InícioReviewsYoshi's New Island - Review

Yoshi’s New Island – Review

A Nintendo aproveitou o 3DS para ressuscitar uma das franquias mais desejadas e queridas de quem viveu na época do Super Nintendo: Yoshi’s Island. Trazendo o produtor do jogo original para comandar esse novo capítulo e utilizando-se da mesma engine e formato de jogo dos New Super Mario Bros atuais, o jogo tinha tudo para ser tão especial quanto o primeiro, mas será que a companhia conseguiu recapturar aquela magia (e desespero que dá) de bancar a babá e ainda por cima salvar a ilha dos dinossauros?

Yoshi’s New Island começa mais ou menos da mesma forma que Yoshi’s Island começa. Uma cegonha está transportando Baby Mario e Baby Luigi para seus pais, quando é atacada pelos seguidores do Baby Bowser. Os vilões conseguem raptar Luigi, e o pequeno Mario acaba caindo na ilha dos Yoshis. Como ele é brasileiro e nunca desiste, Mario começa a caminhar na floresta para resgatar seu irmão, e os Yoshis decidem ajudá-lo, afinal de contas, ele é um bebê, e ainda está uns bons anos distante de poder conseguir fazer alguma coisa.

Nisso, você começa a jogar e a sensação é exatamente a mesma de 19 anos atrás. Você controla diferentes tipos de Yoshi e deve ir avançando pelas fases, derrotando os inimigos que aparecem, pegando bônus, itens especiais etc. Basicamente tudo o que você já fez em outros jogos. A diferença aqui é que o dinossauro verde (vermelho, azul, amarelo, enfim, há vários deles) funciona de maneira distinta, já que ele pode “mais ou menos” planar no ar, engolir inimigos e transformá-los em ovos para que eles sejam arremessados em outros adversários.

yoshis-new-island-review-02

Essa possibilidade de Yoshi arremessar ovos acaba adicionando algumas novidades no gameplay. Uma delas é que certos inimigos só podem ser mortos se atingidos em certos pontos. Além disso, você ainda tem alguns itens que só podem ser pegos com um tiro de ovo certeiro. Outra adição é que há certos inimigos gigantes que acabam virando balas de canhão após tornarem-se ovos, e que destroem boa parte do cenário, possibilitando assim que você avance.

Como você está carregando uma criança no colo, um dos objetivos principais de Yoshi’s New Island é evitar que o Baby Mario seja sequestrado pelas forças de Baby Bowser. Para isso, você não deve ser atingido pelos ataques dos inimigos. Caso você seja, Baby Mario começa a flutuar dentro de uma bolha e você tem que se virar nos 30 (ou menos) para alcançá-lo antes que seja tarde demais. Outras maneiras de você morrer durante o jogo são as tradicionais quedas na lava, de buracos sem fundo etc.

Uma novidade adicionada pela Nintendo são os minigames que você encontra em algumas fases. Eles são basicamente controlados pelo giroscópio do Nintendo 3DS, e você se transforma num submarino, balão ou algum outro meio de transporte com o objetivo de chegar até o outro lado do cenário coletando o máximo de moedas o possível e tentando desviar dos inimigos que aparecem na tela. Imagine algo tipo um Doodle Jump da vida, mas com você controlando o Yoshi.

yoshis-new-island-review-03

A cada uma dessas fases concluídas, você libera novos minigames para o modo co-op do jogo. Esse modo funciona com apenas um cartucho do jogo, mas não permite que ambos terminem Yoshi’s New Island jogando juntos, apenas que você e mais algum amigo fiquem jogando minigames simples baseados em fases ou trechos do jogo.

O jogo em si não chega a ser difícil, ainda mais no começo, onde as fases são bem intuitivas e ele está tentando te ensinar todos os movimentos que Yoshi tem. A verdadeira dificuldade do jogo, na verdade, é ir coletando todos os itens que as fases escondem. A cada fase, você tem um número de flores, moedas vermelhas e estrelas para coletar. Dá para terminar o jogo sem maiores problemas ignorando esses colecionáveis, mas a graça mesmo está em ficar procurando em cada cantinho onde ficou aquela moeda vermelha que falta para você fechar a fase de fato.

Graficamente, parece que Yoshi’s News Island perdeu um pouco da magia que o seu antecessor tinha. Yoshi’s Island era um jogo bonito pra caramba exatamente pelo estilo gráfico escolhido pela Nintendo. O jogo era bidimensional com imagens em aquarela. A Nintendo meio que tentou fazer isso novamente com visuais em 3D no Nintendo 3DS e eu realmente achei que não ficou tão legal assim. Pode ter sido falha na execução ou até na capacidade gráfica do portátil em fazer algo do tipo, mas daí eu não saberia dizer.

No departamento sonoro, Yoshi’s New Island apresenta as músicas tradicionais de qualquer jogo da franquia Mario. Elas são divertidas, e é engraçado pra caramba ouvir o Yoshi se debatendo pelas fases, mas realmente não é algo que vá te fazer procurar a trilha fora do jogo para ouvir por aí.

Resumo para os preguiçosos

Yoshi’s New Island é um jogo padrão da franquia Mario que apresenta algumas “novidades” no gameplay para quem não jogou Yoshi’s Island. Infelizmente,  jogo apresenta poucas novidades em relação ao título lançado 19 anos atrás, e acaba não conseguindo capturar a magia dos gráficos do seu irmão mais velho. Ainda assim, se você quer mais um Mario para jogar, o jogo certamente não vai te fazer sentir arrependido, só não vai surpreender também.

Nota final

75
Saiba mais sobre os nossos métodos de avaliação lendo o nosso Guia de Reviews.

Prós

  • Controlar somente o Yoshi é divertido, ainda mais se você nunca o fez
  • Vários itens para colecionar espalhados pelas fases
  • Minigames solo e co-op divertidos

Contras

  • Os gráficos ficaram aquém do esperado
  • Pouca inovação em relação ao título anterior
Eric Arraché
Eric Arrachéhttp://criticalhits.com.br
Eric Arraché Gonçalves é o Fundador e Editor do Critical Hits. Desde pequeno sempre quis trabalhar numa revista sobre videogames. Conforme o tempo foi passando, resolveu atualizar esse sonho para um website e, após vencer alguns medos interiores, finalmente correu atrás do sonho.