InícioAnimeEntenda como funciona o casamento de individualidades em My Hero Academia

Entenda como funciona o casamento de individualidades em My Hero Academia

À primeira vista, a sociedade de heróis de My Hero Academia parece encarnar a essência de uma comunidade perfeita, com heróis e civis trabalhando juntos para manter a paz. No entanto, ao aprofundar-se na dinâmica desta sociedade, revelam-se as rachaduras dentro do mundo dos heróis, com experimentação antiética e sistemas de castas invisíveis correndo desenfreados.

Um dos males sociais é a prática de casamentos de individualidades, uma forma de experimentação que se baseia nos princípios de seleção genética.

Casamentos de individualidades têm há muito tempo assolado o mundo dos heróis, pois as pessoas foram coagidas a se casar simplesmente para conceber individualidades aprimoradas. Embora a prática em si tenha diminuído com o tempo, os efeitos de tal prática antiética são vividamente aparentes na sociedade de heróis atual.

Seja trauma psicológico ou defeitos físicos, as crianças de casamentos de individualidades têm sofrido profundamente, retratando o lado sombrio dessa sociedade aparentemente perfeita.

A Ideia por Trás dos Casamentos de Individualidades

Entenda como funciona o casamento de individualidades em My Hero Academia
Reprodução: My Hero Academia

Os casamentos de individualidades seguem o conceito de criação seletiva, e embora possa ser uma ideia sólida para fortalecer raças animais, ela traz alguns dilemas morais significativos para os humanos.

O propósito principal dos casamentos de individualidades é misturar duas individualidades poderosas, resultando em descendentes com uma versão aprimorada das duas individualidades originais. As individualidades tendem a se tornar mais fortes à medida que as gerações passam, mas casar à força duas individualidades apenas pelo poder é claramente uma prática antiética.

O conceito se torna ainda mais bizarro considerando que as pessoas foram coagidas a se casar simplesmente por suas individualidades poderosas. Endeavor é um exemplo disso, pois comprou a família de Rei para obrigá-la a se casar, levando a uma família cheia de angústia psicológica e miséria constante.

Com heróis envolvidos nessa prática, fica claro que outros segmentos da sociedade ainda continuam a se envolver nesse ato antiético.

Os casamentos de individualidades ganharam força em algum momento durante a segunda e terceira gerações de usuários de individualidades. Embora a prática nunca tenha sido oficialmente proibida, sempre foi vista através da lente da imoralidade, já que esses casamentos seletivos trouxeram vários dilemas éticos.

A série explorou dois desses aspectos por meio do casamento problemático de Enji (Endeavor) e Rei, uma combinação que resultou em uma família desfeita e uma criança com um quirk autolesivo.

Vítimas dos Casamentos de Individualidades

Entenda como funciona o casamento de individualidades em My Hero Academia
Reprodução: My Hero Academia

A criação seletiva em humanos em si é um dilema ético, mas o fator adicional de criar superpoderes geneticamente torna essa prática um ato completamente imoral. No entanto, há muito mais na prática de casamentos de individualidades que acrescenta à depravação do processo, principalmente em relação aos descendentes concebidos por essa crueldade. A família Todoroki incorpora todos os aspectos antiéticos dos casamentos de individualidades, pintando um quadro completo do resultado de um matrimônio forçado.

Enji coagiu Rei a se casar subornando toda a sua família, deixando-a sem escolha a não ser cessar a resistência. Endeavor a forçou a dar à luz quatro filhos, mesmo que Rei não quisesse ter filhos após o nascimento de Fuyumi Todoroki. No entanto, o Pro Hero forçou Rei a cumprir, apenas para ser satisfeito com o nascimento de Shoto Todoroki, que possuía a combinação perfeita de Hellflame e Frost, tornando-o um quirk superior ao dele.

