Ziggurat – Review

Observação: Ziggurat está em acesso antecipado, o que significa que o desenvolvedor ainda pode alterar no futuro alguns dos pontos negativos apontados aqui. O jogo está sendo avaliado conforme o seu estado no dia 22/08/2014

Quando eu era mais novo, lembro de ir às bancas de revista comprar aquelas revistas que vinham com CD-Roms de demonstrações de jogos, pois a internet meio que não era uma realidade nos idos de 1995~96, e esse era o único jeito de ficar por dentro dos últimos lançamentos de jogos, ainda que fosse possível jogar apenas pedaços deles. Dentre esses jogos, um deles me chamou a atenção: Hexen, um jogo onde você era um mago e enfrentava criaturas demoníacas. Quase 20 anos depois, Ziggurat foi lançado, e ele lembra bastante Hexen, só que bem mais difícil.

Em Ziggurat, você é um aprendiz de mago que deve sobreviver ao desafio do Zigurate, ou seja, explorar um templo antigo cheio de ameaças e tentar sair de lá vivo, para ser então considerado um poderoso mago. A tarefa é realmente difícil, você joga em primeira pessoa e faz uso da sua vara mágica, além de outras magias, para derrotar ondas sucessivas de inimigos que habitam as diferentes salas dos andares do Zigurate.

Apesar do jogo estar em acesso antecipado, Ziggurat já apresenta um ótimo nível de polidez, trazendo inimigos variados e um sistema de geração procedural de labirintos onde você nunca passa por um local igual ao da partida anterior, mesmo eles sendo parecidos em estética.

Para combater esses inimigos, como já dito, você usa diferentes magias, num esquema de FPS, onde você tem que mirar, atirar, fugir etc, só que também há elementos de dungeon crawler nessa ação, já que o jogo é difícil pra caramba. Imagine algo como um filho de Rogue Legacy com um jogo de tiro. A dificuldade é mais ou menos essa, o que significa que você vai morrer pra caramba nas primeiras tentativas.

O jogo, felizmente, vai ficando menos difícil conforme você libera novos personagens, mas ainda difícil o suficiente para fazer você morrer caso seja displicente demais com os inimigos, com a sua vida, enfim, é aquele tipo de jogo onde você realmente não pode dar mole, senão a morte é quase certa. Além disso, o seu personagem progride de nível e ganha experiência, como num jogo de RPG. A cada nível, você adiciona uma habilidade nova, como ganhar mais experiência, recuperar um pouco da vida etc. Nada que realmente torne a sua vida uma mamata, mas toda ajuda é bem-vinda nesse jogo.

Ziggurat apresenta ainda compatibilidade tanto para mouse e teclado quanto para joystick. Eu só gostaria que o jogo parasse de fazer o meu joystick vibrar enquanto eu jogo no teclado, pois o joystick vibra a praticamente qualquer ação que você faz, então, se você esquecer o controle conectado no computador enquanto joga, ele vai ficar fazendo barulhos cada vez mais estranho por estar em cima da mesa, do computador etc.

Vale a pena ressaltar duas coisas ainda. A primeira é que, apesar de fazer você morrer pra caramba, o jogo não é tão longo assim. Ele consiste de cinco níveis. O difícil é conseguir sobreviver a todos por causa da segunda, que é a falta de opções de cura durante a aventura. O jogo dá muito poucas opções de cura, não há uma magia e você não carrega poções de cura, o que significa que o seu personagem depende da sorte de caírem potions conforme você explora o Ziggurat.

Graficamente, Ziggurat tem um estilo de arte bem interessante. Os inimigos são todos originais entre si e alguns até vão provocar risadas em você, como as cenouras carnívoras que tentam te morder (grande ponto pra o jogo por isso, aliás). Mesmo não sendo graficamente demandante (os requisitos mínimos do jogo são bem modestos) há algumas engasgadas de performance perto do fogo às vezes, o que deve ser corrigido nas próximas atualizações.

A trilha sonora de Ziggurat é bem ok. Não há nada de grandioso nela, mas também não há nada que prejudique, exceto o fato dos inimigos não fazerem barulho. Eu gostaria que isso fosse mudado nas próximas atualizações, pois quando você não tem muitas opções de cura (não há magias, você tem que depender da boa vontade do jogo em dar opções ou da sua habilidade de manter-se vivo) saber de onde as porradas estão vindo ajudaria bastante.

Resumo para os preguiçosos

Ziggurat é um jogo bem interessante e que, apesar de ainda estar dando seus primeiros passos, tem um excelente futuro. O misto de dungeon crawler com FPS apresenta um desafio elevado, inimigos interessantes e um excelente fator replay, que vai fazer você ficar grudado na frente dele até conseguir vencer o desafio. Apesar disso, o jogo ainda tem alguns problemas, como o fato de você não poder salvar o seu progresso, a escassez de meios de cura do seu personagem e a falta de um sistema de som que te dê uma noção de onde estão os seus inimigos.

Nota final

80
Saiba mais sobre os nossos métodos de avaliação lendo o nosso Guia de Reviews.

Prós

  • Excelente desafio
  • Ótimo fator replay
  • Bela direção de arte e inimigos

Contras

  • Não é possível salvar o seu progresso na aventura
  • Poucas opções de cura acabam tornando algumas partidas injustas
  • Muito curto atualmente
Publicado por
Tags: Ziggurat

Este website utiliza cookies. Para mais informações, consulte nossa política de privacidade.

Leia nossa política de privacidade