5 curiosidades sobre jogos – Parte 44

Fala, galera, tudo bom com vocês? Voltamos a mais um episódio das curiosidades sobre jogos. No episódio de hoje eu falo sobre alguns crimes históricos que andaram ocorrendo, dentre outras coisas legais que vocês provavelmente não sabiam mas que vão acabar achando interessante. Ou não, quem sabe, né?

5. Crime histórico

A Atari nunca esteve muito bem das pernas após a crise que atingiu o mercado de videogames em 1984, mas um dos momentos mais dramáticos da companhia foi em 1996. A família responsável pela compra da Atari em 1984 queria sair do negócio de videogames, e a Atari não tinha nenhum produto para vender, pois o Jaguar (última tentativa da empresa de lançar um console competitivo no mercado) havia fracassado.

Após essa venda inicial da companhia, o que ocorreu foi uma sucessão de donos e, no meio disso tudo, um crime histórico ocorreu: o código fonte original de Asteroids e de Centipede acabou sendo jogado no lixo.

4. O Final Fantasy de um homem só

Responda rápido: que nomes da indústria você lembra ao ouvir falar de Final Fantasy? Hironobu Sakaguchi? Nobuo Uematsu? Yoshinori Kitase? Bom, e se eu te falasse Nasir Gebelli? Conhece ele? Esse cara foi o programador de Final Fantasy original. Isso mesmo, o jogo de NES foi totalmente programado por apenas uma pessoa. Sabe pior? Ele nem sabia direito o que era um RPG.

Como vocês devem lembrar, a Square Enix era uma companhia quase quebrada quando lançou Final Fantasy, e o orçamento para o jogo era curto. Tão curto que eles só podiam pagar por apenas um programador, e eles escolheram em cheio ao usar Gabelli para desenvolver o game, tanto que ele é tido como uma lenda por diversos programadores famosos, como John Romero (um dos criadores de Doom).

Nasir Gebelli é um descendente de iranianos nascido nos EUA que trabalhou na Square Enix e foi peça importante do desenvolvimento de todos os jogos da franquia no NES. Além deles, ele participou também dos primórdios da série Secret of Mana, mas acabou demitindo-se da companhia em 1993 para viajar o mundo e viver dos royalties que os jogos criados por ele até então renderam. Que bom pra ele que a Square Enix já relançou Final Fantasy umas 20x desde então.

 3. Eject!

Você sabe para que serve o botão Eject do Super Nintendo? Acha que é para não danificar os cartuchos? E por que o Mega Drive não tinha um desses? Será que a SEGA odeia os donos do console ou há um outro motivo nisso? O motivo, segundo a própria Nintendo, é por pura diversão das crianças. Sério mesmo, a companhia adicionou o botão tanto no SNES quanto no NES para que elas se divertissem até no momento em que estivessem trocando de cartuchos. Você por acaso já deu boas risadas apertando esse botão? Eu não.

Page: 1 2

Eric Arraché

Eric Arraché Gonçalves é o Fundador e Editor do Critical Hits. Desde pequeno sempre quis trabalhar numa revista sobre videogames. Conforme o tempo foi passando, resolveu atualizar esse sonho para um website e, após vencer alguns medos interiores, finalmente correu atrás do sonho.

Este website utiliza cookies. Para mais informações, consulte nossa política de privacidade.

Leia nossa política de privacidade