra ver o que acontece. Cinco, seis níveis no máximo.

4. É mais fácil do que nunca ter um grupo diversificado

Estou com cerca de 30 horas de jogo em Pokémon X e até o momento, minha Pokédex já tem mais de 350 criaturas registradas. Dessas, eu capturei pelo menos umas 140. Em 30 horas de Pokémon Red/Blue, você vê o que? Uns 4 mil Zubats (que devem ter sido extintos de tanto que apanharam nas versões anteriores dos jogos, pois eu não vi nenhum no jogo inteiro) e 800 Geodudes/Graveler. Ter uma Pokédex com 100 Pokémon registrados era uma vitória sem precedentes nas antigas. Hoje em dia, mesmo usando Repel durante o jogo todo, você bate esse número facilmente.

Isso é bom e ruim ao mesmo tempo. Bom porque dá para variar o grupo bastante. Eu já usei uns vários “grupos principais” de Pokémon durante o jogo envolvendo Kadabras, Lapras, Gengars e afins. O problema é que eu ainda não sei qual vai ser o meu grupo definitivo, mas isso é tipo treinador de futebol que não sabe qual escalação usar porque nenhum jogador do time está na ala médica.

5. Comprar uma versão só é o suficiente

Você já parou para pensar porque Pokémon vem em duas versões? Para você interagir com seus amigos, claro, não para você ter que comprar as e a Nintendo lucrar mais nisso, ou ainda você ter que comprar um Cabo Game Link, ou pior, cada um ter que ter sua versão do jogo e não poder emprestar para o amigo. Bom, desses problemas, dois foram resolvidos. Hoje em dia, dá para sobreviver numa boa apenas com uma das versões do jogo com o sistema de trocas dele, afinal, era apenas isso que você precisava para completar o desafio supremo de preencher todos os espaços da Pokédex.

Que outras características da franquia melhoraram com as últimas versões do jogo em relação aos primeiros capítulos? Deixem seus comentários!

Eric Arraché

Eric Arraché Gonçalves é o Fundador e Editor do Critical Hits. Desde pequeno sempre quis trabalhar numa revista sobre videogames. Conforme o tempo foi passando, resolveu atualizar esse sonho para um website e, após vencer alguns medos interiores, finalmente correu atrás do sonho.

Disqus Comments Loading...
Publicado por

Este website utiliza cookies. Para mais informações, consulte nossa política de privacidade.

Leia nossa política de privacidade