Diretor da Valve confirma o Steam Box

A Valve está trabalhando no seu próprio vídeo-game, digamos assim. De acordo com o diretor Gabe Newell, o Steam Box usará como sistema operacional a plataforma Linux. “Nós teremos nosso próprio (aparelho) e teremos nossos próprios consumidores. Será configurado com Linux, mas se você preferir instalar o Windows, poderá também. Não queremos algo complicado. Não será um aparelho bloqueado de maneira alguma.”

O desafio de desenvolver aparelhos e sistemas para a sala de estar é infinito, mas Newell vê isso como promissor e espera transformar o processo de jogar PC em TVs em algo perfeito. Ao explicar os objetivos do “console” da Valve ele disse que pretendem desenvolver algo “quieto e focado em alta performance”. Apesar de a companhia estar desenvolvendo seu próprio projeto, ela confirmou parcerias com outras empresas – como o anúncio do Xi3 Piston –, provavelmente para o fornecimento de componentes e facilitar a manutenção, ou atualização, do aparelho.

Sobre os controles, Newell disse: “Seria interessante ter um controle que possua alta precisão e baixa latência.” Ele vê também potencial em utilizar tecnologias biométricas.

“Tecnologias biométricas podem adicionar mais possibilidades de interação entre o jogo e o jogador, especialmente em partes que o jogador não possui consciência do que faz. Biométrica nos dá uma visão mais ampla. E rastreamento de olhar. O rastreamento do olhar do jogador é algo que pode se tornar muito importante.”

Gabe já tinha comentado sobre o uso dessas tecnologias anteriormente: “Não acho que utilizaremos recursos de voz, mas acredito que poderemos utilizar pulseiras, para utilizar nossas mãos também para interagir. Isso pode ser bem expressivo”.

A empresa está interessada também no desenvolvimento do hardware para permitir que várias pessoas possam jogar simultaneamente no mesmo console. “Você pode ter um PC, oito televisores e oito controles e todo mundo teria uma ótima performance. Hoje temos computadores que podem utilizar vários monitores. Logo teremos um aparelho que possa gerar e manter oito ‘chamadas de jogos’ simultaneamente. Estamos acostumados a usar, um ou dois monitores, agora podemos pensar em expandir um pouco isso”.

Gabe Newell falou também que a Valve já está trabalhando em conjunto com a Nvidia para um serviço interno que transmita o conteúdo para a TV, mas ainda tem alguns problemas: “Nosso problema é como será a interação com um web browser, como fazer todos os jogos suportar um controle e como deixar tudo perfeito na TV.”.

O projeto é conhecido internamente como Bigfoot. No fim do ano passado um funcionário do setor de hardware da Valve revelou que a empresa estava trabalhando em um novo produto e que pretendia lançar em beta esse ano.

O que acham do console da Valve? Será um “Pé Grande” mesmo no mercado? Acham que os jogadores trocarão um PC equipado por esse aparelho somente para jogar? Eu comecei a utilizar a Steam há pouco tempo, mas gosto muito da proposta e da facilidade que a plataforma proporciona. Criar um aparelho para ser utilizado diretamente na TV e com um joystick próprio pode atrair mais consumidores.

Acredito que o problema está mesmo em conseguir criar algo “perfeito”. Jogos como Mass Effect, por exemplo, não aceitam nenhuma configuração de joystick no PC. Seria uma nova plataforma para desenvolver. Será que as produtoras estariam interessadas em mais uma? O que vocês acham? Vai fazer sucesso?

Publicado por
Tags: Steam Box

Este website utiliza cookies. Para mais informações, consulte nossa política de privacidade.

Leia nossa política de privacidade