Super Mario 3D All Stars – Review

A Nintendo deixou os fãs salivando com o anúncio de Super Mario 3D All Stars, uma coletânea que traria três dos principais jogos tridimensionais do Mario para o Nintendo Switch. Chegada esta coletânea, agora vamos responder à pergunta: ela vale a pena?

Em Super Mario 3D All Stars, você encontra 3 games: Super Mario 64 (como o nome sugere, lançado para o Nintendo 64), Super Mario Sunshine (lançado para o Game Cube) e Super Mario Galaxy (lançado para o Wii).

Cada jogo funciona de maneira diferente, e é gigantesco por si só, de modo que seria complicado trazer uma análise 3 em 1 dos jogos. Dessa forma, eu vou comentar brevemente sobre cada um dos jogos e, principalmente, como é a performance entregue neste pacote lançado pela Nintendo.

Super Mario 64

O primeiro e mais polêmico dos três jogos desse pacote é Super Mario 64. Polêmico porque a Nintendo entregou uma versão extremamente vanilla do game, ainda mais comparado com o que desenvolvedores independentes fizeram com a recriação de Super Mario 64.

Ainda assim, se levarmos em conta que o que a companhia fez, na verdade, foi preparar terreno para futuros lançamentos de Nintendo 64 no Switch, dá para dar algum desconto.

Super Mario 64 continua sendo um jogo extremamente divertido mesmo hoje em dia. O único grande problema que você pode encontrar no game é na questão da câmera, já que o analógico da direita controla os ângulos fixos de câmera como você fazia com os Botões C no Nintendo 64.

No game, Mario precisa encontrar 120 estrelas para salvar a Princesa Peach de Bowser, em fases que você joga mais de uma vez para encontrar tudo o que há disponível nelas. É impressionante como um jogo de 1996 envelheceu bem, ainda mais se ele for comparado com outros jogos da época. Da coletânea toda, foi o que mais me divertiu.

Falando um pouco sobre os quesitos técnicos, eu não gostei do jogo vir em 4:3 sem a possibilidade de expandirmos essa tela para 16:9, ainda assim, foi uma escolha técnica da Nintendo, já que o 64 não dava imagem com 16:9.

Fora isso, o único ponto que incomoda um pouquinho é um pequeno atraso nos efeitos sonoros do jogo. Quando você pula, o som do Mario encostando no chão é algo como 0,3 segundos atrasado em relação ao impacto no chão. Não é algo que quebre a experiência, mas se você percebe isso acontecendo, não tem como esquecer.

Super Mario Sunshine

Dos três, foi o que eu menos gostei. Nele, Mario e companhia saem de férias e o nosso encanador favorito é injustamente acusado e sujar a ilha de Delfino após ela ser vandalizada por Shadow Mario. Para isso, ele usa um dispositivo que é uma espécie de uma mangueira de bombeiro chamada Flash Liquidizer Ultra Dousing Device (F.L.U.D.D.), enquanto tenta salvar a princesa Peach de Shadow Mario.

A jogabilidade de Super Mario Sunshine é bem recriada, e o sistema de câmera usando o analógico da direita provavelmente é um dos primeiros a terem se utilizado desse recurso (lembrando que este é um jogo de 2002), mas a ideia de usar o FLUDD toda hora acaba tirando um pouco da graça do jogo.

Falando sobre os aspectos técnicos, este é um jogo que ficou extremamente bonito no Nintendo Switch. A HUD do jogo foi refeita, ele funciona em 16:9 e raramente há slowdowns. Uma emulação bem feita do Game Cube em Super Mario 3D All Stars.

Super Mario Galaxy

Um dos jogos mais interessantes já feitos pela Nintendo. Em Super Mario Galaxy, você leva Mario a diversos planetas, atrás de Estrelas do Poder. Cada planeta que você passa tem suas próprias características, como inimigos, campo gravitacional e tudo mais. Um jogo que foi muito bem adaptado, aliás, para o Nintendo Switch, já que a versão original do Wii usava os controles de movimento.

Este jogo também está com uma emulação muito boa, e funcionando também em 16:9. Além disso, também encontramos poucos slowdowns no game.

Além dos jogos, Super Mario 3D All Stars também traz a trilha sonora de cada um dos games, mas a quantidade de extras que a Nintendo colocou acaba por aí mesmo.

No fim das contas, o principal problema deste pacote provavelmente se resume a quanto você vai pagar pelos três jogos. Sinceramente? Eu raramente falo de preços de jogos em reviews pois você pode dar a sorte de encontrar o jogo numa promoção ou algo do tipo, mas como isso acontece pouco em jogos da Nintendo, podemos falar sobre o principal defeito do pacotão: ele é caro e, pior ainda, vai estar disponível só até março do ano que vem.

Dessa forma, o jogador se força a comprar o quanto antes o jogo para que ele não perca esta oportunidade, e 299 reais por três jogos das décadas passadas infelizmente é um alto preço a se pagar.

Ainda assim, são três jogos extremamente divertido e que provam que a Nintendo é imbatível em game design, já que muitos jogos contemporâneos a estes Marios envelheceram mal, enquanto estes não.

Review elaborado com uma cópia do jogo para Nintendo Switch fornecida pela Nintendo do Brasil.

Resumo para os preguiçosos

Super Mario 3D All Stars reúne três clássicos de uma das franquias mais icônicas do mundo dos games. É verdade que a Nintendo poderia ter feito muito mais e adicionado melhorias mais expressivas aos jogos, mas é possível jogá-los e aproveitá-los da mesma forma como quando a companhia os lançou, e eles são muito bons. Ainda assim, o principal defeito desta coletânea é que ela custa demais e vai estar disponível por pouco tempo à venda.

Nota final

80
Saiba mais sobre os nossos métodos de avaliação lendo o nosso Guia de Reviews.

Prós

  • Três excelentes jogos no pacote
  • A performance deles é impecável
  • Jukebox com as músicas dos três games

Contras

  • Poucas novidades e melhorias nos jogos
  • A coletânea é cara para o que ela oferece
  • Disponível por tempo limitado, forçando o jogador a comprar logo ou calar-se para sempre
Eric Arraché

Eric Arraché Gonçalves é o Fundador e Editor do Critical Hits. Desde pequeno sempre quis trabalhar numa revista sobre videogames. Conforme o tempo foi passando, resolveu atualizar esse sonho para um website e, após vencer alguns medos interiores, finalmente correu atrás do sonho.