3 jogos caros que não tiveram uma boa recepção – parte 3

Meus queridos amigos e leitores, estamos hoje de volta com essa série que, na verdade, foi iniciada pelo meu amigo Lucas Schlottfeldt, e que eu resolvi pegar emprestado e escrever sobre pra você.

Vocês já estão ligados na ideia do artigo né? Jogos que tiveram um alto custo de produção mas que, infelizmente, acabaram não sendo bem recebidos criticamente ou comercialmente e acabaram abrindo um rombo, pequeno ou grande, nas finanças de quem pagou o desenvolvimento.

Nosso amigo Lucas já falou de vários jogos até agora, e foi até meio difícil achar mais três exemplos pra mostrar pra vocês aqui, mas no final conseguimos. Vamos parar de enrolar e começar então?

3. Duke Nukem Forever


Após anos e anos de promessa de um novo jogo da excelente franquia, 15 anos de produção e o projeto na mão de quatro estúdios diferentes, o jogo finalmente foi lançado em 2011, com altas promessas e, principalmente, expectativas. Infelizmente, o produto final foi um jogo que parece que ficou pronto em 97 e deixaram ele guardado até 2011, com design e mecânica ultrapassada.

Imaginem o quanto 15 anos de desenvolvimento não pesam no orçamento de um jogo. Estima-se que o custo total da produção de Duke Nukem Forever esteja na base 40 milhões, um valor que dificilmente foi recuperado no total. Mas, já que a Take-Two acabou comprando o projeto por um valor baixo, é provável que ela tenha talvez tido um pouco de lucro ou então, no pior dos casos, empatado os custos. Porém, quem botou a mão nesse projeto antes provavelmente acabou ficando no prejuízo.

Acho que as vezes o melhor é simplesmente desistir de algumas coisas.

2. APB: All Points Bulletin

APB é um jogo multiplayer online lançado pro PC que era baseado guerras de facções. Quem comandou o desenvolvimento do jogo foi  David Jones, criador do GTA Original, o que criou uma certa expectativa em torno do jogo. Mirando alto, o jogo pretendia colocar diversos jogadores jogando juntos online e, talvez por isso, tenha feito com que seu orçamento inchasse bastante.

Com um custo total de 50 milhões de dólares, o jogo teve um lançamento bem complicado, com poucos jogadores na comunidade, problemas de servidores e com o jogo passando de mão em mão algumas vezes. A recepção crítica também foi muito ruim, com o jogo atingindo a baixa marca de 56% no Metacritic, um número pífio considerando o alto valor injetado no desenvolvimento.

Depois de ir pra lá e pra cá, o jogo acabou caindo no setor Free-to-play da Steam e, pior ainda, com um prejuízo na mão da publisher.

1. Shenmue

Esse exemplo já é um pouco diferente, já que estamos falando de um jogo que teve bastante sucesso de crítica e, tecnicamente, comercial também. Shenmue teve ótimas notas e avaliações pela internet, mas por causa de seu alto orçamento de produção, o jogo precisava alcançar cifras altíssimas para gerar lucro.

Totalizando um custo de 70 milhões, estima-se que Shenmue precisaria ser comprado 2 vezes por cada dono de Dreamcast para que a Sega pudesse ver a cor do dinheiro novamente, o que inclusive fez com que a Sega praticamente quebrasse. É dito por aí que o valor ficou tão alto porque a Sega já investiu uma parcela desse dinheiro na produção de conceitos e criação de uma base para futuras continuações do jogo. Acredita-se que os custos relativos somente ao jogo estejam em 47 milhões.

É isso amigos, hoje ficamos por aqui. Mais três exemplos de investimentos que com certeza no final não deram o resultado esperado. Tem mais alguma sugestão? Discordou de alguma coisa? Deixa um comentário ali em baixo! Até a próxima, amigos.

Este website utiliza cookies. Para mais informações, consulte nossa política de privacidade.

Leia nossa política de privacidade