Órgão regulamentador dos Estados Unidos adicionará selo especial em jogos com microtransações

A polêmica envolvendo microtransações e loot boxes que começou no ano passado com Star Wars Battlefront II ganhou nesta terça-feira (27) um novo capítulo.

A ESRB (Entertainment Software Rating Board), órgão norte-americano responsável por definir a classificação indicativa de jogos eletrônicos, anunciou a criação de um novo selo chamado “In-Game Purchases” ou “Compra dentro do jogo”, que será implementado em todos os games com qualquer tipo de microtransação.

Segundo o comunicado postado no Twitter, o selo se aplica a “níveis bônus, skins, itens misterioso (loot boxes), músicas, moedas virtuais e outras formas de moedas dentro do jogo, assinaturas, passes de temporada e atualizações (por exemplo, desativar anúncios)”.

Você deve está imaginando que praticamente todos os jogos da atualidade receberão esse selo? E a resposta realmente é sim. Em entrevista ao Kotaku, a presidente da ESRB, Patricia Vance, disse que qualquer jogo com uma opção de compra de conteúdo extra receberá o selo “In-Game Purchases”, seja esse conteúdo uma moeda especial ou um pacote de expansão.

Esse selo não foi necessariamente projetado para alertar os jogadores adultos que os games possuem microtransações, mas para os pais que estejam preocupados com os seus filhos comprando coisas dentro do jogo. “Os pais precisam de informações simples. Não podemos sobrecarregá-los de detalhes… Não achamos que os pais estejam diferenciando as variadas mecânicas.”

Vance ainda explicou o motivo da ESRB não se concentrar especificamente nas loot boxes, que nos últimos meses foram alvos de muitas críticas.

“Tenho certeza que todos vocês estão se perguntando por que não estamos fazendo algo mais específico para as loot boxes. Nós fizemos muita pesquisa nas últimas semanas e meses, particularmente entre os pais. O que aprendemos é que a grande maioria dos pais não sabe o que é uma loot boxes. Mesmo qualquer que afirmam saber o que são, na verdade não entendem como elas funcionam. Portanto, é muito importante para nós não focar apenas em loot boxes, mas também em outras transações dentro dos jogos.”

Talvez esse realmente seja um ponto de virada para a grande quantidade de jogos que vêm sendo lançados com mecânicas abusivas de microtransações.

João Victor Albuquerque

Formado em Sistemas de Informação, que no final da faculdade resolveu se meter nesse mundo do jornalismo. Apaixonado por joguinhos, filmes, animes e sempre atrasado com as séries.

Este website utiliza cookies