Who Wants To Be A Millionaire – Review

Um milhão de dólares. Essa quantia mágica já povoou a cabeça de muita gente ao redor do mundo. Muitos estariam com todos os seus problemas resolvidos por um bom tempo com essa quantia, já para outros poucos privilegiados, isso é troco de cafezinho (oi, Eike). Programas de televisão já foram feitos com essa temática e, recentemente, a Deep Silver lançou um jogo baseado num desses programas famosos, que foi usado também no filme Slumdog Millionaire. Mas será que o jogo bom? Confira abaixo.

Who Wants To Be A Millionaire começa com a tela de seleção de quantos participantes vão brincar. Após decidir isso, o jogo demora um pouco para começar, entre a tela de carregamento e a entrada do apresentador. Depois de algumas partidas, e de ficar sabendo que não tem como pular essa tela, você acaba ficando um tanto entediado com isso, querendo pular de uma vez e começar a subida ao milhão.

  • Nome: Who Wants To Be A Millionaire
  • Plataforma: Xbox 360
  • Desenvolvedor/Publisher: Doublesix/Deep Silver
  • Lançamento: 16 de Outubro de 2013

O jogo sempre vai começar com uma pergunta de ordenação cronológica “bônus”, mas que na verdade não serve para nada. Após isso, começa o jogo em si, onde você tem que ir respondendo perguntas sobre os mais variados tópicos e tentar chegar ao milhão de dólares. Tudo lembra bastante o bom e velho “Show do Milhão” do Sílvio Santos, mas infelizmente o apresentador falha miseravelmente em ter o mesmo carisma do nosso bom e velho (e põe velho nisso) apresentador.

Além de poder responder às perguntas, você ainda pode pular a pergunta, desistir e sair com o dinheiro acumulado (mas só após um certo número de perguntas serem respondidas) ou ainda ligar para a algum amigo (gerado pelo computador) para perguntar para ele a resposta, exatamente como no filme indiano vencedor do Oscar.

No geral, as perguntas são difíceis, ou pelo menos foi isso o que eu achei considerando que boa parte delas são sobre cultura ou história americana. Várias vezes eu falhei mesmo nas primeiras perguntas, por não saber quem diabos era o cara que foi pro oeste dos Estados Unidos nos anos 1800 e acabou fundando uma companhia de café ou o que tal atriz fez antes de participar de algum sitcom dos EUA. Para piorar a situação, não há a opção de deixar as perguntas em português, o que dificulta a vida dos que não entendem o idioma.

Esse problema cultural do jogo é um pouco mitigado pelos DLCs temáticos que Who Wants to be a Millionaire oferece. Você pode adquirir packs específicos sobre certos assuntos e assim tentar a sorte contra perguntas mais dentro da sua zona de conforto, ou convidar mais amigos e ver quem sabe mais sobre tal assunto.

O jogo não parece ter recebido muito trabalho também, pois algumas coisas básicas como a possibilidade de pelo menos poder personalizar o seu personagem, ou usar o seu avatar da Xbox Live, também não existem.

No geral, Who Wants To Be A Millionaire acaba falhando em entreter, por apresentar uma série de telas obrigatórias, o que acabam fazendo você perder a vontade de jogar após algumas partidas, ainda mais sozinho. Caso você realmente queira fazer algum jogo competitivo de perguntas com os amigos, procure alguma outra opção, pois essa pode acabar tornando-se bem frustrante.

Eric Arraché

Eric Arraché Gonçalves é o Fundador e Editor do Critical Hits. Desde pequeno sempre quis trabalhar numa revista sobre videogames. Conforme o tempo foi passando, resolveu atualizar esse sonho para um website e, após vencer alguns medos interiores, finalmente correu atrás do sonho.

Publicado por

Este website utiliza cookies