A vida é feita de poucas certezas, e uma delas é que todo ano tem um Call of Duty novo sendo lançado pela Activision. Após um ano onde a companhia apostou tão pesado num modo Battle Royale que acabou nem colocando campanha no jogo, 2019 é marcado pelo reboot da sub-franquia que colocou Call of Duty em outro patamar. Será que Modern Warfare consegue fazer jus ao seu nome?

Em Call of Duty: Modern Warfare, você encontra três modos básicos de jogo, a campanha, o multiplayer e as Spec Ops, que são missões específicas que podem ser jogadas com mais de um jogador. Para nossa análise, vamos falar dos três diferentes modos de jogo em separado.

Na campanha, você controla dois soldados da CIA, Alex e Kyle Garrick, além da líder rebelde Farah Karim, num enredo que envolve o roubo de armas químicas russas por parte de terroristas de um país fictício chamado de Urzikstão e a libertação deste estado das mãos da Rússia.

Apesar do enredo da campanha parecer bastante batido, e até semelhante demais a séries militares da atualidade, a forma como ele explora estes temas é realmente interessante.

A campanha de Call of Duty: Modern Warfare começa como qualquer outra, com você avançando, atirando em terroristas, explodindo coisas e assim por diante, mas logo ela evolui para algumas das missões mais interessantes que Call of Duty teve em pelo menos os últimos 5 ou 6 anos.

Apesar de não poder comentar muito para não adiantar o que acontece, o jogo realmente leva a sério o aviso de que você irá encontrar conteúdo para maiores de 18 anos na campanha. Há inclusive uma missão que consegue ser mais pesada até mesmo do que a infame missão “No Russian” de Call of Duty: Modern Warfare 2.

Um ponto que realmente merece ser valorizado nesta campanha de Call of Duty: Modern Warfare é que, diferente de jogos mais recentes da franquia, aqui você não tem apenas missões de andar e atirar no que ousar aparecer na sua frente. Há variação de gameplay, há missões em que você tem que se esconder no meio do público, há missões com stealth e até mesmo missões de interrogatório com respostas à la jogos da Telltale.

Outro ponto bem legal dessa campanha é que a maioria dos achievements do jogo não são baseados em “mate x inimigos em meio segundo” e sim em desafios que devem ser cumpridos nas missões da campanha, como avançar uma fase inteira carregando um bloco de cimento, ou cuspir na cara de um certo personagem quando você tiver a oportunidade.

Ao todo, a campanha leva entre 6 a 8 horas para ser concluída, e realmente deixa você pronto para o que vem a seguir. Se você é fã das campanhas de Call of Duty, você certamente vai aproveitar a de Modern Warfare.

Caso você goste de multiplayer, em especial os de Call of Duty, infelizmente eu tenho uma má notícia sobre o de Modern Warfare, ou você vai gostar muito, ou você vai só passar raiva nele.

O motivo disso tem mais a ver com o seu estilo de jogo, já que parece que o multiplayer de Modern Warfare mais privilegia quem se esconde atrás das paredes e fica atirando em quem passa do que o que o multiplayer da franquia sempre foi: movimentação e tiroteio.

Antigamente, você geralmente era premiado por estar sempre em movimento, para pegar o adversário com as calças na mão, mas o que se vê na maioria das partidas de Modern Warfare são jogadores guardando posição e se aproveitando dos diversos pontos cegos que os mapas costumam possuir.

Felizmente não é em todo o mapa que isso acontece, mas há alguns deles (como o de Piccadilly) que parecem ser feitos para fazer você passar raiva se você estiver no time que está sendo pressionado a tomar os pontos de controle.

Dito isso, o sistema de progressão do multiplayer parece bem melhor e mais justo do que em outros jogos da franquia, você não precisa passar o inferno por horas e mais horas até desbloquear novos equipamentos que façam as partidas serem mais justas contra quem está há mais tempo com o jogo, com 3 partidas concluídas, o meu operador já estava bem mais capacitado a igualar o jogo contra os adversários do que ele estaria em horas de multiplayer em outros jogos da franquia, o que sempre é um ponto positivo.

Além disso, outro ponto positivo é o fato da Infinity Ward ter alterado a forma como os novos conteúdos vão ser adicionados ao jogo, sem a necessidade de Season Pass, e sim com Battle Passes e tudo mais, possibilitando assim que todo mundo permaneça com a mesma quantidade de mapas.

Ainda sobre o multiplayer, uma das melhores coisas que a Activision e a Infinity Ward fizeram para este jogo foi liberar o crossplay entre todas as plataformas. Com isso, o ecossistema de Modern Warfare permanecerá vivo por muito mais tempo, e você poderá jogar com amigos de outras plataformas sem se preocupar em todo mundo ter que usar o jogo no mesmo lugar.

Depois do multiplayer, ainda temos os Spec Ops, que são uma espécie de “continuação” da campanha, com missões focadas no coop e com escala bem menor do que as da campanha. Elas são uma adição legal de conteúdo a quem quer jogar com os amigos, mas estão longe de ser o ponto principal do jogo. No fim, são um bom extra, mas nada muito além disso.

Graficamente, Call of Duty: Modern Warfare conta bom belos gráficos, e a campanha parece muito bem otimizada, mas o interessante é que esta foi a primeira vez em muito tempo que eu percebi slowdowns no modo multiplayer do jogo, mesmo usando um Xbox One X para fazer o review. Talvez isso seja corrigido no futuro, mas é um detalhe a ser apontado, e até mais presente do que eu imaginaria nas partidas.

No departamento de som, a trilha sonora e a dublagem do jogo estão bastante competentes, e a dublagem em português não ficou devendo em nada para a americana. Vale ressaltar que o jogo está totalmente em português também, caso o seu console ou PC esteja configurado para essa opção.

Mas enfim, Call of Duty: Modern Warfare vale a pena? Vale pela campanha, e dependendo do seu estilo de multiplayer, também vale. O modo multijogador pode irritar um pouco se o meta das partidas continuar o mesmo da atualidade, mas se você lida bem com isso, não há muito do que reclamar. A campanha realmente é a melhor em muito tempo e merece destaque tanto pelo enredo quanto pelo design de missões, que ficou impecável.

Review elaborado com uma cópia do jogo para Xbox One X fornecida pela Activision do Brasil.

Compartilhe