No processo de criar seu sucessor, Endeavor arriscou as vidas de seus próprios filhos, especificamente Touya Todoroki, conhecido pelo nome de vilão Dabi. O Blueflame de Dabi é resultado do quirk Hellflame de Endeavor, mas ele não recebeu a resistência ao calor que o acompanha. Em vez disso, ele herdou a resistência ao frio de sua mãe, um traço inútil para um quirk de chama.

Isso tornou seu poder extremamente instável, já que prejudicava seu próprio corpo, e os efeitos podem ser vistos em todo o corpo de Dabi, queimando lentamente toda a sua carne. Endeavor estava totalmente ciente desses riscos, mas insistiu em ter um filho geneticamente modificado, independentemente das desvantagens.

Os Aspectos Antiéticos dos Casamentos de Individualidades

Entenda como funciona o casamento de individualidades em My Hero Academia
Reprodução: My Hero Academia

Arriscar as vidas de futuros descendentes é uma barreira antiética por si só, mas essa prática tem alguns outros efeitos não intencionais na sociedade de heróis. O mais evidente é a mudança inadvertida em direção à prática da eugenia, um fenômeno controverso que promove a procriação entre indivíduos geneticamente bem dotados, enquanto exclui aqueles com qualidades socialmente indesejáveis.

No mundo dos heróis, existe uma discriminação não falada contra os Heteromorfos, ou aqueles que possuem individualidades que produzem anomalias físicas. Essas individualidades são consideradas mais fracas do que seus equivalentes, e os usuários frequentemente são vítimas de preconceito devido à sua aparência.

Os casamentos de individualidades essencialmente agravariam uma discriminação já existente, já que os Heteromorfos seriam completamente excluídos do pool genético, levando ao desaparecimento quase completo deles após algumas gerações.

Os casamentos de individualidades levantam sérios dilemas éticos, e o sofrimento dos Heteromorfos está diretamente relacionado a essa prática. De todas as perspectivas, esses casamentos são um terreno fértil para individualidades defeituosas e trauma psicológico, sem mencionar a erradicação de um segmento inteiro da sociedade. Os casamentos de individualidades representam com precisão o lado sombrio da sociedade de heróis, um lado que muitas vezes é ignorado em prol de promover uma narrativa de um mundo de heróis perfeito.

My Hero Academia começou a ser publicado por Kohei Horikoshi em 2014 e é um dos mangás mais vendidos da atualidade.

A história segue Izuku Midoriya, um garoto determinado e gentil que nasceu sem uma Individualidade, mas sonha em se tornar um herói. A vida de Midoriya muda drasticamente quando ele encontra seu ídolo, o lendário herói All Might, que reconhece o potencial e a coragem do garoto.

All Might passa a sua prórpia individualidade, o “One For All”, para Midoriya, permitindo-lhe realizar seu sonho de ingressar na U.A. High School, uma escola de elite para futuros heróis. Na U.A., Midoriya faz amigos e enfrenta rivais, enquanto aprende o que realmente significa ser um herói. Enquanto isso, uma crescente ameaça de vilões que desejam destruir a sociedade heróica começa a emergir, desafiando Midoriya e seus colegas a superar seus limites e proteger o mundo.

As histórias de Izuku Midoriya e seus amigos são lançadas semanalmente no Japão e o mangá está em suas etapas finais da história. Os personagens de My Hero Academia estão dentre os mais bem recebidos pelos fãs de anime e mangá ao redor do mundo.

Atualmente, My Hero Academia conta com seis temporadas concluídas, e é um dos animes modernos mais bem sucedidos da atualidade. Para completar, os filmes e Ovas de My Hero Academia estão quase numa dezena, todos muito bem recebidos.

Você pode acompanhar o anime na íntegra no Crunchyroll, em japonês com legendas em português. Já o mangá de My Hero Academia é publicado no Brasil pela JBC e você pode comprá-lo aqui.

Valteci Junior
Valteci Juniorhttp://criticalhits.com.br
Fã obcecado de Souls-like e curto uns FPS e animes