InícioGamesPersona 3 Reload – Análise – Vale a Pena – Review

Persona 3 Reload – Análise – Vale a Pena – Review

Lançado originalmente em 2006, Persona 3 foi um tremendo marco para sua franquia original, Shin Megami Tensei, e para sua desenvolvedora, Atlus. O jogo apresentou uma nova fórmula de gameplay diferente dos jogos anteriores da franquia, onde é preciso balancear uma vida de estudante do ensino médio com a exploração de masmorras e o avanço da história.

Várias destas mecânicas, como Links Sociais, status pessoais e precisar seguir o calendário dia após dia como um aluno do ensino médio acabaram se tornando pontos centrais da franquia Persona e seguem firmes e fortes nos jogos mais recentes, como Persona 5 Royal.

Como se isso não fosse o bastante, Persona 3 também possuía uma história incrível, que tocava em temas como morte, luto e a importância de abraçar estes sentimentos para seguir em frente com a vida de cabeça erguida. Isso, somado ao fato do jogo ter recebido duas versões adicionais que adicionaram conteúdo novo para história, incluindo um epílogo em Persona 3 FES e uma segunda versão da história original com uma protagonista feminina em Persona 3 Portable, fez muitos fãs implorar por um remake de Persona 3 que englobasse todo o conteúdo presente em suas três versões, além de corrigir certas particuladores do jogo original.

Agora, após quase 18 anos desde seu lançamento original, finalmente temos a chegada de Persona 3 Reload, um remake extremamente fiel, mas que traz inúmeras melhorias de qualidade de vida, mecânicas de gameplay e cenas inéditas, mas com um porém: Reload só inclui o conteúdo presente no Persona 3 original, lançado em 2006 (Com exceção de um detalhe que será mencionado mais para frente).

Para começar, é preciso primeiro falar de toda a apresentação do jogo, que está excepcional. As animações, gráficos, cenas em anime e efeitos visuais não só são absurdamente bem feitos, como são os melhores já produzidos pela Atlus e o P-Studio até hoje.

A interface gráfica foi completamente refeita seguindo o modelo de Persona 5, o que significa que ela é tirar o fôlego (literalmente dessa vez, já que todos os menus tem uma aparência submersa). Mesmo depois de dezenas de horas de jogo, prestar atenção nas animações e artes de cada menu nunca perde a graça.

A trilha sonora também recebeu um tratamento especial, mas que pode acabar sendo um divisor de águas entre os fãs. Todas as músicas originais de Persona 3 foram rearranjadas, com mudanças de instrumentos, letras e até mesma de cantora. Algumas das músicas rearranjadas acabaram não tendo o mesmo impacto que tinham originalmente, o que é um pouco estranho visto que todas as novas músicas feitas para Reload são absolutamente incríveis, com destaque para a nova música de exploração durante a noite.

A nova trilha sonora pode desagradar um pouco alguns fãs mais saudosistas, mas ela ainda continua sendo icônica e ótima durante o jogo inteiro.

Já o combate recebeu várias melhorias muito bem vindas que estavam presentes em jogos mais recentes da franquia, como a possibilidade de controlar os membros do grupo manualmente, por exemplo. Reload também herdou algumas das mecânicas do combate de Persona 5, como o Shift, que funciona da mesma forma do Baton Pass visto em Persona 5.

Ao acertar um inimigo com um ataque que ele possui fraqueza, ele será derrubado e você ganhará um turno extra. Agora, é possível passar este turno extra para outro membro do grupo utilizando o Shift, o que pode levar a situações onde é possível derrubar todos os inimigos e derrotá-los antes mesmo de eles terem a chance de reagir, ou de causar dano massivo em um chefe ao derrubá-lo e trocar para algum personagem que possui habilidades mais ofensivas.

Esta mecânica acelera muito o combate de Persona 3 Reload, além de deixá-lo mais dinâmico e estratégico. Além disso, outra novidade presente no combate de Reload é a inclusão de uma mecânica chamada Theurgy. Conforme cumprem certos requisitos em combate, os personagens do grupo aumentam a sua barra de Theurgy e quando finalmente fica cheia, eles podem usar esta habilidade para realizar ações extremamente poderosas em combate.

Cada personagem do S.E.E.S possui um Theurgy diferente e precisa realizar diferentes ações para poder utilizá-lo. Yuraki, por exemplo, enche sua barra de Theurgy ao curar aliados, enquanto Junpei precisa causar acertos críticos nos inimigos.

Não só estas ações são extremamente úteis e podem facilmente mudar o rumo de um combate difícil (ou trivializar encontros mais fáceis) como também introduzem um nível a mais de estratégia e profundidade ao combate, assim como animações belíssimas e exclusivas para cada personagem.

Para fechar as adições de combate de Reload, cada personagem também pode adquirir Características, que são habilidades passivas em combate que os deixam ainda mais fortes ao tornar o estilo de jogo dos membros do grupo ainda mais efetivos. Utilizando novamente os personagens do exemplo anterior, uma das características de Yukari é diminuir o custo de SP (o equivalente de MP em Persona) das habilidades de cura pela metade, enquanto uma das características de Junpei é aumentar a própria chance e o dano de acertos críticos.

