InícioArtigosOs 30 melhores RPGs de PS2 (2023)

Os 30 melhores RPGs de PS2 (2023)

Lançado no dia 4 de março do ano 2000 no Japão, o PlayStation 2 se tornou um dos consoles mais memoráveis de todos os tempos graças à qualidade e variedade de seu catálogo. A plataforma da Sony foi casa para os mais diversos gêneros e experimentos que garantem até hoje a diversão de quem joga nela.

PUBLICIDADE

Quem se deu muito bem com o console foram os fãs de RPG. O PlayStation 2 não só deu continuidade a muitas séries de sucesso, como também teve espaço para que muitos games memoráveis ganhassem o coração do público. Vem com a gente conferir os 30 games do estilo para o console que mais merecem sua atenção.

Os 30 melhores RPGs de PS2

Kingdom Hearts 2

  • Desenvolvedora: Square Enix
  • Data de lançamento: 28 de março de 2006
PUBLICIDADE

O primeiro Kingdom Hearts foi um jogo que chamou muita atenção pela união entre os personagens de Final Fantasy com o mundo da Disney. No entanto, por melhor que fosse, ele ainda trazia alguns probleminhas meio chatos de câmera e um combate funcional, mas que ainda ficava a um passo de ser memorável.

Kingdom Hearts 2 se mostrou uma sequência clássica, no melhor sentido possível. O game deixava de lado o que não funcionava muito bem em seu antecessor, ampliava as possibilidades de ataques e trazia uma trama ainda mais divertida e interessante. Ele foi tão bom que conseguiu sustentar as expectativas da série por décadas, antes que um novo jogo da série principal fosse lançado.

Dragon Quest VIII: Journey of the Cursed King

PUBLICIDADE
  • Desenvolvedora: Square Enix
  • Data de lançamento: 27 de novembro de 2004

Enquanto Final Fantasy sempre foi uma série que era referência de RPGs orientais, no Japão a preferência do público sempre acabou sendo para Dragon Quest. Com o oitavo capítulo da franquia, a Square Enix queria finalmente mudar essa história, fazendo com que ela fosse mais reconhecida e amada no Ocidente.

Enquanto esse plano não deu muito certo, isso nada tem a ver com a qualidade de Journey of the Cursed King. Misturando elementos tradicionais com uma apresentação impressionante, personagens carismáticos e uma história divertida, o game tinha tudo o que um fã de um bom RPG esperava. A cereja no topo era o fato de que ele trazia uma demo jogável de Final Fantasy XII, em uma época em que ofertas do tipo eram uma raridade.

PUBLICIDADE

Persona 3 FES

  • Desenvolvedora: Atlus
  • Data de lançamento: 22 de abril de 2008

Persona é uma série de RPGs que começou no primeiro PlayStation, mas só explodiu em popularidade quando seu terceiro capítulo foi lançado. Isso porque, ao contrário de seus antecessores, o game passou a dar mais atenção ao relacionamento de personagens do que a suas batalhas aleatórias e o griding por novos níveis.

PUBLICIDADE

O game conta uma história sombria, nos apresentando a um grupo de jovens que precisam atirar na própria cabeça para acessar um mundo repleto de demônios e perigos. No entanto, essa não era a parte central do game, que também estimulava o jogador a participar de atividades escolares e a desenvolver amizades. Pode parecer uma combinação estranha, mas ela funcionava muito bem na prática, especialmente na versão FES, que traz mais conteúdos e ajustes de gameplay.

Final Fantasy X

  • Desenvolvedora: Square Enix
  • Data de lançamento: 17 de dezembro de 2001
PUBLICIDADE

Desde que Final Fantasy VII estreou no primeiro PlayStation, o lançamento de um novo jogo da série em plataformas da Sony se tornou um grande evento. Isso não foi diferente com o décimo capítulo da franquia que, entre outras novidades, marcou a primeira vez em que seus personagens eram totalmente dublados.

O game também chamou a atenção pelos visuais incríveis para a época, pelo elenco de personagens que podia ser alterado durante as batalhas e pelo esquema de turnos mais estratégico. O jogo fez tanto sucesso que acabou ganhando uma sequência direta um tanto polêmica, e o único defeito que podemos apontar nele é que a aventura principal fica um pouquinho fácil demais em seus momentos finais.

