Categorias: Games

Lembra daquela missão impossível de GTA: San Andreas? Até mesmo o dublador odiou ela

Qualquer um que tentou fazer os 100% de GTA: San Andreas há um milhão de anos atrás lembra de “Supply Lines,” aquela missão secundária impossível em que o C.J. ajuda o dono de uma loja de brinquedos chamado Zero. Se você assim como todos que jogaram odiou aquela missão e odiou o Zero, saibam que o dublador do Zero compartilha dos seus pensamentos.

David Cross, nos exatos 10:02 da entrevista abaixo (em inglês) fala sobre sua perfomance e sobre o design da missão. “É a voz mais irritante que você poderia imaginar, acompanhando aquilo,” diz ele.

“Eu parei. Eu tentei roubar. Eu não conseguia me escutar, era tão irritante,” disse Cross. “Tão irritante. Eu odiei. Eu simplesmente não conseguia fazer aquilo. E aquele avião? … É impossível.”

Na missão Supply Lines, o jogador controla um avião biplano de controle remoto que é equipado com poder de fogo o suficiente para explodir vans de entrega. Zero manda o C.J. atirar na frota do rival nerd de Zero, Berkley (que nunca é visto, ou fala durante o jogo).

A missão tinha uma dificuldade quase impossível devido aos controles do biplano, particularmente para os usuários dos dois analógicos. Os controles eram basicamente o contrário dos veículos normais. O jogador tinha que encontrar uma série de entregadores e eliminá-los, e aquele motociclista era sem sombra de dúvidas o mais desgraçado.

Esse vídeo de um detonado desta missão de seis anos atrás ainda recebe comentários raivosos de jogadores que não conseguem passar da missão e também por aqueles que passaram e estão relembrando da dor.

A Rockstar Games passou a última década inteira sem conseguir lançar algo que não trazia uma variação desnecessária dos controles do jogo. Eles consertaram a câmera do Vice City e fizeram de San Andreas um verdadeira aventura em terceira-pessoa, mas eles ainda deixaram aquela missão que quebra completamente tudo que nos foi apresentado no sistema de direção do jogo, apenas para nos torturar.

Este website utiliza cookies