Graças as características, é possível encher a barra de Theurgy mais rápido, além dos ótimos efeitos que elas concedem durante todo o combate. E não são apenas os personagens que participam do combate que receberam estas habilidades. Fuuka, a navegadora de Persona 3, que ajuda a informar fraquezas dos inimigos e auxilia de várias formas de fora das linhas de frente, também pode adquirir características e utilizar Theurgy.

Theurgy e as Características são a melhor parte de Persona 3 Reload, não só por deixarem o combate ainda mais profundo e dinâmico, mas porque estão diretamente ligadas ao aspecto social de Persona. Para adquirir Características, é preciso passar tempo com seus colegas de equipe no dormitório durante a noite. Cozinhar, ler, assistir DVDs e cuidar das plantas no jardim são exemplos de ações que podem ser feitas em conjunto com os outros personagens. Realizar uma destas ações traz cenas inéditas, nos dando a chance de conhecer melhor cada membro do grupo, principalmente aqueles que não possuem um Link Social próprio em Persona 3.

Como mencionado no início do review, Persona 3 Reload é extremamente fiel ao game original, talvez até mais do que deveria. O remake conta com todos os Links Sociais presentes no original, o que de certa forma é ótimo, mas isso também traz um dos piores aspectos de Persona 3 à tona.

Por ser o primeiro jogo da franquia a possuir Links Sociais, a mecânica ainda não havia sido completamente desenvolvida e bem pensada. Não só o jogo possui alguns dos Links Sociais mais sem graça da franquia, como nenhum dos personagens masculinos do grupo possuem um Link Social próprio e infelizmente isto não foi revisado em Reload.

Isto significa que personagens importantes como Junpei e Akihiko acabaram sendo deixados de lado para dar espaço a alguns dos personagens mais sem sal de todos os Persona. Este é um problema presente no game original e que acabou persistindo no remake.

Mas isto não significa que mudanças não foram feitas. Apesar de não terem links sociais próprios, os membros masculinos do grupo receberam eventos únicos  que funcionam de forma bem similar à Links Sociais, o que certamente melhora as coisas, mas a frequência deles não é muito alta.

A fidelidade ao jogo original acabou restrigindo um pouco o potencial de Reload, que poderia ter incluído Links Sociais para os personagens principais do jogo, sem excluir nenhum dos links já existentes. Digo isto porque Reload inclui o Link Social de Aigis, que foi adicionado apenas em Persona 3 FES.

Persona 3 Reload acaba sendo uma entrada um pouco estranha para a família Persona 3. Por um lado, ele é definitivamente a melhor forma de se jogar a história original de Persona 3. Por outro, ele não inclui partes muito importantes e altamente requisitadas que foram adicionadas em FES e Portable.

Reload é o melhor Persona 3 que temos até hoje, mas que ainda não é o Persona 3 definitivo que muitos fãs esperam até hoje.

Ainda assim, poder conferir toda a jornada dos membros do S.E.E.S de forma tão visualmente impecável e mecanicamente dinâmica mais do que justifica a existência deste remake.

Persona 3 Reload é um jogo incrivelmente belo, que inclui inúmeras melhorias de qualidade de vida, além de novas mecânicas de combate e cenas inéditas. O game é um remake extremamente fiel ao Persona 3 original, mas que não inclui a maior parte do conteúdo introduzido nas outras versões existentes de Persona 3. Ainda assim, Persona 3 Reload é um JRPG indispensável para fãs do gênero e definitivamente vale a pena ser rejogado pelos fãs dos jogos originais.

Review elaborado com uma chave do jogo para PlayStation 5 cedida pela desenvolvedora.

Resumo para os preguiçosos

Persona 3 Reload é um remake extremamente fiel, mas com um combate atualizado, gráficos incríveis, cenas inéditas e melhorias de qualidade de vida, mas que infelizmente não possui o conteúdo que foi adicionado nas outras versões de Persona 3. Ainda assim, Reload é um baita RPG do início ao fim, e definitivamente agradará tanto fãs do gênero que não jogaram o original, quanto fãs de Persona 3 que aguardaram anos por este remake.

Nota final

90
Saiba mais sobre os nossos métodos de avaliação lendo o nosso Guia de Reviews.

Prós

  • Gráficos, menus, efeitos visuais e cenas em anime belíssimos
  • As novas músicas são incríveis
  • Inúmeras melhorias de qualidade de vida
  • Novas mecânicas de combate que o tornam mais profundo e dinâmico
  • Muitas cenas inéditas que aprofundam ainda mais o relacionamento com os membros do grupo

Contras

  • Não possui o conteúdo adicionado em Persona 3 FES e Persona 3 Portable, com uma pequena exceção
  • Os personagens do grupo que não possuíam um Link Social originalmente continuam sem Link Social
David Brito
David Britohttp://criticalhits.com.br
Fã de Roguelikes e J-RPGs, David passa a maior parte do seu tempo livre testando novos jogos e lembrando a todos o quanto ele ama a franquia Persona.