Final Fantasy XII

PUBLICIDADE
  • Desenvolvedora: Square Enix
  • Data de lançamento: 16 de março de 2006

Final Fantasy XII pode ser considerado o último grande lançamento da série antes de ela começar a perder um pouco de sua reputação nos anos seguintes. O game trazia uma das maiores mudanças no sistema de batalhas de toda a franquia, deixando os turnos por lado e apostando em uma solução que lembrava muito os MMOs da época.

O jogo também trazia uma ambientação meio Star Wars, colocando o jogador para controlar um grupo de rebeldes que lutavam contra um império maligno. Embora o RPG traga um dos protagonistas mais sem sal da série, ele ainda é um capítulo marcante por sua história, marcada por várias traições e reviravoltas políticas.

PUBLICIDADE

Shin Megami Tensei III: Nocturne

  • Desenvolvedora: Atlus
  • Data de lançamento: 20 de fevereiro de 2003

Na época em que Shin Megami Tensei III foi lançado no Ocidente, muitos só prestaram atenção nele por conta da sua capa, que promovia a presença de Dante, da série Devil May Cry. Quem deu uma chance para o game descobriu nele um RPG com uma trama densa e um sistema de combates tão divertido quanto é punitivo.

PUBLICIDADE

Nocturne acabou sendo a estreia oficial da série nos Estados Unidos e Europa, apresentando a um novo público seu sistema de recrutamentos de demônios que era uma parte central de sua mecânica de combates. Para quem deseja conferir porque o game era tão bom, vale a pena conferir o remake lançado há alguns anos pela Atlus.

Persona 4

  • Desenvolvedora: Atlus
  • Data de lançamento: 10 de julho de 2008
PUBLICIDADE

Lançado na época em que o PlayStation 3 já estava nas lojas, Persona 4 acabou sendo a porta de entrada da série para muitos de seus fãs atuais. O game pegava tudo o que funcionou em Persona 3 e dava uma ênfase ainda maior ao relacionamento de personagens, encontrando o equilíbrio que define a franquia como a conhecemos atualmente.

Em uma cidade do interior, novamente acompanhamos um estudante do ensino médio que precisa lidar com assassinatos misteriosos exibidos em uma emissora que só pode ser assistida à meia-noite. Disposto a parar com as mortes e descobrir o assassino responsável por elas, o protagonista se descobre capaz de visitar outros mundos e forjar amizades que vão ajudá-lo a lutar contra um grande mal que se aproxima.

Grandia 2

PUBLICIDADE
  • Desenvolvedora: Game Arts
  • Data de lançamento: 28 de janeiro de 2002

O fim do suporte oficial ao Dreamcast deu aos donos do PlayStation 2 a chance de conhecer um dos melhores RPGs que até então eram exclusivos da plataforma. Em Grandia 2, acompanhamos o caçador de recompensas Ryudo, que depois de aceitar a missão de proteger a jovem Elena, se vê em meio a uma luta do bem contra o mal que pode mudar completamente o mundo.

Se acompanhar a história não é bem seu lance, você pode se focar somente no ótimo sistema de combates por turno repleto de elementos estratégicos. O PlayStation 2 também acabou sendo a casa de Grandia 3 e Grandia Xtreme, mas é o segundo capítulo da franquia que merece mais a sua atenção.

PUBLICIDADE

Dark Cloud

  • Desenvolvedora: Level-5
  • Data de lançamento: 29 de maio de 2001

Um dos primeiros jogos do PlayStation 2, Dark Cloud a princípio pode ser confundido com um mera clone de Zelda. No entanto, ele se diferencia por trazer um sistema de construção de cidades complexo, que ajuda a definir a maneira como o jogador explora labirintos e os tipos de recompensas que ele vai obter.

PUBLICIDADE

Conforme o jogador avança na aventura, ele descobre novos locais cuja população precisa ser resgatada, o que torna as coisas um pouco repetitivas. No entanto, uma boa dose de desafios e um sistema de criação de armas complexo faz com que o jogo continue sendo uma boa pedida, mesmo que sua sequência seja ainda mais interessante.

Dark Cloud 2

  • Desenvolvedora: Level-5
  • Data de lançamento: 18 de fevereiro de 2003
PUBLICIDADE

Dark Cloud 2 traz um conjunto de protagonistas e personagens secundários completamente diferentes de seu antecessor, o que permite que ele seja o seu ponto de entrada na franquia. Como uma dupla de aventureiros, o jogador precisa voltar no tempo para reconstruir um mundo abalado por uma grande catástrofe.

O título ainda traz combates em terceira pessoa em tempo real e um sistema em que é preciso coletar pedaços de uma cidade para reconstruí-la aos poucos. No entanto, as ferramentas disponíveis são mais complexas e divertidas, fazendo com que o jogador não se sinta tão engessado quanto na aventura original.

Marvel Ultimate Alliance 2

PUBLICIDADE
  • Desenvolvedora: Vicarious Visions
  • Data de lançamento: 15 de setembro de 2009

Os maiores heróis do universo Marvel se unem para derrotar um grupo de vilões que ameaça destruir o mundo. Se a trama de Marvel Ultimate Alliance 2 não é das mais originais, isso não importa muito diante da diversão que o jogo oferece. Muito disso se deve à grande variedade de personagens que fazem parte do elenco do game, que abrange todo o universo da editora

Além dos principais membros dos Vingadores, o jogador também pode usar membros do Quarteto Fantástico, X-Men e outros grupos, sendo que cada herói traz habilidades únicas que podem ser evoluídas pelo jogador. Para completar, a combinação certa de personagens ainda rende alguns bônus, que ajudam a tornar ainda mais divertido o sistema de combate em tempo real.

PUBLICIDADE

Baldur’s Gate: Dark Alliance

  • Desenvolvedora: Snow Blind Studios
  • Data de lançamento: 4 de dezembro de 2001

Quando foi anunciado que Baldur’s Gate ganharia versões para consoles de mesa, muitos esperavam que isso se tratava dos ótimos jogos desenvolvidos pela BioWare. A publicadora Interplay acabou entregando algo um pouco diferente em Dark Alliance, o que acabou se mostrando uma escolha certeira para os consoles de mesa.

PUBLICIDADE

Baseado no universo de Dungeons & Dragons, o game é um hack’n’slash no melhor estilo Diablo, colocando os jogadores para matar hordas de inimigos e coletar equipamentos cada vez mais poderosos. Mesmo que você não conheça o universo da série, pegar o controle e destruir alguns esqueletos já era garantia de tardes repletas de diversão.

Shadow Hearts: From the New World

  • Desenvolvedora: Nautilus
  • Data de lançamento: 7 de março de 2006
PUBLICIDADE

Uma das séries de RPG que surgiu junto do PlayStation 2, Shadow Hearts até hoje deixa saudades em que teve a chance de conferi-la. Em From the New World, acompanhamos o jovem detetive Johnny Garland, que perdeu seu pai e irmã em um terrível acidente e ainda por cima precisa conviver com uma amnésia constante.

O protagonista se une a um caçador de recompensas que está caçando uma gangue criminosa, mas logo descobre que seu mundo é habitado por demônios e outras criaturas bizarras. Além dos cenários e personagens inusitados, o game chama a atenção por seu sistema de combate baseado em uma roleta que pode deixar seus ataques mais poderosos se você conseguir pará-la no momento certo.

The Lord of the Rings: The Third Age

PUBLICIDADE
  • Desenvolvedora: Electronic Arts
  • Data de lançamento: 2 de novembro de 2004

A era de ouro do PlayStation 2 coincidiu com o momento em que O Senhor dos Anéis estava fazendo grande sucesso nas telas do cinema, o que acabou gerando várias adaptações para o mundo dos games. The Lord of the Rings: The Third Age é uma das melhores dela, transformando a saga de Tolkien em um RPG por turnos bastante interessante.

O que torna o jogo mais legal é o fato de que, embora seus acontecimentos sejam bastante próximos ao da história principal, você joga com um conjunto de personagens inéditos. Com isso, os jogadores têm a chance de reviver uma história familiar, ao mesmo tempo em que aprendem sobre novos cenários e um elenco bastante interessante.

PUBLICIDADE

Radiata Stories

  • Desenvolvedora: Tri-Ace
  • Data de lançamento: 8 de setembro de 2005

O PlayStation 2 deu a várias desenvolvedoras a oportunidade de apostar em fórmulas novas e histórias que fugiam um pouco do que o público estava acostumado. A Tri-Ace aproveitou essa oportunidade para desenvolver Radiata Stories, um RPG de ação que se diferencia por trazer uma grande quantidade de personagens, cada um com suas próprias personalidades, vidas pessoas e diálogos.

PUBLICIDADE

Ao todo, o jogador podia recrutar nada menos que 176 NPCs para seu grupo, além de ter a opção de chutar todos os itens do cenário. Apesar do começo um pouco lento e da história que demora para engatar, Radiata Stories é um belo RPG de ação que traz uma dose generosa de desafio em seu endgame.

Odin Sphere

  • Desenvolvedora: Vanillaware
  • Data de lançamento: 17 de maio de 2007
PUBLICIDADE

A Vanillaware é daquelas empresas que sempre criam jogos muito bons, mas nem sempre eles são reconhecidos durante a época do lançamento. Esse é o caso de Odin Sphere, um RPG de ação com inspirações nórdicas que acabou passando um pouco batido pelo público fã do PlayStation 2, e só depois ganhou status de sucesso cult.

O game conta a história interlaçada de cinco personagens que habitam um mundo em guerra, e que nem sempre estão do mesmo lado do conflito. Com mais de 30 horas de duração, o jogo atualmente pode ser conferido no PlayStation 4 e PlayStation 5, graças a uma versão aprimorada lançada pela Atlus.

Suikoden 3

PUBLICIDADE
  • Desenvolvedora: Konami
  • Data de lançamento: 24 de outubro de 2002

Hoje em dia meio esquecida, a Konami foi a responsável por alguns dos principais jogos do catálogo do PlayStation 2. O console acompanhou a transição da série Suikoden para um mundo em 3D, e o terceiro jogo da série mostra uma trama que se passa 15 anos após o fim do memorável Suikoden 3.

O RPG traz uma história complexa que se foca em um trio de personagens, que logo se vê acompanhado por um grande elenco de figuras marcantes. O game fez sucesso principalmente no mercado japonês, onde gerou uma adaptação para o mundo dos mangás dois anos após seu lançamento.

PUBLICIDADE

Rogue Galaxy

  • Desenvolvedora: Level-5
  • Data de lançamento: 30 de janeiro de 2007

Atualmente mais conhecida por séries como Ni No Kuni e Yo-Kai Watch, a Level-5 teve uma verdadeira era de ouro durante a geração do PlayStation 2 graças a uma parceria com a Sony. Depois de criar Dark Cloud e sua sequência, a desenvolvedora japonesa decidiu explorar um cenário futurista com pegadas de Star Wars em Rogue Galaxy.

PUBLICIDADE

O maior jogo da história da empresa na época, o RPG por turnos conta a história de um fazendeiro que se descobre o único capaz de resolver um conflito que envolve toda a galáxia. Apesar de ter sido elogiado por seus gráficos e missões e ter recebido vários prêmios, o game acabou vendendo menos do que o esperado pela Sony, fazendo com que o game nunca recebesse uma sequência direta.

Xenosaga Episode One: Der Wille zur Macht

  • Desenvolvedora: Monolith Soft
  • Data de lançamento: 25 de fevereiro de 2003
PUBLICIDADE

Criada por boa parte da equipe que trabalhou em Xenogears na Square Enix, Xenosaga era uma saga bastante ambiciosa que deveria resultar em seis jogos imensos e abarcar uma linha de tempo generosa. Apesar de o primeiro episódio ter vendido, ele forçou os desenvolvedores a rever seus planos e a finalizar a série como uma trilogia para o PlayStation 2.

Xenosaga Episode One conta a história de Shion Uzuki, uma cientista que precisa lutar contra os misteriosos alienígenas da raça Gnosis. Para isso ela conta com a ajuda da androide KOS-MOS e de outros personagens, cujo desenvolvimento acaba sendo um dos destaques do game. Apesar do sucesso da franquia, ela nunca recebeu um relançamento, e atualmente todos os seus capítulos são vendidos por preços bastante altos na internet.

Shadow Hearts: Covenant

PUBLICIDADE
  • Desenvolvedora: Nautilus
  • Data de lançamento: 27 de setembro de 2004

O segundo game da série Shadow Hearts se passa seis meses depois da primeira aventura, mostrando uma história inspirada pelo mundo real repleta de referências às obras de H.P. Lovecraft. O título se passa durante o auge da primeira guerra mundial, trazendo um sistema de combates por turno no qual quatro personagens se alternam.

Assim como os outros games da franquia, Covenant leva o jogador por vários cenários, que passam por locais como Rússia e o Japão. O objetivo é lutar contra a Sapientes Gladio, uma sociedade secreta poderosa responsável por manipular nos bastidores os principais acontecimentos da história da humanidade.

PUBLICIDADE

Champions of Norrath: Realms of EverQuest

  • Desenvolvedora: Snowblind Studios
  • Data de lançamento: 10 de fevereiro de 2004

Usando a mesma engine de Baldur’s Gate: Dark Alliance, Champions of Norrath é um game ao mesmo tempo parecido e muito diferente. Ele é uma das poucas aventuras single player do universo do MMO EverQuest, permitindo que até quatro pessoas explorem labirintos no multiplayer local ou pela internet.

PUBLICIDADE

Com uma história dividida em cinco atos, o game convida os jogadores a ajudar os elfos em sua missão para derrotar um exército de orcs. Embora não seja nada revolucionário, o game traz um gameplay que funciona muito bem e que agradava muito quem busca por uma experiência de hack’n’slash no estilo de Diablo.

Valkyrie Profile 2: Silmeria

  • Desenvolvedora: Tri-Ace
  • Data de lançamento: 26 de setembro de 2006
PUBLICIDADE

A sequência de um dos melhores RPGs do primeiro PlayStation, Valkyrie Profile 2: Silmeria acaba acontecendo centenas de anos antes dele. No game, o jogador controla Silmeria e Alicia, duas pessoas completamente diferentes que habitam o mesmo corpo e precisam impedir uma catástrofe capaz de iniciar uma guerra entre os humanos e os deuses.

Dividido em capítulos, o jogo elimine os limites de tempo de seu antecessor, permitindo que os jogadores explorem com calma todos os seus labirintos e cidades. Os combates também foram modificados para acontecer em tempo real, acompanhando um foco mais em desafios de plataforma e na exploração de ambientes. Tudo isso contribuiu para criar um jogo muito bom, que só peca um pouco pelos menus um tanto confusos.

Wild Arms 3

PUBLICIDADE
  • Desenvolvedora: Media Vision
  • Data de lançamento: 15 de outubro de 2002

Surgida no primeiro PlayStation, a série Wild Arms mistura elementos de RPG com uma ambientação inspirada no Velho Oeste norte-americano. O terceiro game segue essas regras à risca, oferecendo uma grande evolução gráfica e um conjunto de protagonistas bastante carismático e divertido de acompanhar.

Wild Arms 3 acompanha a aventureira Virginia Maxwell, que, junto a outros três aventureiros, tenta desvendar os mistérios do planeta Filgaia. Apesar de o ritmo constante de batalhas possa ser bem cansativo, o game apresenta conta uma história interessante e merece ser conferido por quem busca por uma aventura mais tradicional do gênero.

PUBLICIDADE

Star Ocean: Till the End of Time

  • Desenvolvedora: Tri-Ace
  • Data de lançamento: 31 de agosto de 2004

Como você pode ter notado até agora, a Tri-Ace foi uma das empresas que mais lançou RPGs para o PlayStation 2. Em Star Ocean: Till the End of Time, ela voltou à sua série mais conhecida para contar uma nova história que se passa no espaço e mistura elementos futuristas com um mundo medieval.

PUBLICIDADE

O game gerou bastante controvérsia com seu final inesperado, mas com o tempo cresceu no coração dos fãs graças a um sistema de combate inovador e personagens interessantes. Esse é mais um daqueles casos de jogos que demora um pouco pra engatar, mas que quando você nota, já passou dezenas de horas nele.

Tales of Symphonia

  • Desenvolvedora: Namco
  • Data de lançamento: 22 de setembro de 2004
PUBLICIDADE

Lançado originalmente para o Game Cube, Tales of Symphonia chegou ao PlayStation 2 com uma quantidade maior de conteúdos que tornaram ela a versão definitiva da época. O game é um RPG bastante tradicional, que conta a história de um grupo de amigos que, pela força do destino, é obrigado a salvar o mundo.

No entanto, o RPG com batalhas em tempo real consegue fugir dos clichês ao apresentar uma trama com mundos paralelos e personagens bem interessantes. Caso se interesse por jogos do tipo, vale a pena ficar atento à versão remasterizada que chegou em 2023 ao Nintendo Switch, PlayStation 4 e Xbox One.

Disgaea: Hour of Darkness

PUBLICIDADE
  • Desenvolvedora: Nippon Ichi Software
  • Data de lançamento: 27 de agosto de 2003

E se eu dissesse para você sobre um RPG por turnos com conteúdos praticamente infinito, no qual chegar ao nível 99 é só o começo de um longo processo de evolução? Lançado em 2003, o primeiro Disgaea é um jogo que traz tudo isso e muito mais, apresentando ao jogador a um universo recheado de demônios com características bastante humanas.

Jogo responsável por tornar a Nippon Ichi conhecida no Ocidente, Hour of Darkness conta a história de Laharl, um jovem demônio que pretende dominar o submundo com pouca diplomacia e muita porrada. Isso resulta em um jogo cujo foco são os sistemas de combate complexos, que garantem centenas de horas de batalhas com desafios que raramente se repetem.

PUBLICIDADE

X-Men Legends II: Rise of Apocalypse

  • Desenvolvedora: Raven Software
  • Data de lançamento: 20 de setembro de 2005

Antes de Marvel Ultimate Alliance 2 unir os principais heróis do universo Marvel, X-Men Legends provou que dava para fazer um RPG com os principais mutantes da empresa. Nesse RPG de ação, os jogadores reúnem um grupo de quatro seres superpoderosos para lutar contra Apocalypse, um vilão poderoso que vive sob a crença de que somente os fortes devem sobreviver.

PUBLICIDADE

A ameaça é tanta que força os X-Men a se aliar com a Irmandade dos Mutantes, o que permite que os jogadores montem times formados por figuras como Wolverine, Magneto, Juggernaut e a Feiticeira Escarlate, entre vários outros. O game traz uma boa variedade de cenas de ação e desafios, também se destacando em sua época de lançamento pela inclusão de um sistema multiplayer que podia ser jogado online.

Arc the Lad: Twilight of the Spirits

  • Desenvolvedora: Cattle Call
  • Data de lançamento: 25 de junho de 2003
PUBLICIDADE

Muito antes de a Sony apostar em jogos como The Last of Us e God of War, ela ajudou a trazer várias séries de RPG para o PlayStation que acabaram ficando esquecidas com o tempo. Arc the Lad: Twilight of the Spirits é um exemplo disso. Marcando o penúltimo jogo da série, o RPG conta a história de um mundo em que humanos e demônios lutam pelo domínio de um recurso vital para ambos.

O objetivo do jogador é encontrar cinco grandes pedras espirituais, que vão permitir trazer o equilíbrio para o mundo ou acabar de vez com ele. Apesar de as atuações de voz do jogo terem envelhecido mal, ainda vale a pena conferi-lo por sua história e pelo sistema de combates bastante divertido.

.hack//G.U. Rebirth

PUBLICIDADE
  • Desenvolvedora: CyberConnect2
  • Data de lançamento: 18 de maio de 2006

Durante os anos 2000, tramas que envolviam mundos virtuais dos quais não era possível escapar se tornaram bastante comuns. A série .hack explorava um tema semelhante, simulando o universo de um MMO no qual jogadores estão morrendo na vida real quando os personagens criados no jogo são derrotados.

.hack//G.U. foi criado como uma trilogia de games interconectados, na qual o jogador se une a vários aliados para descobrir o que está acontecendo e impedir que novas vítimas sejam feitas. Assim como outros jogos clássicos do PlayStation 2, os três capítulos receberam um relançamento recente com gráficos atualizados e melhorias de gameplay que quase sempre pinta em promoções com preços bem bacanas.

PUBLICIDADE

Front Mission 4

  • Desenvolvedora: Square Enix
  • Data de lançamento: 15 de junho de 2004

Mais um representante da Square Enix na lista, Front Mission 4 é um game que se passa no fim do Século 21, época em que supernações competem pelo pouco que restou dos recursos naturais do planeta. Como parte de uma dupla que controla robôs gigantes conhecidos como wanzers, o jogador precisa investigar o que fez com que cinco bases de uma nação fossem atacadas e quem foi o responsável por essa ação.

Front Mission 4 tem grande foco em seu sistema de combate tático, que traz objetivos como exterminar todos os soldados adversários ou chegar a pontos específicos do mapa. Bastante complexo e desafiador, o game se destaca por oferecer um nível bastante alto de opções de customização para cada personagem utilizado.

PUBLICIDADE
Eric Arraché
Eric Arrachéhttp://criticalhits.com.br
Eric Arraché Gonçalves é o Fundador e Editor do Critical Hits. Desde pequeno sempre quis trabalhar numa revista sobre videogames. Conforme o tempo foi passando, resolveu atualizar esse sonho para um website e, após vencer alguns medos interiores, finalmente correu atrás do sonho.